segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Beijo entre homens faz mal ao fígado


POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO
Na semana passada, numa troca de comentários aqui no Chuva Ácida, o candidato a prefeito Leonel Camasão chamou a atenção para o beijo entre dois homens no filme do PSOL. E eu respondi: “Aquela imagem do beijo gay tem tudo para ser um sucesso de público e crítica na liberalíssima Joinville. Cuidado que em vez de prefeito ainda te elegem Joana D'Arc e te atiram para a fogueira”. 

Era um comentário em tom de brincadeira, claro. Mas que continha um certo grau de previsibilidade. Porque o tal beijo fez os Torquemadas joinvilenses saírem à rua (hoje a ágora são as redes sociais). O que não surpreende, em se tratando de uma cidade onde a frase “virtude pública e vício privado” devia ser o lema inscrito na bandeira.

O fato é que o beijo do PSOL provocou uma pequena escandaleira. Teve gente que empunhou o tacape e saiu das cavernas para mostrar indignação. Lembro de ter lido o comentário de uma senhora que não achava aquilo natural. Um sujeito que achou a coisa perigosa para o filho pequeno ver na televisão. E um outro diz ter ficado enojado (deve ter tido problemas de fígado). E o nível da coisa andou por aí.

Já escrevi aqui no Chuva Ácida que a exibição do beijo na televisão poderia ser importante no sentido de  trazer a discussão para a agenda. Ou seja, que talvez fosse originar uma discussão racional, baseada em ideias. Mas não foi o que aconteceu. Falou mais alto o fígado do que o cérebro. E o que se viu foi apenas gente rafeira a rearranjar os seus preconceitos.

A mulher que não acha natural talvez precise de um pouco de antropologia para entender as diferenças entre o que é natural e o que é histórico (cultural). O pai que acha as imagens impróprias para o filho tem medo de que ele se torne homossexual? Pois aposto que a criança só se tornará mais tolerante. E para o homem que tem nojo, talvez o remédio seja um chá de boldo e uma visita ao século 21.

Poderia tentar argumentar, mas a experiência mostra que é como falar para a parede. Dois monólogos não fazem um diálogo. Por isso, vou resumir a coisa toda numa única ideia: “viva e deixe viver”. O grande problema dos conservadores e moralistas (passe o pleonasmo) é que, para eles, é preciso impor as suas interdições. Se vai contra as minhas crenças, então é preciso proibir.

Os intolerantes não sabem o que significam termos como o livre arbítrio ou direitos civis. E quando dão por si, já caíram no pântano da homofobia. Mas a coisa é simples e dispensa grandes filosofias: "cada um come o que gosta". Eu respeito.


44 comentários:

  1. Eu curti. Parabéns Baço!

    ResponderExcluir
  2. Realmente, é uma coisa que deixa muita gente desconfortável. Se você sente repulsa a algum alimento, não te causa um pouco de enjôo ver alguém comer esse alimento na sua frente? É meio que dizer pra a pessoa que odeia macarrão espaguete depois de ter visto na aula de biologia uma foto de um morto por lombrigas, com aquelas centenas de fiozinhos pra fora do ânus, que espaguete é muito gostoso e saborear ele em câmera lenta em frente da pessoa. Você não tem como forçar nela uma imagem boa daquilo, pois as experiências prévias dela já estabeleceram um padrão de julgamento diverso e mais evidente, contra o qual argumentos não serão possíveis... É por aí...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem viajão mesmo, seu Gordo. Falou um monte de besteira e não disse nada.

      Excluir
    2. que comentário infeliz.

      Excluir
    3. Realmente, comparar relações amorosas com fiozinhos de lombrigas saindo pelo ânus é de uma lucidez espantosa.

      Excluir
    4. hua hua hua hua hua hua. Tem tudo a ver. A palavra chave é "anus"

      Excluir
    5. afffss porcaria

      Excluir
  3. Algum dia, quem sabe, alguém me explica o por quê da obsessão quase patológica dos conservadores com os homossexuais.

    Quer dizer, que eles não gostam de índios, pobres, negros e mulheres feministas (porque as submissas, tudo bem), é notório.

    Mas com os gays o ódio é tanto que eu quese não resisto a fazer psicologia de botequim e arriscar que são todos um bando de enrustidos.

    Ah! E o Ratinho Jr., candidato que lidera as pesquisas em Curitiba (vergonha! vergonha!), disse que não tem nada contra os gays, mas que é contra a união estável, a adoção e que sejam exibidas cenas como a do PSOL na televisão, porque não gostaria que sua filha visse este tipo de coisa.

    Obviamente, ele não se opõe a que sua filha veja, na televisão, as indignidades que seu avô apresente na programa. Mas beijo gay, isso não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa!!!

      Excluir
    2. o cróvis adora ratinho, não perde um teste de dna

      Excluir
    3. ahahahah, vai dizer que aquelo não é divertido? É o maior besteirol, mas também, não tem compromisso com nada. E besteiirol por besteirol...

      Excluir
  4. É, na verdade, o PSOL conseguiu chamar a atenção. Falem bem ou falem mal, estão falando do PSOL...

    ResponderExcluir
  5. Imaginem se o Camasão ganha! Joinville vira a CAPITAL NACIONAL DA PARADA GAY. CAMASÃO PARA PREFEITO JÁ!
    Vamos dominar a cidade, daí todo mundo saí do armário. Uhuuuuu

    ResponderExcluir
  6. Baço.O candidato do PSOL mexeu no vesperior ,ora uma cidade que,nas pesquisas eleitorais tem um funadamentalista em primeiro colocado. seguido, do segundo colocado é o Ficha suja todos sonham com sua volta Ta querendo o que meu filho ...!!!Como dizia o bordão "Mexe com quem esta quito".....(EU)Amei a idéia e o objetivo do candidato
    Fora que o titulo ficou massa ! hahaha
    Muito bom, ponto para o Chuva !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês só estão esquecendo de um detalhe: A propaganda do PSOL é nacional.

      http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/diretor-de-beijo-gay-eleitoral-diz-que-nao-queria-chocar/n1237755713537.html

      Excluir
  7. Vou ali tomar um figatil e já volto! ahahahahah

    ResponderExcluir
  8. Assim como abolir a escravatura, mulheres votando e tanto outros "paradigmas" da sociedade foram caindo um a um, a questao homoafetiva tbm será coisa do passado daquelas que a gente fala: "como que algo tão natural era proibido"? Não há como evitar. E por favor, vomitem longe de mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma questão de tempo. Os mais novos estão mais tolerantes. É seleção natural.

      Excluir
  9. Bom, meu filho um menino de seis anos viu a cena e eu fui obrigada a explicar para ele que existem homens que gostam de homens e mulheres que gostam de mulheres, não pensei que teria essa conversa tão cedo, achei que era papo pra daqui há uns 4 anos.
    Acho até que foi bom, porque meu filho pode contar que tem um menino na sala dele que só quer brincar de boneca, só desenha meninas e gosta de brincar com as meninas.
    Mas enfim, eu não tenho nada contra, só que eu acho que não precisam mostrar descaradamente, até porque confunde a cabeça das crianças e pros idosos que não conviveram com essa liberalidade tbm é mto difícil a aceitação. Acho que respeito ao próximo é essencial, independente do sexo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não começar a mostrar, devido aos idosos e a confusão das crianças, quando irão começar? Se ficar a vida inteira tampando uma realidade, quando as pessoas irão começar a entender melhor?

      Acho que o quando antes esta realidade se tornar visível, melhor para a evolução da sociedade!

      Excluir
  10. Anônimo das 12:43: meu filho tem quatro anos e convive tranquilamente com nossos amigos gays - e como somos todos quarentões ou quase, a maioria deles já é casado.

    Eu e minha mulher não precisamos explicar nada para ele: ele os vê como a mim e minha mulher ou outros casais amigos, heteros: como duas pessos que vivem juntas porque se gostam. Simples assim.

    Aliás, minha mulher tem uma definição bacana pra isso: seria muito mais simples se os adultos não ensinassem as crianças a odiar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma das coisas que me deixam feliz é o fato de a minha filha ter crescido na Europa, num ambiente saudável e de convívio com a diferença. E o fato de ela não demonstrar qualquer tipo de preconceito leva a concluir: acho que fiz a minha parte, mas a sociedade ajudou.

      Excluir
    2. Que legal Baço. A Europa está livre de preconceitos. Puxa, o que se vê na TV é tudo mentira, sobre o ódio, essas coisas. Parece que o Brasil continua sendo o terceiro mundo. Mas vc gosta do terceiro mundo, né? Não vive um dia sem xeretar das coisas daqui e pelo que consta, todo ano vem de férias pra cá.
      Parabéns pra você.

      Excluir
    3. Viu Baço, além de homofóbicos temos também europofóbicos!

      Excluir
    4. Guilherme, nada de homofobias, é que o português é muito entojado.

      Excluir
  11. Como as pessoas se contradizem.
    Num post falam uma coisa, noutra já a conversa é diferente.
    Acho que estou começando a odiar os heteros.

    ResponderExcluir
  12. Umas das coisas mais belas e chocantes que vi no cinema sobre este tema foi em "Beleza Americana", em que o pai de um dos personagens era amante do nazismo, do militarismo, da educação rígida e dos princípios morais. E homofóbico ao extremo. Para quem não assistiu não vou adiantar o final, que é surpreendente.

    ResponderExcluir
  13. Eu cheguei a ler um comentário no ANoticia de um pai injuriado com o beijo, perguntando do porque não colocar duas mulheres se beijando, ao invés de homens. É muita hipocrisia, suruba pode ser ensinado pro machãozinho da casa, até uma grana prá ir na Marlene quem sabe, mas o resto é proibido...

    ResponderExcluir
  14. Concordo com vc Guilherme... Esse povinho de Joinville em que os homens são tão machões mas, adoram brncar de gays com os colegas e não suportam olhar um beijo na tv que vão se catar. O que vi ali foi um beijo entre um casal e ponto. Meu filho tem um padrinho gay (e isso não faz a menor diferença) e tenho certeza que não vai ser por isso q ele será também mas, sim será menos preconceituoso do que os antepassados dele. E, graças a Deus...

    ResponderExcluir
  15. Ah, e não terá problema no fígado, certo?

    ResponderExcluir
  16. Que legal Baço. A Europa está livre de preconceitos. Puxa, o que se vê na TV é tudo mentira, sobre o ódio, essas coisas. Parece que o Brasil continua sendo o terceiro mundo. Mas vc gosta do terceiro mundo, né? Não vive um dia sem xeretar das coisas daqui e pelo que consta, todo ano vem de férias pra cá.
    Parabéns pra você.CONCORDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO, seu anonimo, PERFEITO SUA PALAVRAS A ESTE INDIVÍDUO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vale. Tu és uma "maria-vai-com-as-outras".

      Excluir
  17. Se depender da quantidade de viado enrustido na cidade, e que o voto é ~discreto~, o PSOL já ganhou =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk, capaz que Joinvas tem viado enrustido! É tudo assumidaÇo.

      Excluir
  18. Ótimo texto Baço, arrepiei aqui. É inaceitável tais atitudes nos dias de hoje, principalmente vinda de veículos de comunicação e pessoas letradas.

    ResponderExcluir
  19. Um casal gay adotou um menino, e o "pai" foi tomar banho com o garoto pela primeira vez. O garoto, surpreendido, disse: -Nossa papai, que pinto grande o senhor tem!-Que nada filho, isso porque voce ainda não viu o da mamãe!

    ResponderExcluir
  20. São Francisco de Assis que estava certo: É DANDO QUE SE RECEBE... e o resto tudo é complementar.... rs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Descurpa minha iginorancia, num intendi o que tá im maiusculo? É zoação?

      Excluir
  21. Baço, como sempre, precioso! Clóvis, perfeito!

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem