domingo, 21 de outubro de 2012

A decisão do dia 28


POR ÁLVARO JUNQUEIRA

Em 1989, analisando o embate eleitoral Collor x Lula, escrevi no jornal A Notícia um artigo intitulado “O caos com Collor e a ordem com Lula”. Foi a única vez que cometi o desatino de sugerir o voto no petista. E por que o fiz? Pela simples razão de que via em Collor um mal muitíssimo maior. Eleições muitas vezes nos colocam diante desse tipo de encruzilhada, obrigando-nos a votar no mal menor.

Como jornalista e sociólogo, jamais me aventurei pela seara das pitonisas que acreditavam poder prever o futuro, mas, qual um oráculo involuntário, cheguei a profetizar nesse texto que, em poucos meses, a massa desarticulada que idolatrava Collor iria abandoná-lo, mercê da impossibilidade de cumprir sequer as mais básicas promessas do candidato.

E ele se veria em meio ao deserto clamando: “Não me deixem só!”. Frase pronunciada por ele, ipsis literis, depois de ver frustrada a sua convocação para que o povo se vestisse de verde e amarelo, pusesse bandeiras nas janelas e fosse às ruas defendê-lo da ameaça do impeachment. Vejam o que disse o populista e demagogo Collor de Mello: "Nós temos que dar um sinal de que nós somos a maioria. Vamos inundar esse país de verde e amarelo. No próximo domingo saiam de casa com uma peça de roupa com uma das cores da nossa bandeira, exponham nas suas janelas toalhas, panos, o que tiverem com as cores da nossa bandeira, porque, assim, nós estaremos mostrando onde está a verdadeira maioria. A minha gente, o
meu povo, os pés descalços, os descamisados...".

Felizmente, recebeu como resposta milhares de pessoas vestidas de preto e, logo depois, milhões de caras-pintadas nas ruas.

Por que fiz essa viagem no tempo? Porque no segundo turno das eleições deste ano em Joinville a história parece estar se repetindo, e como já ensinou o péssimo profeta Marx, ela sempre se repete como farsa.

E qual é a farsa? Ela é fruto de uma onda nefasta que varre o mundo, reduzindo os padrões de cultura a níveis liliputianos, apequenando as exigências morais e cívicas dos aspirantes a detentores de poder e abastardando valores civilizacionais sedimentados em séculos de aquisições aluvionais. Hoje, lamentavelmente, vivemos numa sociedade do espetáculo. Nela, qualquer celebridade – seja um palhaço, um ex-BBB, um cantor, uma mulher-fruta pode aspirar e, muitas vezes conseguir, ser representante do povo.

Nessa sociedade do espetáculo, a qualificação vale menos do que o configuração (visual, estética, artística, esportiva, religiosa), a história de vida rende menos frutos do que a presença constante nas várias mídias (jornal, rádio, TV, púlpito), a comprovada capacidade de gestão é menos valorizada do que alguns diferenciais considerados politicamente corretos, como ser negro, mulher, de origem humilde, ter sido vítima de injustiças e por aí vai...

Exemplos? O negro Obama, o retirante Lula, a mulher Dilma, a verde Marina, o perseguido Mandela. Mesmo sem entrar no mérito das qualidades de cada um desses exemplos, é visível que em torno de cada um deles cria-se uma aura de santificação e inimputabilidade que praticamente impede que se faça um debate franco e aberto, onde as qualidades de cada um possam ser aferidas, pesadas e sopesadas. A força da marca que trazem estampada na testa dá-lhes uma vantagem imerecida, posto que lastreada numa
metafísica influente, repetida ad nauseam em todos os foros, todas as plataformas, todas as mídias, interrompendo o saudável fluxo das informações pró e contra. Atacar um desses ícones da sociedade do espetáculo é praticamente uma heresia.

Em Joinville, este ano, temos uma situação típica desse quadro de degeneração da coisa pública, de decomposição dos valores mais altos, de apodrecimento das estruturas morais que fizeram da cidade o modelo de comunidade que ela é hoje.

Temos, de um lado, aquele que, muito apropriadamente, o José Antônio Baço chamou de “candidato oba-oba”, e que eu chamo de candidato da saliva, de apóstolo do blábláblá, de promessinha irresponsável, de demagogo populista, de pastor de ovelhas obedientes, porque encantadas com seu palavrório vazio, oco, superficial, sem prumo, sem lastro na realidade.

Quando olho em seus olhos, tenho a mesma sensação ruim, aflitiva, incômoda que tinha ao olhar nos olhos do ensandecido Collor de 1989. Vejo a mesma convicção totalitária, daqueles que não enxergam uma sociedade plural, mas apenas rebanhos a serem tangidos e encaminhados ao que os pastores consideram o bom – e único - caminho.

De outro lado, temos um candidato que é a antítese mais completa dessa tal sociedade do espetáculo. Elenquemos um a um os requisitos necessários para brilhar nesse circo dos horrores e ele não preencherá nenhum. Não passa de um cidadão honesto, trabalhador, bem sucedido, branco, rico, do sexo masculino, ruim de palanque, fraco na TV, seco e pouco risonho na TV...

Mas será que Joinville, essa Joinville que ainda ostenta tantos problemas graves a serem sanados, precisa de um alegre animador de auditório ou de um bom administrador; de um pregador de mentiras confortáveis ou de um portador de verdades inconvenientes; de uma subcelebridade midiática ou de um gestor capaz de resolver os muitos entraves ao nosso desenvolvimento com qualidade de vida?

Esta é a encruzilhada que teremos à nossa frente no próximo dia 28. Há, sim, uma opção, mesmo para aqueles que no 1º turno não escolheram nenhuma das duas opções restantes. Que seja um voto pelo mal menor, sem problema. O importante é ter claro que à beira do abismo o passo à frente é um suicídio consciente. Um passo atrás, muitas vezes, serve para ganhar impulso.

Álvaro Junqueira é sociólogo e jornalista

119 comentários:

  1. Palavras muito bem fundamentadas!!!

    Espero também que no dia 28 de outubro,se faça a diferença na atitude de cada cidadão.
    Que os resultados apontem uma Joinville
    comprometida com o trabalho e não com pão e circo.

    Observo que dia 28 de outubro por coincidência é o dia no calendário marcado para homenagear o servidor público.

    Brincadeira do destino ou não,
    fica assim a reflexão: a de se escolher neste dia o servidor público que irá assumir o cargo mais importante da administraçao municipal.

    E a de ser a personificação de trabalho,da ousadia e da coragem de enfrentar a corrupção.
    E que não se dobre diante da politicagem.
    Que seja um cidadão honesto, experiente.
    Que irá legitimar os anseios da população
    de modo justo e com ações concretas e muito planejamento das estratégias;

    Temos está oportunidade Joinville.
    Então reflitam com a razão, sem melodramas água com açúcar que temos visto nos últimos dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O servidor público de Joinville (e não o comissionado) vai votar em qualquer coisa que não represente a continuidade de Carlito.

      Excluir
    2. Tati, palavras muito bem fundamentadas???? O excelentíssimo Sr. Alvaro Junqueira foi assessor de imprensa na prefeitura de Joinville no governo Luiz Henrique da Silveira!!!! Dá uma pesquisada rápida na net!!! Como disse o companheiro, de ator o PMDB entende!!!!

      Excluir
    3. Pode até ser.. mais que os discursos do Kennedy lembram os do Collor, ah, isso lembra! Se ele ganhar, vai sair por impeachment!! Vamos assistir pra ver.

      Excluir
    4. Escreveu de forma "erudita", claramente desejando demonstrar uma suposta superioridade cultural. Gostaria que me respondesse sobre os inúmeros processos que o candidato "honesto" bem como seu querido Coronel estão sofrendo na justiça. Como um hospital que requereu ser uma entidade filantrópica, não atende nem 1% SUS? Estou em dúvida pq o candidato "honesto" não respondeu à essas questões ainda. É por essas e outras que novamente votarei 13 e confirmarei, apesar de todos os problemas que houveram.

      Excluir
    5. Meu Deus, candidato honesto, o Sr Udo ! E os processos na justiça ? E o Hospital quem conseguiu status filantrópico e não atende nem 1% SUS? O candidato honesto não respondeu ainda!!!!!!

      Excluir
    6. Vou olhar sim anônimo 15;05.
      Mas o fato histórico do Collor
      A exposição televisa
      Como tbem citei o pão e circo

      São fatos. Que fundamentaram o discorrido acima.

      Excluir
    7. Luis Henrique gastou quase dois milhões de reais para a criação do Jet buss, aquele barco que fazia o trajeto de Joinville para São Francisco do Sul e vice-versa e onde esta o barco, desapareceu e o ponto de embarque e desembarque que fica ao lado do Mercado Municipal esta abandonado sendo utilizado por vandalos e drogados. Queria ver se este prejuizo fosse em uma empresa privada onde ele estaria. O curioso é que na gestão publica isto não é investigado e nem apurado responsabilidades. O Udo tem uma empresa que é uma das 100 maiores do Sul do Brasil e não é nem uma das 500 melhores para se trabalhar e como conselheiro do JEC nunca patrocinou o time. Percebo tambem um ar de parcialidade nas materias postadas aqui, sera que tambem estão esperando a vitoria para garantirem um carguinho e mamar no dinheiro publico.

      Excluir
    8. Carlos, público é uma coisa, sem fins lucrativos é outra. Pra um você paga os custos de operação e manutenção de forma direta (o privado), e em outro de forma indireta, pelos impostos (o público). Ambos não possuem fins lucrativos, mas não significa que ambos necessitem ser gratuitos.

      Excluir
    9. Para o comentário do Anônimo 00:31:

      Falando pelas minhas postagens,
      não estou esperando carguinho e nem mamar no dinheiro público

      Expresso meu desejo de cidadã joinvillense.

      Concordo contigo sobre o assunto do Jet buss.

      Excluir
  2. O desespero aumenta a cada dia. Quanto mais eles batem mais o Udo despenca nas pesquisas. Vaculharam toda a vida do Kennedy e não encontraram nada de errado e partiram para baixaria falando de religião. Agora, estão pondo a culpa do fracasso da candidatura LHS/UDO, nos evangélicos. Segundo a última pesquisa IBOPE Kennedy lidera em todas as camadas do eleitorado, inclusive nos que tem nível superior completo e nos que estão fazendo a faculdade e a maioria dos que vão votar para ele não é evangélica. Mesmo que todos os evangélicos votassem para o Kennedy e nenhum para o Udo, ainda, assim, a maioria dos eleitores dele não seria evangélica. Até entre os ateus o Kennedy lidera. Kennedy sozinho vai vencer os dois donos de Joinville que mesmo com o apoio dos ricaços da cidade vão sofrer uma humilhante derrota.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vasculharam e não acharam nada? ha ha ha... Essa semana promete!!! A novela só acaba no último capítulo!!!

      Excluir
    2. Desculpe amigo, algumas coisas foram achadas sim e já divulgadas por aqui. Você que é o típico eleitor do Kennedy: cego e ignorante.

      Excluir
  3. Após FHC que representava a classe média brasileira (antiga, porque hoje com R$ 900,00 vc já é classe média. Assim fica fácil eliminar a pobreza, é só aumentar o critério de classificação de renda), o governo brasileiro vem sendo administrado pela "pobreza" vide o PT de Lula e Dilma. Até em São Pulo o PSDB de Serra irá levar ferro, ele é médico, então os menos favorecidos votam no outro candidato por impulso. Em nossa cidade não será diferente. Porque votar num homem rico??? (o povão não quer saber que ele não precisa mais roubar, o povão sabe que ele é rico, isso já é o suficiente)!!!! Tentam manipular o pobre ao afirmar do grande serviço "beneficente" do Dona Helena sem fins lucrativos, isso é falácia, pergunte a qualquer pobre em Joinville se consegue atendimento lá. O povo não vota em rico, vota em político!!! O mesmo PMDB que agride Kennedy na TV ao afirmar que nunca administrou nada, esquece de citar que o LHS também nunca fez na nada na vida, nem uma quitanda de frutas ele abriu, apenas política e mais nada. Só para reforçar o que muitos comentaram. Se Udo tivesse ficado no partidinho dele e tivesse saído candidato sem ser fantoche de ninguém, teria levado a prefeitura no 1º turno!!! Não tem mais por fazer, agora é esperar o resultado das urnas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Serra médico? Onde? Quando?

      Excluir
    2. José Serra médico? Onde? Quando?

      Excluir
    3. José Serra médico? Onde? Quando?

      Excluir
    4. O companheiro se equivocou ao afirmar que Serra é médico, acredito pelo fato de no Brasil se associar o cargo, ou ministério à formação da pessoa. Pelo fato de ser ministro da saúde ele deve ter feito esta associação. Quem sabe no dia que nosso país for sério, a coisa muda. Mas achei interessante os comentários, só criticaram seu erro no Serra, o resto não falaram nada, então tá legal!!!

      Excluir

  4. A escolha em Joinville é complicada porque nos deixa à mercê de dois grandes defeitos: de um lado o demagogo religioso, de outro um dos representantes mais ferrenhos da alta classe da cidade.
    A escolha é livre, porém o que eu questiono aqui são os motivos que o Alvaro Junqueira está escolhendo um dos lados.

    Sei lá, senti no texto uma certa saudade do século XIX, quando tudo estava em seu lugar, e negros, mulheres, retirantes, (e qualquer outra categoria menos "culta", ou menos pertencente à moral vigente) mantinham-se naquele exílio chamado invisibilidade, não perturbando os domínios dos nobres homens ricos, brancos, heterossexuais e 'excelentes' administradores públicos. O que estranha é que o Brasil sempre foi administrado por essa categoria de gente, e olha onde nos metemos, os anos de atraso social, econômico, político a que fomos submetidos justamente porque só mereciam o poder os tais homens brancos, ricos, cultos e "preparados" para o cargo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O discurso aristocrático do texto é que vai impedir o Udo de vencer. Não é nem a questão de sabermos que a opção é horrível. O caso é que o povo já percebeu que esses "bons gestores", brancos, ricos, etc foram os eternos donos do poder e estamos como estamos. A própria demonização da política feita pela elite leva a isto.

      Excluir
    2. Mas o outro candidato também é branco, rico e evangélico (aliás a forma que enriqueceu não me parece nada honrada)...
      No fim não vai mudar NADA!

      Excluir
  5. Como diz próprio programa do Udo: Você quer um ator ou um gestor? É triste...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhum dos dois. Quero alguém com sensibilidade política para governar a cidade em benefício da população e não para os de sempre.

      Excluir
    2. Alexandre, de ator o PMDB entende!!!!

      Excluir
    3. Curti 2 vezes ;)

      Excluir
  6. O desespero tomou conta, o que vai pintar de "gente boa" escrevendo artigos neste blog esta semana, façam uma pesquisa na net o currículo dos referidos, depois venham tecer comentários!!!! Só para constar nosso amigo aí do texto foi assessor de imprenssa do Luiz Henrique em 1998. Muito parcial seu comentário amigo!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o cara do PT pode comentar, por que não o cara do PMDB?

      Excluir
    2. O espirito do blog é justamente este, a pluralidade, a democracia e o contraditorio.

      Excluir
    3. O cara do PT vem aqui se justificar, justificar os erros cometidos, agora o lobo em pele de cordeiro vir aqui falar um monte de baboseira e depois dizer em quem votar, sendo que trabalhou para o partido em questão e só quer voltar para o poleiro, aí dá um tempo!!!! É forçar amizade!!!!

      Excluir
    4. Não interessa, todos tem espaço meu caro!

      Excluir
    5. Aqui não é a página do facebook do Kennedy que apaga comentários com críticas à ele, aquele espaço é totalmente antidemocrático, aprenderam direitinho com o PT à não aceitar críticas de jeito algum... Já a página do Udo pelo menos até agora não vi apagarem comentários negativos, desde que não tenham palavrão! Diferença total!

      Excluir
    6. Não só Facebook. Twitter também conta. Estou esperando apagarem um comentário meu no YouTube pra confirmar isso também, hehehe

      Excluir
    7. Vamos ao currículo dos candidatos, então. Aqui temos um currículo de 13 anos atrás, que com certeza aumentou bastante nos últimos anos:

      Curriculum
      Nome: Udo Döhler

      Cursos e estudos especializados:

      Direito - PUC - Pontifícia Universidade Católica do Paraná - 1966
      Cursos de especialização em: Administração Pública, Trabalho Social, Planejamento, Organização e Administração de Empresas, Segurança Nacional e Desenvolvimento, Orçamento, Gerência Profissional, Processamento de Dados, Meio Ambiente, Economia Brasileira, Matemática Financeira, entre outros.

      Instituições de que participa:

      Döhler S.A. Comércio e Indústria - Diretor-geral
      Comfio Cia. Catarinense de Fiação - Diretor-financeiro
      Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem de Joinville - Presidente
      Hospital Dona Helena - Diretor
      Conselho de Desenvolvimento Social e Política Industrial e Fiesc - Membro
      ABIT - Associação Brasileira da Indústria Têxtil - Diretor
      Conselho Técnico e Administrativo do CETIQT - Membro
      Cônsul Honorário da República Federal da Alemanha no Brasil - Região Norte SC
      ICBA - Instituto Cultural Brasil Alemanha - Diretor-conselheiro
      Desenville - Conselho do Desenvolvimento de Joinville - Conselheiro
      Conselho Master - CNI - Consultor
      Sociedade Auxiliar da Preservação Ambiental de Joinville - Vice-presidente
      Central Regional de Captação de Órgãos de Joinville - Representante Titular Acij

      Formação escolar:

      - Primeiro grau: Grupo Escolar Profº Germano Timm e Colégio Bom Jesus - Joinville - 1950/1957
      - Segundo grau: Contabilidade: Escola Técnica de Comércio Bom Jesus - Joinville - 1958/1960
      - Graduação - Pontifícia Universidade Católica do PR. - Curitiba - 1962/1966

      Excluir
    8. Atividades anteriores:

      - Presidente da Fundação Municipal Albano Schmidt - 1966/1968
      - Secretário geral da Associação Catarinense de Hospitais - 4ª Região - 1969/1970
      - Diretor-secretário e Membro do Conselho Nacional da União de Escoteiros do Brasil - Região de Santa Catarina - 1969/1973
      - Diretor de Patrimônio da Fundação Municipal de Promoção da Indústria - Promoville - 1970/1972
      - Vice-presidente da Fundação Municipal de Promoção da Indústria - Promoville - 1973/1974
      - Tesoureiro do Instituto Cultural Brasil-Alemanha de Jlle. - 1971/1973
      - Diretor-técnico da Associação dos Admin. Pessoal de Jlle. - 1972/1974
      - Tesoureiro da Associação Comercial e Industrial de Jlle. - 1972/1973
      - Vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Jlle. - 1972/1973
      - Presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem de Joinville - 1972/1975
      - Membro do Conselho Regional (Repr. da Indústria) do Senai/SC - 1973/1980
      - Presidente da Associação Comercial e Industrial de Joinville - 1974/1976, 1983/1984, 1988/1989
      - Tesoureiro do Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem de Joinville - 1975/1978, 1984/1987, 1987/1990
      - Diretor-conselheiro da Sociedade Educacional Tupy - 1975/1981
      - Conselheiro Fiscal da Fundação Municipal de Promoção da Indústria - Promoville - 1979/1980, 1981/1981, 1985/1986
      - Vice-presidente do Conselho Deliberativo do Joinville Esporte Clube - 1981/1982
      - Conselheiro da Associação Comercial e Industrial de Joinville - 1985/1987, 1990/1991
      - Presidente do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas, Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas do Estado de Santa Catarina - 1986/1988
      - Membro do Conselho Técnico e Administrativo do Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil - CETIQT (Rio de Janeiro) - 1987
      - Presidente da Sociedade Corpo de Bombeiros Voluntários de Jlle. - 1987
      - Presidente da Federação das Associações Comerciais e Industriais de Santa Catarina - 1987/1989

      Excluir
    9. - Membro da Comissão Permanente de Assuntos Tributários da Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina - 1987
      - Membro do Conselho de Ciência e Tecnologia do MCT - 1988
      - Conselho Deliberativo do Joinville Esporte Clube - 1989/1991
      - Vice-presidente da Sociedade Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville
      - Vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Joinville
      - Membro do Conselho Deliberativo e Consultivo do Joinville Esporte Clube
      - Membro do Conselho Deliberativo da Sociedade Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville - 1990/1992
      - Membro da Comissão Empresarial de Competitividade - CEC - do Ministério da Economia, Fazenda e Planejamento - 1991/1992
      - Coordenador do Comitê Temático de Educação da Comissão Empresarial de Competitividade - CEC - 1991/1992
      - Membro titular, pela Acij, do Conselho Municipal de Meio Ambiente - Condema - 1991/1992
      - Membro Titular, pela Acij, do Conselho Municipal de Habitação e Urbanismo e integrante de suas Câmaras de Desenvolvimento Urbano e de Estudos e Incentivos Socio-econômicos
      - Membro do Conselho Consultivo Empresarial de Competitividade - Concec - 1993

      Atividades cívicas

      a) Menção Honrosa
      - Sesquicentenário da Independência - PMJ/13 BC - 1972
      - Outorga da Ordem da Machadinha do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville - 1979
      - Empresário do Ano - Câmara Jr. - 1989
      - Medalha do Mérito Anita Garibaldi - GSC - 1988
      - Empresário Destaque - Acij - 1996
      - Cidadão Águas Mornenses - PMAM - 1998

      b) Diplomas
      - "Amigo do Nosso Batalhão" - 62º BI - 1988
      - Colaborador Emérito do Exército - EB-BSB - 1989
      - Empresário Profissional do Ano em Recursos Humanos - AAPEJ - 1990



      E o Kennedy? Cadê?

      Excluir
    10. Currículo do Udo mais atual e enxuto:

      www.udo15.com.br/downloads/551

      Excluir
    11. E Joinville ainda tem dúvidas sobre qual opção fazer!!!
      Ainda o pior, tem gente pensando em anular o voto.
      Por favor, Joinvillenses!!!

      Concordo que a imagem que o Udo passa é de um
      gestor carrancudo: gente quem vê cara não vê o coração!!!

      A imagem oposta a dele é muito carismática
      tem a habilidade comunicativa.

      O que digo que Joinville não precisa de blá.blá.


      Precisamos de um gestor comprometido com as políticas públicas e que concilie a isto as análises administrativas compartilhadas com pessoas competentes e que tenham bagagem técnica (sem vínculos partidários) que estão dispostas a dialogar com todos os segmentos de Joinville.

      Que olhe Joinville com o sensibilidade e não por cifras $$$

      Que esteja preocupado com a GERAÇÃO que já está ai e não com a próxima ELEIÇÃO.

























































































      Excluir
  7. Alvaro Junqueira de oba-oba e tralalá você entende bastante né amigo!!!

    ResponderExcluir
  8. Mário Cezar da Silveira21 de outubro de 2012 15:46

    Agradeço ao Álvaro pela ajuda.
    UDO ou KENNIDY???? Tenho me dedicado a buscar instrumentos isentos e racionais pra decidir entre um e outro.
    Se avaliar pela imagem, pela segurança nas propagandas, pelo marketing das propostas. Voto Kennedy.
    Mas, se olho para as propostas que foram apresentadas e tento vê-las como realizáveis, já perco a convicção inicial. Como técnico, ao avaliar a proposta dos elevados, vejo-a como mal embasada e como solução eleitoreira, pois, se elevados fossem solução à mobilidade urbana, São Paulo não bateria diariamente recordes de congestionamentos, pois começou a construí-los na década de 30, com o prefeito e engenheiro Prestes Maia.
    A solução para o trânsito, está em decisões responsáveis, mas pouco populares, não de facilitar a circulação de veículos "de passeio", pois é impossível para o município ter capacidade de investimento para acompanhar o aumento "diário" e substancial da frota. Há sim, a necessidade de choque de gestão na qualidade e eficiência do transporte coletivo, em assumir a responsabilidade do poder público da sua obrigação de fazer as calçadas com qualidade, acessibilidade e, "iluminadas", para que as pessoas voltem a sentir prazer e segurança em caminhar por elas. É preciso investimentos planejados e crescente nas ciclovias, interligando-as com outros modais de transporte e áreas de maior confluência dos interesses de trabalho, lazer, cultura, educação, etc.
    Usar a proposta dos elevados como solução da Mobilidade Urbana é tecnicamente fraca e me soa como demagogica estratégia de ganhar votos.
    Se avaliar pela história como administrador. Voto Udo.
    Mas se olhar pelo traquejo político e pela empatia que o cargo de prefeito exige, me volta a dúvida, pois a gestão pública, se não aliada à capacidade de negociação política passa a ser quase irrealizável.
    A conclusão a que chego é que, pensando no que quero prá cidade que amo e na qual escolhi viver e ser feliz, vou pela capacidade do administrador se adaptar à política, pois tenho medo dos castelos de areia e das decisões feitas só com motivação eleitoreira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ôpa... mais um para o Udo!!! Sou Udo primeiro e segundo turno mas concordo que estamos numa decisão difícil. Voto no Udo pela pessoa do Udo. E tento me esquecer do resto (PMDB, LHS, etc)...

      Excluir
    2. Mário Cezar da Silveira21 de outubro de 2012 19:59

      Anônimo, esqueci de citar que entre meus medos com relação a Udo, está no seu padrinho político, LHS, sobrevivente representante do coronelismo e do curral político. Mas, me alivia o fato de imaginar que sua influência deve se limitar aos pitacos políticos, pois não consigo imaginar Udo Doehler, um administrador responsável, preterir suas decisões técnico-administrativas, à questões meramente de interesses políticos partidários, pois pode ver denegrida sua história e credibilidade

      Excluir
    3. Mas quando o cara entra na politica não tem como ele não se contaminar. Ainda mais o Luiz Henrique, aquela velha raposa. Quando eu fiquei sabendo que o Udo ia ser candidato logo eu pensei em votar para ele mas quando soube que quem estava por trás era o coronel desisti na hora.

      Excluir
    4. Anônimo 21:16 Até parece mesmo... Desistiu nada, só esta encenando pra botar um bichinho na cabeça de quem vai votar nele, conheço bem esta estratégia, lidei com petistas a vida toda na internet... As pessoas que votam no Udo votam nele e não tem nada de influencia do LHS, só um ou outro cabeça fraca mesmo...

      Excluir
  9. Coincidentemente dia 28 de outubro é aniversário do Udo... Votarei nele, mas acho que ele não terá um bom presente infelizmente!

    ResponderExcluir
  10. Honesto Trabalhador21 de outubro de 2012 17:27

    Faltou uma informação importante: dizer quanto o "Tudo Dele" pagou por este post. Incrível como algumas pseudo inteligências se submetem a defender o indefensável... Udo Döhler honesto e trabalhador é "pracabá"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HONESTO E TRABALHADOR SIM SENHOR! Agora o cara ficar rico com o próprio esforço é o que? Este país é uma piada, estudar, batalhar e ficar rico por conseqüência disto é como se fosse um CRIME! Agora enriquecer através da política é meritoso... É uma puta inversão de valores mesmo...

      Excluir
    2. Dizer que Udo não é honesto?
      Não sabe do que tá falando.

      Excluir
    3. Ser empresário de sucesso é um crime nesse país. O sujeito tem que "crescer" na política, assim como 99% o fazem.
      Sabe de uma coisa, Joinville merece mesmo ter um "político de profissão" no poder, alguém que sequer sabe administrar a despensa de casa. Um ator, um sonhador.
      Parabéns meu povo.

      Excluir
    4. Claro que é crime. Ser empresário de sucesso significa dar emprego para que as pessoas possam tirar seu sustento, pagar suas contas e darem uma vida confortável às suas famílias. Ser justo mesmo é dar tudo pelo governo, não trabalhando. Trabalhar é chato. Por isso é melhor o cara que usa parte do dinheiro que eu pago em impostos (que é boa parte daquele dinheiro que eu recebo trabalhando) para ficar rico, sem trabalhar arduamente e sem ficar dando emprego para os outros. O importante é ter cargos. :)

      Excluir
    5. Cara que se une ao LHS é honesto??
      O udo foi um dos maiores responsaveis pela pouição do rio cachoeira, nunca comprimentou niguém e agora é popular??
      Para quem criticou o Carlito, dale 55 neles...

      Excluir
    6. Com base em que você diz que ele foi um dos que mais poluiu o rio Cachoeira? Só me lembro de um fato por uma falha técnica, e a Döhler prontamente assumiua a responsabilidade.

      Excluir
    7. é é é, quem a Fabril Lepper é que mais despeja coisa ali.

      Excluir
  11. O cara só tá defendendo o quinhãozinho dele tá certo!!! Quer voltar a ser assessor de imprensa da prefeitura. Mas não vai não!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E se o KN ganhar as eleições, quem será seu assessor de imprensa? Diz aí, o povo quer saber.

      Excluir
    2. Pergunta pra ele. O Junqueira que nao vai ser.

      Excluir
  12. Síntese do brainstorming da versão manezinho da ilha do Reinaldo Azevedo: votar em Udo é salvar a civilização Ocidental, fazendo-a voltar à velha ordem, onde todos ocupavam exatamente os lugares que lhes eram devidos: homens brancos e heteros no comando; mulheres na cozinha; negros na senzala; pobres na periferia; gays no armário; etc...

    E me perguntam por que ainda continuo de esquerda? Simples, enquanto a alternativa à esquerda for a direita, principalmente esta direita, minha opção é drummondiana: ser um gauche na vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E votar no Kennedy é o que? Salvar a civilização ocidental cristã neopentecostal católica carola ortodoxa? Entre na página de facebook dele e veja o que é fanatismo... Tem pessoas fazendo propostas de praças bíblicas para leitura diária de bíblia! Pessoal só cita trechos da bíblia, só deus, não falam nada de propostas para o que realmente interessa... Gente totalmente alienada, um absurdo...

      Excluir
    2. O Kennedy não prometeu e nem pode salvar a civilização ocidental. Acontece que alguns eleitores evangélicos menos esclarecidos não sabem que o estado é laico e por isso fazem essas propostas de natureza religiosa. É óbvio que o Kennedy não vai poder atendê-los.

      Excluir
    3. O Kennedy me parece mais focado em salvar a civilização ocidental do que o Udo que além de propor coisas mais realizáveis ele fala como irá fazer... o Kennedy promete indiscriminadamente de forma leviana, cheia de rodeios e palavras bonitas para confundir o eleitor!
      Aliás, coisa que não terá no governo do Kennedy é o espaço aos homossexuais, como todo bom evangélico neopentecostal, abomina o homossexualismo... E a pessoa que seguir o umbandismo/espiritismo/ateísmo? Será que terão espaço no governo de um evangélico neopentecostal?

      Excluir
    4. Você quer cargos na Prefeitura para gays e macumbeiros? ah, sei lá! Isto você vai ter que reinvidicar para ele que é o candidato. Reinvidica para o Udo, também e vota no que te atender melhor. Pessoalmente, eu sou contra mas se eu fosse o prefeito eu iria preencher os cargos com critérios técnicos, independentemente, de crença ou opção sexual.

      Excluir
    5. Sosseguem, anônimos. Eu não voto no Udo, mas tampouco no Kennedy. Porque um dia acreditei que votar no "menos pior" podia ser uma alternativa, no passado já ajudei a eleger Paulo Afonso Vieira governador e o Luiz Henrique prefeito.

      E como aprendi, principalmente com negros, mulheres, jovens, gays, cidadãos de origem humilde e vítimas de injustiças, enfim, esta gente responsável pelo enésimo declínio da civilização ocidental, que não se participa da vida pública apenas com o voto em dia de eleição, hoje anulo o meu sempre que me apetece.

      Ou, para ser mais preciso, quando nenhum candidato, partido ou proposta me apetecem.

      Excluir
  13. Não estou entendendo, agora querem patrulhar quem pode e quem não pode escrever este blog?

    Vocês esquecem que perderam já no primeiro turno e que o seu adesismo fisiológico é só pela dificuldade de achar trabalho num mercado competitivo e exigente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahn? Dificuldade de quem? Não entendi

      Excluir
    2. Me parece que quem tem mais dificuldade em arranjar trabalho num mercado competitivo e exigente é o político profissional, que a cada dois anos fica querendo pular de cargo em cargo pra garantir sua tetinha do governo. Ou o blog tá gerando dinheiro e eu não sabia? Vai ver o ET Barthes recebe uns 50 mil reais por mês e divide em uns 6 mil pra cada um que aqui escreve. Pô, vou mandar meu currículo!

      Excluir
    3. Maldito ET. Se eu só recebo 6 mil, então ele está ficando com a parte do leão.

      Excluir
  14. eu perguntei para o anônimo das 18:08, tlz ele saiba quem será.

    ResponderExcluir
  15. MAIS DO MESMO
    por Udo Döhler

    Joinville não pode passar mais quatro anos repetindo os equívocos cometidos pelas administrações desta última década. Nossa cidade não pode se submeter de novo aos desmandos de um grupo que se uniu desesperadamente para se perpetuar no poder. Para eles, vale tudo, até apagar um passado muito recente, pontuado por ataques mútuos, e passar por cima da incompatibilidade de projetos que os mantinha a léguas de distância. De mãos dadas, torcem para que a população seja igualmente desmemoriada e venha a julgar natural uma aliança tão improvável.

    Foi assim que o discurso “eu sou a nova política” ruiu do lado de lá. Eles tentam, mais do que nunca, convencer a população de que somos nós que representamos aquilo que o meu adversário chama de “a velha política”. Baseiam essa frase de efeito principalmente no apoio dado pelo senador Luiz Henrique da Silveira a minha candidatura. Só há um problema: não se muda o que é fato. Joinville se desenvolveu com vigor e viveu o tempo das grandes obras nos períodos em que foi governada pelo PMDB. Não sou eu quem diz. A história mostra. A boa gestão é atemporal, não envelhece. E a política exercida de forma coerente e ética, muito menos.

    Ao contrário do time do lado de lá, não tenho a menor pretensão de fazer carreira política. Não me candidato nestas eleições já de olho em um próximo mandato. Não quero usar a prefeitura como trampolim para nada. Eu sou um empresário, um gestor. Eu “estou” político. E minha maior missão hoje é mostrar que Joinville não merece ter, em 2013, mais do mesmo, ou corremos o risco de perder de vez o bonde da história.
    -
    Fonte: http://udodohler.com.br/blog/2012/mais-do-mesmo/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem escreveu este texto foi o LHS. O Udo só assinou.

      Excluir
    2. Tudo isso por causa de birrazinha com o LHS.
      Eu também não gosto dele, mas daí entregar a cidade em bandeja de prata para o Kennedy, é pra foder com as ideias.
      Zé Bolinha

      Excluir
  16. Meu! Esse site/blog já foi mais sério. To quase comparando a Gazeta. Que pena.

    ResponderExcluir
  17. A gente pode dar um passo atrás, na verdade, dois passos atrás e procurar um outro lugar para passar o abismo.
    Maikon K

    ResponderExcluir
  18. Aos marqueteiros de plantão , quem foi o melhor prefeito de Joinville ? um politiqueiro ou um administrador de empresas ?

    Desde que Wittich Freitag saiu da prefeitura, Joinville praticamente parou no tempo. Parou mesmo porque a quantidade de impostos que a cidade recebe, não fazem jus às pequenas obras nela executadas.

    ESTAMOS SUCATEADOS, laser, cultura, esportes, infra-estrutura,etc.
    Nossa cidade deveria estar muito melhor do que é hoje, mas raramente se interessaram em melhorar a cidade ...

    Literalmente estamos 10 anos atrasados, e por ironia do destino, a coligação que quer enfiar o KCT no povo faz parte desses 10 anos de prefeitura(direta e indiretamente).

    Não sou partidário do PMDB, tão pouco gosto do lider do partido, e também não tenho origens alemãs, Mas só por causa do "soldado de frente" que é um alemão "carramcudo" que mal sabe se expressar, MAS digamos que também é "culhudo" e que não tem nada à perder em desafiar o alto escalão do partido e todos os vício$$$ da velha prefeitura, Eu acredito que ele vai fazer uma administração boa(udo não vive de política), Então vou apostar minhas fichas nesse Senhor.

    Gostaria que todos refletissem sobre isso:
    Quem de verdade vai estar na linha de frente do comando da cidade nos próximos anos:
    -Os faladores do KCT que prometeram mundos e fundos,
    -Ou o mão na massa que não precisa viver de dinheiro desviado da política?

    Bom dia e boa semana à todos;
    Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Wittich Freitag foi aquele prefeito que colocou uma equipe da PMJ na Rodoviária mandando o povo do Paraná pra sua terra de origem ?

      Maikon K

      Excluir
    2. Sim, este mesmo! O Udo vai fazer a mesma coisa, se eleito for.

      Excluir
    3. Exatamente, Maikon. E livrou a cidade de um punhado daquela gentalha a que o nosso Reinaldo Azevedo ilheu se refere: pobre, feia e ignorante, enfim, verdadeiras ameaças à civilização medieval, quer dizer, Ocidental.

      Excluir
    4. Marcos, lamento informá-lo, mas Jville. está bem mais que dez anos atrasada. Vá até o Arquivo Histórico e dê uma olhada no último Plano Diretor da cidade. Ele é dos anos 70!!

      Então, a cidade está pelo menos 40 anos atrasada, e a gestão Freitag não moveu uma palha para mudar este quadro, a não ser expulsar os indesejáveis e reenviá-los ao seu lugar de origem, como bem lembrou o Maikon.

      Mas não se preocupe, se o Udo ganhar ele vai distribuir muito laser e também fasers. Mas eu recomendo usá-los sempre, os fasers, no modo tonteio.

      Excluir
    5. Como assim o Sr. Udo não tem nada à perder, desafiando o alto escalão do partido???? Meu caro, se fosse mesmo culhudo teria saído candidato pelo PR, seu partido até 12 meses atrás. Você vem me dizer que um cara que se vendeu para o PMDB terá coragem de desafiá-lo???? Udo tem uma obrigação moral com LHS, a Marquês de Olinda original passava no tereno da Döhler, foi alterada em troca do apoio da Döhler, se fazia campanha dentro da empresa à época. Pergunte para quem sabe e não irá revelar lógico, nesta semana tão importante para o partido.

      Excluir
    6. tá certo...conseguiu achar um erro gramatical para fazer uma piadinha amigo !?

      Bom, 1° que não sou bairrista porque não sou Joinvillense de nascença, mas desconheço esse fato dos "forasteiros" deportados. hoje conheço muitos paranaenses em jlle e eles não se diferem de nenhuma outra naturalidade do brasil, alguns são bem trabalhadores enquanto outros são bem vadios. e atualmente tem até paranaense chamando os imigrantes pernambucanos de invasores.
      Sobre gestão municipal, moro no Vila Nova/Zona Oeste, bairro que apesar de ser muito populoso e não ter área de invasão, passou a última década largada ao "deus dará" na mão dos últimos 2 prefeitos.

      Excluir
    7. Marcos, para um trekker foi quase impossível perder a piada com laser e fasers.

      Quanto a disputa Udo e Kennedy, já disse neste e em outros posts o que penso.

      Não voto em nenhum dos dois, não confio em nenhum dos dois, e acho que, independente de quem vença, Joinville continuará a somar mais alguns anos no atraso a que você se referiu. É uma pena, mas fazer o que? É do jogo democrático: só pode haver um.

      Excluir
    8. @Clóvis
      - Você precisa ser tão linear, Clóvis Gruner ;)

      Seguinte amigo, essa eleição está difícil mesmo escolher.

      Mas já que em terras tupiniquins o voto nulo não tem tanta validade assim, o jeito é cada um escolher seu "menos pior" e rezar para que alguma coisa dê certo depois...

      Excluir
    9. Tá certo, tinha mais é que mandar embora mesmo!
      Já não tinha habitação e empregos o suficientes para os que aqui nasceram, para os que já tinham vindo antes. Era bem fácil para as prefeituras das cidades do interior do Paraná mandar para cá seus problemas.
      Eu tenho montes de problemas na minha casa, posso passar aí na sua e deixá-los?
      Demagogos iguais ao Kennedy. Falar é fácil, quero ver é resolver os problemas.
      Pancho

      Excluir
    10. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    11. kkkkkkkkk, comunista!

      Excluir
    12. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    13. Uma pergunta ao Sr. Clóvis Gruner: Se os paranaenses gentalhas como o senhor descreve em seu post do dia 22/10;2012, 14:10: "Exatamente, Maikon. E livrou a cidade de um punhado daquela gentalha a que o nosso Reinaldo Azevedo ilheu se refere: pobre, feia e ignorante, enfim, verdadeiras ameaças à civilização medieval, quer dizer, Ocidental." o que o senhor faz em Curitiba, no meio de tanta gentalha? Acredito que moramos em um país onde todos tem direito de ir e vir, certo? E respeitar as pessoas e suas naturalidades é algo que também acredito fazer parte da ética profissional de um historiador...

      Excluir
    14. Uma pergunta ao Sr. Clóvis Gruner: Se os paranaenses gentalhas como o senhor descreve em seu post do dia 22/10;2012, 14:10: "Exatamente, Maikon. E livrou a cidade de um punhado daquela gentalha a que o nosso Reinaldo Azevedo ilheu se refere: pobre, feia e ignorante, enfim, verdadeiras ameaças à civilização medieval, quer dizer, Ocidental." o que o senhor faz em Curitiba, no meio de tanta gentalha? Acredito que moramos em um país onde todos tem direito de ir e vir, certo? E respeitar as pessoas e suas naturalidades é algo que também acredito fazer parte da ética profissional de um historiador...

      Excluir
    15. Léla, se você não entende o conceito de ironia e não a reconhece em um texto, bom, eu lamento, mas não serei eu a ensiná-la.

      Excluir
  19. Meu Deus, quanta besteira! Infelizmente o Kennedy já levou essa eleição, encerramos o assunto.
    Nem o LHS conseguiu eleger o 'mão limpa' Udo Dohler.

    Meu voto não foi nehum deles no primeiro....só acho interessante os ultimos posts desse blog que se diz imparcial, defendendo com unhas e dentes o Udo...rss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felizmente o Kennedy vai levar esta eleicao p desespero do LHS.

      Excluir
    2. Joinville está sorrindo para Kennedy e dizendo: FODA-ME por favor.
      AHAHAHAH

      Excluir
  20. Carlito apóia Kennedy. Ideli apóia Udo. Adilson Mariano apóia o voto nulo. PT estadual apóia a neutralidade. Alguém apóia a vergonha na cara?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raimundo Colombo apóia Udo. Luis Henrique apóia Udo. Jorge Bonhausen apóia Udo. Todo mundo sabe porque o governador apóia Udo né??? Não amigo, vergonha na cara não se coligou com ninguém!!!

      Excluir
  21. LHS já nos deixou o Tebalde de herança e agora vai deixar o K55. Udo perdeu a chance de limpar a mão, pedindo desculpa pelo ato nazista de seu funcionário, preferindo chamar a pobre que foi amarrada de mentirosa. Atolou as duas mãos na lama e perdeu meu voto.

    ResponderExcluir
  22. Adendo importante pra quem gosta de política

    HOJE: DEBATE na RIC/Record - segunda (22) por volta das 23 horas e será mediado por Osny Martins.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Debate? Acho que será um monólogo... Pq o poste do UDO no debate da RIC/RECORD no 1° turno teve a proesa de ficar 20 minutos calado no momento da sabatina aos candidatos! Só respondeu quando foi sabatinado! Não ter facilidade para falar, para se comunicar é uma coisa, agora não ter competência para sabatinar alguém, para questionar alguém, é muito feio. Todos nós, comunicadores ou não, do meio político ou não, precisamos de um pouco de inteligência social e isto falta ao sr. Udo!

      Excluir
    2. FALTA COMUNICAÇÃO E SOBRE MUITA MAIS MUITA COMPETENCIA!
      COISA QUE NÃO VEMOS EM MOMENTO NO CENARIO POLITICO!
      ENTÃO FICA ELAS POR ELAS!
      VOCE PREFERE UM ORADOR OU UM DOS GESTOR MAIS RESPEITADO NO PAIS!

      Excluir
    3. Não vejo tanta competência assim no Sr Udo...
      A Dohler continua fazendo toalhas até hoje e pela idade que tem, era pra ser maior do que a Hering de Blumenu e a Malwee de Jaraguá por exemplo... Mas não é... E é muito diferente da Consul de Freitag, que fazia um produto completo.
      A Dohler é um exemplo em redução de custos, mas não é um exemplo em inovação, trabalho social, sustentabilidade, valorização do quadro de colaboradores e etc... Se o Udo for cuidar de Jlle como cuida da Dohler, estamos mal, pois a Dohler nem pintada/limpa por fora é... Enfim, um prefeito tem que ser sensível as causas sociais, gostar de gente, de viver com as pessoas, será alguém que irá nos representar, precisa ser alguém com inteligência social, não apenas que fale bonito, mas que consiga entender os verdadeiros anseios da população e não alguém que só saiba ver um DRE e mandar cortar gastos, Joinville pode mais!!

      Excluir
    4. Cortar gastos onde???? Criticaram a aliança política do Kennedy e seus cargos. Hoje vejo o horário político e descubro que o Udo vai transformar os postinhos de IPTU, porque chamar aquilo de secretaria regional é tirar sarro do contribuinte, em sub-prefeituras. Como ele vai fazer isso sem colocar mais gente lá???? Ou os três a 4 gatos pingados que estão lá vão fazer "tudo" o que esse senhor deseja????

      Excluir
    5. Me diverti com o horário eleitoral hoje, chamavam o 55 de lunático, em função dos seus viadutos, que era demagogia demais!!!! Aí, como num passe de mágicas aos 47 do segundo tempo, me aparece um louco falando de pontes!!!! Isso mesmo no plural, ponte daqui pra lá, de lá pra cá, de não sei onde pra não sei onde. Pena que na Marquês de Olinda não tem como fazer ponte!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk. É o desespero em reta final, é o tudo ou nada!!!! Me lembra um candidato que queria fazer táxi no rio cachoeira, que o joinvillense poderia ir de barco até são chico, passear, trabalhar!!!!! Horário político tá melhor que o Zorra Total!!!

      Excluir
    6. Uma cidade com vários rio cortando ela, convenhamos que ponte é algo que pode ajudar muito e facilitar as ligações... Viaduto é algo complicado que exige muito dinheiro em desapropriações! Joinville precisa de alguns viadutos sim, mas muito menos que pontes!

      Excluir
    7. Do centro de Joinville leia-se morro do boa vista para o Vila Nova, Glória, Costa e Silva, Nova Brasília, Itaum, me cite um rio que precisa de ponte!!!! Um apenas, não preciso mais do que isso!!! Resolva o problema da Marquês de Olinda com ponte, então não venha me dizer que mobilidade urbana é construir ponte!!!!

      Excluir
  23. PESQUISA COOPERFIL CONFIRMA PESQUISA IBOPE. O CANDIDATO KENNEDY NUNES TEM 54,38% CONTRA 31,93% DO CANDIDATO RACISTA. INDECISOS SÃO, 9,36% E VOTOS NULOS SÃO 4,32%. MAS É PROVÁVEL QUE ESSA DIFERENÇA DIMINUA E A TENDÊNCIA E QUE ATÉ SEJA REVERTIDA POIS A PARTIR DE AMANHÃ, TERÇA-FEIRA, A MINISTRA IDELI SALVATTI A PEDIDO DO SENADOR LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA DESEMBARCARÁ EM JOINVILLE JUNTAMENTE COM O SENADOR PAULO BAUER ONDE FICARÁ ATÉ O DIA DA ELEIÇÃO TRABALHANDO, DIARIAMENTE, PELA ELEIÇÃO DO CANDIDATO DO PMDB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Racista? Intransigente? Sei não hein?
      Tem facebook?
      Dá uma olhada no perfil de uma senhora chamada ELIANE DE ABREU, evangélica, apoiadora do Kennedy e adivinha sua profissão e a empresa que ela trabalha?
      - Sim, ela é costureira e trabalha na empresa do sr. Udo Dohler.

      Então por favor, senhores eleitores e apoiadores do Kennedy: NÃO ME VENHAM COM HIPOCRISIA, ok?

      Ze Bolinha

      Excluir
    2. hum...Não sabia que evangélico é raça. Vou ter que voltar a estudar.

      Excluir
    3. É, vai estudar mesmo, essa ladainha já encheu o saco.
      E vc sabe muito bem que a menção "evangélica" poderia ser "católica". Vá lá no face e veja a pessoa. Depois volte aqui e diga que vc viu a branca de neve.
      Beijos na bunda.
      Zé Bolinha

      Excluir
    4. Tem a Ednise lourenço também! Aliás, linda hehehe

      Pessoal quer um monte de negros na Döhler sendo que Joinville nem tem tantos negros assim em relação ao resto da população... Medir a competência de um administrador pela quantidade de negros na empresa é o cúmulo da idiotisse mesmo... Ainda mais em Santa Catarina, um estado predominantemente branco!

      Excluir
  24. Vou votar nulo, mas talvez vote Kennedy só pra barrar as viúvas do LHS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, vota no Kennedy... Depois não venha reclamar.

      Excluir
  25. Kennedy é o caso típico do político que foi sendo construído por si mesmo para chegar nessa posição de destaque. Explico: ele utiliza as duas formas mais fáceis de se adquirir popularidade e assim beliscar cargos públicos. Utiliza a Igreja e a Mídia para se auto-promover. Hoje, são cada vez mais raros os políticos que se destacam por atuações em defesa de classes, líderes de movimentos sociais ou empresariais e cada vez mais ex-jogadores de futebol, BBB's, modelos e sub-gêneros. Kennedy segue a cartilha pregada por Antony Garotinho: radialista, membro de igreja evangélica, político, demagogo, populista...
    Enquanto escolhermos nossos representantes apenas pela fluidez do seu discurso ou do seu grau de exposição na mídia, mais teremos amadores administrando o dinheiro público. Mais teremos aproveitadores e sangue-sugas que utilizam a política como meio de vida e de enriquecimento pessoais.

    ResponderExcluir
  26. Mais uma opiniao idiota.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem