sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Em Joinville, não há doentes!


POR GUILHERME GASSENFERTH

Comemore, joinvilense! Aqui a saúde não tem problemas! Viva!

Já em Florianópolis as coisas não vão bem. É um problema. Aqui em Joinville, o governo estadual mantém um hospital para cada 171 mil habitantes (que coincidência este 171!). Em Floripa, tem um hospital do governo estadual para cada 61 mil habitantes. Só pode significar uma coisa: os florianopolitanos adoecem três vezes mais!

Veja só, cidadão joinvilense. Afeitos que somos a uma estatisticazinha, fomos ao site do IBGE Cidades@ e pesquisamos dados relativos à saúde em 2009 (último dado disponível). Sabem qual o resultado? Floripa é uma cidade cheia de doentes. Sim, senhores. Vamos às provas?

Em Joinville, o governo do estado mantinha, segundo dados do IBGE de 2009, dois estabelecimentos de saúde. Em Florianópolis, segundo o IBGE, eram 14. “Ah, mas número de estabelecimentos não quer dizer nada”. É verdade, o número de hospitais sozinho não diz nada. Vamos verificar o número de leitos, então?

Leitos mantidos pelo governo estadual, em 2009, na capital: 945.
Leitos mantidos pelo governo estadual, em 2009, em Joinville: 414. Êta população resistente a doença!

“Mas Guilherme”, você pode estar pensando, “em Floripa tem São José ali grudadinho”. Verdade, que injustiça a minha. Vamos refazer os cálculos considerando São José.

Leitos mantidos pelo governo estadual, em 2009, na capital: 945.
Leitos mantidos pelo governo estadual, em 2009, em Joinville: 414.
Leitos mantidos pelo governo estadual, em 2009, só em São José: 663. Meu Deus, quanto doente!

Se nós formos contabilizar as 22 cidades que compõem a região metropolitana de Florianópolis e as 20 cidades da região metropolitana de Joinville, o número de leitos na região de Floripa permanece em 1.608, e em Joinville sobe para 454 leitos, graças à adição de 40 leitos mantidos pelo governo catarinense em Mafra. Considerando que a região metropolitana de Joinville tem 1.094.570 habitantes e a de Florianópolis 1.012.831 habitantes, é possível chegar ao seguinte índice:

Na região de Florianópolis: um leito mantido pelo governo estadual a cada 630 cidadãos.
Na região de Joinville: um leito mantido pelo governo estadual a cada 2.411 cidadãos!

Resultado óbvio: em Joinville, tem quatro vezes menos pessoas doentes! Iupiii! Eu sempre soube que essa chuvarada tinha que servir pra algo de bom!

JÁ BASTA!

Agora, falando sério. Pensei que iam mudar as coisas. Na semana passada foi lançado um Pacto por SC na área da saúde. Achei louvável. O governo de SC anunciou a construção de 150 leitos no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt e investimento em equipamentos. Na verdade, isto foi o que me motivou a escrever o texto, inicialmente elogiando a iniciativa do governo de Raimundo Colombo. Meus pensamentos elogiosos duraram pouco. Quando fui pesquisar mais a fundo, caíram por terra.

Quando li os slides da apresentação do Pacto por SC, fiquei boquiaberto com a enorme diferença de investimentos em Floripa e Joinville. Desconsiderando investimentos em maternidades (que não foram especificados na apresentação), Florianópolis e São José somaram investimentos da ordem de R$ 178 milhões, enquanto Joinville amargou R$ 33,2 milhões. Sim, cinco vezes e meia de recursos a menos.

Enquanto serão construídos 379 leitos em Floripa e São José, em Joinville serão 150. Floripa e São José ganharão 83 novas UTIs. E Joinville, ZERO. Floripa e São José terão novas 14 salas cirúrgicas. E Joinville, ZERO!

No início da semana, o Brasil viu as imagens do atropelamento da mãe com dois filhos, gravada por câmeras de segurança. E após a exibição do vídeo em vários telejornais de rede nacional, a mensagem: "a mãe foi enviada a um hospital de Jaraguá do Sul POR FALTA DE UTIs em Joinville". Desumano com a mãe, vergonhoso pra Joinville.

Até quando mereceremos viver este descaso? Quando é que a população joinvilense vai levantar-se e pedir por seus interesses? Quando teremos um eleitorado unido que irá desembainhar a espada da mudança, atacando a inércia de sucessivos governos estaduais?

Joinvilense, você deve fazer algo. Chega de ficar parado! Compartilhe estas informações. Faça chegar ao ouvido do maior número de pessoas para que todos saibam como nossa querida cidade é destratada pelo governo do estado que ela própria ajuda, em muito, a sustentar. E cobre dos governantes. Já chega de Joinville ZERO.

29 comentários:

  1. Parabéns Guilherme !! Grande texto ! esse quadro só não é pior pq o LHS (não gosto dele!) olhou um pouquinho para cá !!! senão seria muito pior (se é possível !).

    vergonha !

    du grego

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz Henrique olhou? Quando? Se Joinville e SC está está na miséria é graças ao Sr. Luiz Henrique, que faliu como Estado e com o Município. Deixou de investir em coisas básicas, para fazer as faraônicas. Deixou a rede estadual de ensino caindo aos pedaços da mesma forma que deixou as escolas de rede municipal de Joinville. Foram preciso 3 anos para reformar e colocar as escolas de Joinville em dia. Toda semana a Vigilância Sanitária interditava uma e rede municipal.Da mesma forma deixou a saúde,uma vergonha. Agora, o Povo colhe o que planta, pois foi ele quem elegeu o atual governador.Ta na hora de acordar povo Joinvillense.

      Excluir
  2. É verdade, os hospitais de Joinville, tanto o regional quanto o São José tem ainda que atender todas as cidades vizinhas. É complicado.
    Floripa sempre sempre recebe mais recursos, em todas as áreas, inclusive investimentos em infraestrutura turística. Já Joinville...

    ResponderExcluir
  3. Joinville só têm burros de carga! Parece que vivemos num Reino. Arrecadamos e mandamos para o Castelo e depois recebemos as migalhas.
    Galo

    ResponderExcluir
  4. Mas Gui, acho que não é so na área da saúde que Floripa sempre foi mais privilegiada, também na questão de escolas, rodovias.. enfim..Amei teu texto e acho sim, que devemos abrir a boca e reclamar e divulgar para que todos saibam, e pensem bem em quem votar!

    ResponderExcluir
  5. É bom ver aqui um pouco de crítica sobre o governo estadual também, só pra variar.

    Isso só serve para mostrar o quanto a "descentralização" que o grande LHS sempre defendeu, bradou aos quatro ventos, e usou como lema em suas campanhas imundas nunca saiu do papel.

    E o MaisImundo Colombo apenas continuou com o preconceito de que Joinville é auto-sustentável e deve continuar andando com as próprias pernas enquanto o estado alimenta a boca da capital, e joga as migalhas (como disse nosso amigo Galo), para o resto do estado.

    ResponderExcluir
  6. Sempre haverá esta diferença capital/interior, mesmo esta cidade do interior sendo maior e mais importante economicamente! A tendência é esta infelizmente... É um desrespeito a constituição no parágrafo em que ela diz que somos todos iguais perante a lei!

    ResponderExcluir
  7. Boa Guilherme! Sem mais o que declarar, você já expos todas as mazelas da saúde de Joinville. Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Guilherme parabens mais uma vez, seu texto e de uma clareza impresionante de uma ironia verdadeira e é também de nos deixar indignados com essa turminha de politicos (Governador, Prefeito, Senador, Deputados, Vereadores etc...). não gosto de nenhum deles ....acho que dia 7 é um bom momento de refletir e protestar quando digitar o voto. A unica chance de eu voltar a a dar voto a alguem é se voce se canditar a algum cargo..... VOTO EM VOCE NA HORA TÁ ??????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que responsa, hein? Obrigado, mas por enquanto eu tô deixando passar esta oportunidade.

      Excluir
  9. Não quero defender o governo do estado, mas como ficam estes números em alta temporada turística? Imagino que ainda assim haveria uma grande diferença, mas será que isso não justifica o pensamento "foco na capital", já que boa parte da renda de Florianópolis vem do turismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que acharia de transferir a sua logica "turistica" para Balneario Camboriu? Ou para Bombas, ou quem sabe Itapema?

      Excluir
    2. E aí dona Miau, que diz? O interior já está arcado de tando carregar a capital nas costas
      Galo

      Excluir
    3. Quem faz turismo tem plano de saúde ,quem precisa do sistema público de saúde é pobre como eu ,em Florianópolis pra variar tem muito funcionário público que ganha bem e que duvido que use o sistema público de saúde.

      Excluir
    4. É, mas precisam do dinheiro do interior para pagar os funcionários públicos e suas mordominas...
      Galo

      Excluir
    5. Outras cidades tem eventos como a October, festa das flores, fenarreco,ect, que tb atraem mto turismo...devemos pensar no cidadão nos 12 meses do ano e não focar só nos turistas em apenas 2 meses. Dificilmente fará turismo um cardiopata agudo, um HIV ou CA terminal, um um deficiente renal em pleno tratamento, mas eles estão aqui no dia-a-dia, mendigando uma consulta/leito/tratamento!

      Excluir
    6. Miau, concordo parcialmente com você. Não exatamente na questão do turismo, mas de que Florianópolis merece sim uma atenção adicional em relação a outras cidades por ser capital. Muitas pessoas vão fazer seus tratamentos lá, é natural.

      Então, se Floripa e São José tivessem número de leitos superior a Joinville, eu não falaria muita coisa. Se a nossa situação estivesse boa, eu não falaria muita coisa. Se Jaraguá do Sul tivesse hospital estadual, eu não falaria muita coisa.

      Mas a diferença é MUITO grande. QUATRO VEZES MENOS leitos. E agora, CINCO VEZES MENOS INVESTIMENTOS.

      A moça atropelada no início desta semana foi pra UTI (não era estadual) em Jaraguá porque não havia vaga aqui.

      Há que se considerar que nós por aqui temos também um número de usuários de planos de saúde bem superior à média, mas volto a dizer: nossa saúde pública está sôfrega, trôpega, pobre, caótica.

      Beijos e obrigado pelo seu comentário!

      Excluir
  10. CADE OS BOCAS DE ALUGUEL PARA DEFENDER O GOVERNO DO ESTADO AGORA? Existe uma equipe de mal intencionados falando mal do governo municipal sobre a gestão na saúde quando A CULPA POR TODO ESSE PROBLEMA VEM DE CIMA, LÁ DA CAPITAL. Pior ainda é a horda de idiotas que concorda e espalha pro restante da população essas inverdades.

    ResponderExcluir
  11. E teve um "ilustre" governador que além de não melhorar o Hospital regional de Joinville criou as tais secretarias regionais que só serviram pra roubar dinheiro e pra atender aos seus pessoais caprichos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, não precisa ser esperto para saber que é o LHS. O Udo precisa se afastar o quanto deste tipo.

      Excluir
  12. Humilhante! Secretário de Estado da Saúde é um vendido... só beneficia a capital (isso porque se considera cidadão joinvilense, imagina se não?), Prestemos bem atenção nesse cidadão (Dalmo), que é sim culpado. Isso se chama POLITICAGEM. Nós achamos mesmo que ELES estão preocupados com o povo??? Ah.. não estão, não.. utilizam-se dos seus cargos para benefício próprio, e a culpa de quem é?? DELES?? DEFINITIVAMENTE A CULPA É NOSSA. Porque enquanto nossos representantes forem do tipo BISONI, COLOMBO, TEBALDI, assinamos e concordamos com a atual situação.
    ACORDA POVO!!!

    ResponderExcluir
  13. Não podemos pensar só na construção de mais leitos se o próprio PS do HRHDS(Regional),que é a porta de entrada para as internações de nossos munícipes encontra-se inúmeras vezes sem atendimento, por falta de MÉDICOS!Constata-se aí tb que o pensamento de nosso governante é que somos uma população hipersaudável.Dá-se ao luxo de interromper o atendimento de um pronto socorro na maior cidade do estado,por falta de clínicos gerais e cirurgiões!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo! Aliás, essa questão de PS do Regional já virou rotina, todos os dias praticamente faltam médicos.. Corja (Colombo, Dalmo e seus indicados).

      Excluir
  14. Só para lembrar, respeitando que há, sim, uma diferença em investimento entre a capital e Joinville (e, sim, joinvilenses não gostam da sua capital), que Fpolis e região (principalmente São José) recebem absurdamente mais gente de outras cidades e regiões para tratamentos lá. Sim, eu sei, Joinville também recebe (inclusive de Mafra, a única a somar leitos à região), mas é em menor quantidade, pois Fpolis recebe do estado todo. Vergonhoso é ver pessoas de, por exemplo, Palmitos chegarem em vans, a Fpolis, às cinco da manhã, tendo saído no dia anterior, para fazer consulta e tratamento na capital e voltarem no mesmo dia. Só quem vê as portas de hospitais da capital sabe como é a situação. Vergonhoso não é não investir em Joinville só porque é a cidade mais populosa do Estado, mas não investir em regiões completamente abandonadas. Joinville ainda está muito bem perto do resto do Estado, mas, claro, quer puxar sardinha pra sua brasa. Por que só comparar com Fpolis? Por que não comparar com as outras regiões também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é questão de puxar sardinha pra lado nenhum, nem culpar a capital por ter 'mais' muito mais investimentos e sim de sermos racionais!
      'Só quem vê as portas de hospitais da capital sabe como é a situação'(Só quem vê pacientes morrerem por falta de leitos de UTI em Joinville também sabe da situação).Em Fpolis está o órgão regulador de leitos do Estado, e qual não é a situação catastrófica quando um médico o procura pra fazer transferência de pacientes...então meu caro (a) vamos parar de criar discussões sobre a questão de JoinvillexFpolis, parece briguinha... foram apontados dados, não temos que discutir isso, e sim tentarmos mudar a situação!! NÓS TEMOS O PODER NAS MÃOS.

      Excluir
    2. O joinvilense não odeia sua capital. Eu moro nela. Gosto daqui, Conheço outros joinvilenses na mesma situação. Meus parentes e amigos em Jlle nao a odeiam também. O joinvilense tem é revolta com uma situação política secular criada por caudilhos e tecnocratas de Fpolis que lhe sugam recursos. E o joinvilense nao puxa sardinha só para si, ele sabe que mais importante que uma ponte nova, duplicação de SCs dentro de uma ilha, hospitais concentrados na mesma região, o mais importante seria a construção de logística para escoar a produção do interior e promover o turismo em todo o litoral catarinense. Ele sabe que mais importante que uma ponte nova na ilha ao custo de mais de um bilhão - problema que se criou pq o ilhéu teve e tem a ganância com especulação imobiliária e por isso nao se importou com planejamento urbano - é preciso olhar para o vale do itajaí que desde sempre, de cinco em cinco anos, sofre com cheias que matam, desabrigam, desestuturam famílias e também travamm a economia de SC. Essas mesmas cheias ocorrem na região de Jlle. Qunado Jlle pede mais hospitais nao pede só para Jlle, pede para Araquari, S. Chico, Itapoá, Schroeder, Jaraguá, Guaramirim, Garuva, C. Alegre, S. Bento, Mafra, Rio Negrinho, Barra Velha, S. João do Itaperiú e outros, entao nao está puxando sardinha pra si.

      Excluir
    3. Os interioranos não odeiam a sua Capital, pelo contrário, tenho certeza que todos têm orgulho de ter uma das mais belas capitais do país. E arrisco dizer, do Mundo. O que nós joinvilenses queremos (assim como os demais) é mais investimentos na saúde. E saúde é algo tão básico que nem deveria ser motivo de discussão. Por sermos a maior e mais importante cidade do Estado, o repasse de verbas e investimentos em hospitais e saúde pública, deveria ser bem maior do as migalhas que nos são lançadas. Afinal, aqui na cidade tratamos de doentes de toda a região Norte do Estado. Merecemos mais respeito, por favor.
      AW

      Excluir
  15. Guilherme, vai uma sugestão, encaminhe o seu texto ao CREMESC. É que essa semana eles lançaram nota de repúdio à falta de profissionais da saúde nos hospitais de Florianópolis. Vamos ver se eles enxergam o problema de Joinville.

    No mais, excelente o seu texto. Quando vi o lançamento dos investimentos em saúde do gov. de SC também havia notado o mesmo que vc. É uma vergonha essa situação. Revoltante. Minha vó a pouco tempo ficou em uma maca no corredor do Regional.

    ResponderExcluir
  16. Mário Cezar da Silveira1 de outubro de 2012 20:18

    Guilherme, a lógica é simples. Aqui pra Joinville a política que vale é: "quanto pior melhor".
    Explico: Joinville só serve como arrecadador e celeiro de votos. Vejamos. políticos como Luiz Henrique, Tebaldi, Darci de Matos e outros expertinhos estrangeiros, se aninham aqui com o único interesse de fazer4 um curral político. Não amam a cidade. Portanto quanto pior, mais fácil de, com pequenas esmolas, ganhar votos.A questão, que você brilhantemente levantou, é só um detalhe. Os investimentos do estado, pra Joinville, se comparados com outras cidades, são desproporcionais não só na saúde, mas em quase todos os setores.E, nossos empresários,só se unem quando os interesses lhes afetam. Nossos "Deputados (acho que de putados cai melhor) Estaduais", são só interesseiros políticos. Não lutam por nossas carências, só por seus interesses.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem