sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Brasil de Temer: uma tragicomédia em três atos
















POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO

ATO 1 – O GOLPE

Machado – Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel.
Jucá – Só o Renan que está contra essa porra. ‘Porque não gosta do Michel, porque o Michel é Eduardo Cunha’. Gente, esquece o Eduardo Cunha, o Eduardo Cunha está morto, porra.
Machado – É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional.
Jucá – Com o Supremo, com tudo.
Machado – Com tudo, aí parava tudo.
Jucá – É. Delimitava onde está, pronto.

É chato ter que voltar ao óbvio. Mas mesmo depois da divulgação dessa conversa entre os conspiradores, ainda há gente a rejeitar a tese de golpe. Foi golpe e pronto. Mas por que é importante essa caracterização? Ora, porque a manutenção de um golpe antidemocrático só pode ocorrer por arbitrariedades, negociatas e subtrações de direitos e liberdades. Afinal, como diz o povo, pau que nasce torto até a cinza é torta. Vem coisarada por aí, diria um joinvilense.

ATO 2 – A REAÇÃO AO GOLPE

As pessoas que se sentem usurpadas estão a reagir a quente. Mas o discurso dos defensores de Dilma Rousseff tem alguns erros de avaliação e mesmo algumas ingenuidades. Nada muda o fato de que o golpe foi consumado e Micher Temer é o presidente.

Erro 1: "A história vai julgar os golpistas".
A história não marca hora para vereditos. Aliás, alguém acha que os golpistas vão perder o sono por causa da história? Os caras assumiram a canalhice ao vivo e a cores e em rede nacional. É óbvio que não vão se sentir intimidados por essa coisa abstrata chamada história.

Erro 2: "O mundo está vendo".
Sim. Aliás, fora do Brasil todos sabem que é golpe. Mas o mundo tem mais com o que se preocupar. E se o Brasil volta a ser a velha república das bananas isso faz a alegria dos abutres estrangeiros, sempre prontos para o butim.

Erro 3: "Vai ter oposição".
Claro que vai. Quem teve que lutar pela democracia - essa que acaba de ser violentada - sabe que vai ser como nos tempos da ditadura. Fica meia dúzia a brigar. O resto vai para casa cuidar da vidinha.

ATO 3 – VÃO-SE OS ANÉIS, VÃO-SE OS DEDOS

É fatal. Temer vai governar. Mas a que preço? Para conseguirem manter os seus governos, Lula e Dilma tiveram que acender uma vela para deus e outra para o cramulhão. O problema de Temer é que o seu acordo é apenas com o cramulhão. E o tinhoso é neoliberal. A coisa vai doer para os mais desfavorecidos, claro.

O Brasil sai desse processo fraturado, desmoralizado e com as instituições enfraquecidas. Não havia pior maneira de começar a governar. Eis o erro. Os que hoje comemoram a ascensão de Michel Temer imaginam o fim da crise econômica. Tolice. Mesmo admitindo que o único ponto respeitável do governo de Temer é a sua equipe econômica.

O problema com o time de Henrique Meirelles é jogar no campo da austeridade. E do neoliberalismo, que já vive em descrédito nos países mais desenvolvidos. Não se trata de ser catastrofista, mas só alguém muito desligado da realidade pode achar que a crise brasileira vai acabar. Não vai. Por que razão o Brasil estaria na contramão da economia mundial?

Diagnósticos são perigosos, mas é natural haver números razoáveis no princípio. O problema é que folhas de Excel não enchem barrigas vazias. Ninguém duvida que o ataque vai ser sobre o social e os programas de distribuição de renda que, em grande medida, serviram para alavancar a economia ao longo dos últimos anos.

O futuro pode ser péssimo para os pobres, mas chegará uma hora em que os ricos também terão que pagar a fatura. Eis o perigo. Quando a pressão for generalizada, o que o governo pode fazer para se salvar, ainda mais nessa condição de ilegítimo? Negociar com o diabo e o diabo. E de cedência em cedência abre-se o caminho para a corrupção. Que, por ironia, era o que Dilma Rousseff ameaçava estancar.

É a dança da chuva.


Com Temer no poder, acabou a corrupção. Não é preciso urgência






36 comentários:

  1. Infelizmente não é possível transferir áudio por esta página, mas tente imaginar minha resposta através da onomatopeia “mi-mi-mi-mi-mi” seguindo a melodia de “Ode of Joy” (Beethoven).

    ResponderExcluir
  2. Pequenas questões:
    1. Já te contaram que Beethoven não é um cachorro, certo?
    2. Não é "Ode of Joy", mas "Ode To Joy". Por exemplo. Eu poderia dizer "you are a piece of shit", que é diferente de dizer "you are a piece to shit".
    3. O tema ficou famoso ao ser incluído por Beethoven na sua 9ª Sinfonia, mas a autoria é do alemão Friedrich Schiller.
    4. Last but not least, a música é Hino da União Europeia, um continente que respeita a democracia. E como democracia parece não ser do teu gosto, talvez devas tentar outro autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vamos lá, tente!

      Excluir
    2. mi-mi-mi-mi + a melodia

      cante sozinho, ninguém vai ouvir
      é libertador, acredite!

      Excluir
    3. Não sei qual é a droga que usas, mas não quero.

      Excluir
    4. Droga boa é aquela que te faz saudar a mandioca, estocar o vento, ver um cachorro numa criança (ou no Beethoven), ver golpe na constituição,...

      A esquerda agoniza!... com a crise de abstinência!

      Excluir
    5. Estavas a falar comigo e agora falas com a Dilma. É delírio. Bro, precisas trocar de dealer, porque essas coisas que andas a fumar estão maradas. E ainda matam os três neurônios que te restam.

      Excluir
  3. Mi mi mi mi. chola, chola mais... mi mi mi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá uma olhadinha aí na tua cabeça. Vê lá se tens pelo menos dois dedinhos de testa...

      Excluir
  4. " Muitos brasileiros não votaram no Temer, mas torcem para que ele faça um bom governo.
    Petistas: Votaram no Temer, torcem e farão de tudo para ele faça um péssimo governo.
    Muitos brasileiros querem que Temer tenha sucesso em seu governo para o bem do Brasil.
    Petistas: Querem o fracasso do Temer para o bem do partido. "Tendeu" a diferença??.
    E o que dizer de um cara, que se acha o intelectual, mora em Portugal e fica o dia todo sem fazer nada e escrevendo bobagens??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo nível dos ataques pessoais, devo imaginar que te sentes bastante incomodado comigo. Por que será, velhinho?

      Excluir
    2. Pelo que sei, o Sr. Temer não foi candidato a presidente da república. Foi vice de uma candidata que venceu as eleições para presidente da república em 2014. Foi nessa candidata que 52 milhões de brasileiros votaram e elegeram, democrática e legalmente, para ser presidenta da república até 31/12/2018.. Ninguém votou no Temer. O mínimo que se esperava de um vice-presidente honesto, seria apoiar e defender a presidenta da infundada acusação de ter cometido crime administrativo e não se aproveitar da situação para tomar o seu lugar ilegitimamente. Também pelo que sei, quem torceu e fez de tudo para que a presidenta Dilma fizesse o pior governo possível, são os mesmos que colocaram o Sr. Temer na presidência da república em seu lugar, por meio de um golpe político injustificado, por um pretenso crime que não existiu. Portanto, a presidenta da república continua sendo a Sra. Dilma Rousseff, que está sendo impedida ilegalmente de exercer seu mandato democrático. E todos os atos desse desgoverno ilegítimo do Sr. Temer são nulos. Quanto às críticas que o cidadão portugues Sr. José Baço faz ao desgoverno do Sr. Temer e em defesa da democracia, são legítimas, justas e de um amigo do Brasil, mais amigo do que muitos brasileiros natos.
      Ronaldo Aidos

      Excluir
    3. Na boa, Ronaldo. É o nosso serviço público. Essas pessoas vêm aqui me xingar proque ajuda a dar algum sentido para a vida delas. Então eu não me importo. Apesar de que os psicanalistas perdem clientes e não devem gostar da concorrência.

      Excluir
    4. Ronaldo, seguinte:

      O Petê pediu apoio ao PMDB (partido que devolveu a democracia ao Brasil e está acostumado com o poder desde então). Enquanto as coisas estavam boas, modelo macroeconômico funcionando, popularidade em alta, distribuição de poderes e deveres, OK. Com a saída de Lula e a estrada de uma incompetente, intransigente e soberba, houve a mudança do modelo macroeconômico, a queda da popularidade e a concentração do poder no alto escalão do Petê. O PMDB bem que tentou avisar, várias vezes, que queria participar do governo e tentar reverter as CAGADAS que Dilma estava aprontando na política e na economia. Além de Dilma não dar ouvidos ao PMDB, ainda tentou desmembrar o partido que viu como adversário. Não deu outra, a Dilma foi impedida, o PMDB sai vencedor com apoio da maioria dos partidos e o Petê corre o risco de desaparecer.

      Obrigado, PMDB! Obrigado, Michel Temer!

      Excluir
  5. Pq vcs são o atraso deste País. E fico ainda mais incomodado com você que nem mora mais aqui. Vai cuidar da sua vida e para de escreve lixos. #ficadica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto ódio nesse coraçãozinho...

      Excluir
    2. Só ódio? Isso aí tem que ser inveja. Abstadinho do PT

      Excluir
  6. A Dilma já disse que vai até as últimas consequências contra “um governo golpista”. Luta armada, querida. Vai lá!

    Já têm as hordas de bobos da corte, os desmiolados que idolatram facínoras a vandalizar equipamentos públicos nas cidades brasileiras em nome da “democracia”.

    Eduardo, Jlle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até ia responder, mas vou evitar. Um dia destes tivemos uma reunião para a distribuição de pacóvios que vêm dizer besteiras no blog. No sorteio (ou azareio) tu ficaste com o Clóvis Gruner. E eu não gosto de invadir a seara dos amigos...

      Excluir
    2. Que azar do caramba hein, Clóvis! Eu que não queria estar num sorteio desses; é a roleta russa do Chuva Ácida ao qual vós estiveis submetidos!
      Parafraseando a frase do clássico B.A do Esquadrão Classe A "tenho pena do colunista que é escolhido nesse azareio".

      Excluir
  7. "Pare de chamar os outros de golpistas, defendendo quem te roubava! Você parece um retardado!"

    ResponderExcluir
  8. Não se preocupe com as aspas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É chato ter que ficar dando aulinhas de português, mas quando pões aspas significa que alguém disse isso. Era essa a dúvida. Queria saber do autor daquela frase, que deve ser um portento intelectual.

      Excluir
    2. As aspas servem, também, para citar uma expressão, um sentido irônico, entre outros. Então, "esquece as aspas!"

      "A esquerda agoniza!" (Anonimo)

      Excluir
    3. ...mas se vc acha mesmo que as aspas devem ser, apenas empregadas para citações,...OK. Segue a legenda:

      (Anônimo)...satisfeito?

      Excluir
  9. Fala sério. Vocês estão todos aliviados com o impedimento de Dilma, seus hipocritas, pois ganharam duas vezes: com o discurso falacioso do "golpe" e com alguma chance do PT disputar alguma coisa em 2018 com as contas do país recalibradas.

    ResponderExcluir
  10. é, te vira no sumô que teatro não rola..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No sumô não pode virar, pá. Aí o cara perde a luta.

      Excluir
  11. Baço,não de atenção para essas pessoas que atacam tuas análises,pois eles são apenas as marionetes, mentes moldadas. Sempre foi, e infelizmente, sempre será assim,é histórico. São os ditos testas oleosas que se acham mentes brilhantes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, se esses caras conseguissem alinhavar mais que duas frases seguidas - e que não sejam clichês - eles estavam por aí a escrever artigos (e pela minha experiência sei quanto os jornais precisam de gente com opinião bem articulada). Não tendo qualidades que permitam formalizar ideias, restam esses ataques. Mas não me afetam, porque tenho o couro grosso.

      Excluir
    2. Mas deste uma forçada de barra na amizade, hein, Faria?

      Excluir
  12. Se der tudo em pizza concordarei com a tese de golpe.
    Vamos combinar algo, as pessoas estão na rua com o intuito não de desmascarar o golpe ou de pedir a punição dos corruptos o que teria apoio de outros pessoas. Trata-se apenas de uma estratégia eleitoreira para manter as massas mobilizadas e manter um naco de poder por mínimas que sejam as chances de voltar governar o país no futuro.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem