sexta-feira, 13 de maio de 2016

Bem vindo ao passado, com Michel Temer















POR SALVADOR NETO

Seja bem vindo ao passado que acaba de voltar à cena. Parece filme, mas não é. A população acreditou no discurso da mídia/oposição/mp/judiciário e pensa que com Michel Temer, desde esta quinta-feira (12/5) o presidente em exercício do país, tudo vai mudar. Como se ele e o PMDB tivessem o receituário da vida eterna, sem crises, uma maravilha. Já escrevi aqui, e retomo sem medo, que não há crime da presidente Dilma Rousseff, mas houve uma bem sucedida articulação que culminou com seu impedimento, a meu ver, irreversível. É fato, e o tempo, sempre racional, mostrará.

É cômico, e claro entristecedor, ver até jornalistas e alguns intelectuais, além de boa parte da população, afirmar que o PT, Dilma e Lula quebraram o Brasil. Sim, pois esquecem que esse trio está apenas 14 anos no poder central, enquanto PMDB, PSDB, DEM, PP, e outros menos votados, não saem do governo federal desde a redemocratização em 1985. Poucos minutos de pesquisa apontam fácil, fácil o que digo.

Por falta de pesquisa muita gente não sabe que entre os deputados e senadores deste belíssimo parlamento brasileiro estão latifundiários com casos de trabalho escravo em suas fazendas, outros com acusações de tráfico de drogas, muitos fanáticos religiosos, muitos, mas muitos empresários, que defendem desde sempre somente o seu direito às benesses do Estado e muitos representantes de classe elitista. O povo? Ah, o povo... não precisa de representantes...


Como diz o jornalista Mino Carta, a Casa Grande e a Senzala mandaram diretamente neste imenso latifúndio Brasil por cinco séculos. Nos governos petistas, mandaram em parte, nos acordos pela governabilidade. Graças a popularidade do ex-presidente Lula, os avanços sociais se sucederam ao longo dos somente 14 anos que governaram juntos. Bolsa Família, ProUni, Pronatec, políticas especiais para as mulheres, Minha Casa Minha Vida, milhares de obras federais direta ou indiretamente realizadas ou em realização pelo pais, gerando empregos e renda com os PACs, rodovias, ferrovias, retomada da indústria naval, entre outros projetos que marcaram o período.

O passado está de volta, minha gente, e logo vamos sentir e lembrar daqueles tempos, e comparar com este que finaliza sob grande regozijo da classe empresarial. Nos tempos tucanos-peemedebistas, direitos dos trabalhadores foram suprimidos. Manifestações das movimentos sociais eram reprimidas com a força. Para quem estava com saudades, o filme está voltando. 

A ponte para o futuro de Temer é uma miragem que pretende seduzir trabalhadores que ganharam muito nos últimos anos, e que ao perder poder econômico e empregos nesta crise financeira que nos atingiu, se voltaram contra o governo. O “corte” de despesas, a “reforma” previdenciária, a “redução” do Estado, a supressão de ministérios voltados às mulheres, índios, negros – aliás, não há mulheres no ministério Temer, isso diz algo à elas? – tudo isso sinaliza para tempos sombrios aos direitos dos trabalhadores. Infelizmente.


Virão aí as privatizações do que o PSDB e o PMDB nos tempos de FHC, não conseguiram finalizar. Tudo em nome de nos colocar novamente de joelhos perante o capital internacional, aos rentistas, relegando o futuro de milhões de jovens a ser mão de obra barata e sem direitos aos grandes negócios dos empresários , boa parte deles que sempre estão por trás da corrupção que transborda hoje na Lava Jato.

Retiraram com um golpe parlamentar a primeira mulher presidente do Brasil, talvez a única honesta, sem contas na Suíça, nem acusações de corrupção, para recolocar o governo nas mãos de quem já conhecemos, por seu passado nada elogiável. Saberemos o que isso vai nos custar, brevemente. 

Para finalizar, deixo alguns dados para reflexão dos leitores, e para comparação futura. 
A Presidente eleita Dilma Rousseff deixa para o presidente interino uma herança desejada por qualquer governante:

1) As reservas internacionais líquidas do Brasil são de US$ 376,3 bilhões (eram de apenas US$ 16 bilhões em 2002).
Elas superam, com folga, toda a dívida externa do país, que é de US$ 333,6 bilhões.
Assim, o Brasil é credor externo líquido em US$ 42,7 bilhões.

2) O Brasil é credor do FMI:

3) A dívida pública líquida é de 38,9% do PIB (era de 60,4% do PIB em 2002).

4) Os investimentos externos produtivos (IED) no Brasil foram de US$ 78,9 bilhões nos últimos 12 meses (Abril 2015 a Março 2016), sendo equivalentes a 4,56% do PIB;

5) O Brasil tem o 7o. maior PIB mundial (era o 13o. em 2002);

6) A Renda per Capita é de US$ 10.000 (era de US$ 2.500 em 2002);

7) A taxa de inflação está despencando e deverá fechar, segundo o Banco Central, 
perto do teto da meta em 2016, ficando próxima de 6,5% no acumulado do ano. Para 2017, já se prevê uma taxa de inflação perto do centro da meta (de 4,5%);

8) O salário mínimo é de R$ 880,00, equivalente a cerca de US$ 250 (era de US$ 55 em 2002);

9) O déficit externo, em transações correntes, está em 2,39% do PIB, no acumulado de 12 meses (terminado em Março de 2016), e continua caindo rapidamente;


10) O Superávit comercial foi de US$ 19,7 bilhões em 2015, já acumulou US$ 14,5 bilhões em 2016, sendo que estimativas apontam que o mesmo poderá chegar a US$ 50 bilhões neste ano.

Anote aí. Os dados são do Banco Central do Brasil, oficiais. Seja bem vindo ao passado.


É assim nas teias do poder...

18 comentários:

  1. Primeiro ponto: houve crime de responsabilidade fiscal, vários aliás, desde 2013, porém somente os crimes de 2015 foram analisados no processo de impedimento. Nos crimes de 2015 (descontando as citações da presidente no petrolão), sobressaem dois: assinaturas de créditos suplementares sem o consentimento do legislativo – um crime gravíssimo, sobretudo quando o governo não atende as metas fiscais - e a coerção de bancos controlados pela União para que os mesmos pagassem os custos do Tesouro, dando a falsa impressão de que o governo estava seguindo as metas fiscais. Em outras palavras: Fraude!

    Segundo ponto: “apenas 14 anos” é metade do período de redemocratização do Brasil. Nossa constituição é de 1988. Vejamos: 5 anos José Sarney (PMDB), 2 anos Collor (PRN), 2 anos Itamar Franco (PMDB), 8 anos FHC (PSDB), 8 anos Lula (PT) e 6 anos Dilma (PT). O PT governou metade do período democrático brasileiro e, sim, destruiu a economia do país e todas as conquistas dos brasileiros dos últimos 20 anos. A última recessão do Brasil na década de 30 do século passado, acompanhada pela grande depressão norte-americana.

    Terceiro Ponto: sobre as bancadas, suas acusações contra os latifundiários são infundadas. Idem para os supostos tráficos de drogas. Agora, fanáticos, tem aos montes: sobretudo religiosos e comunistas, com a diferença que os primeiros ao menos são coerentes e pragmáticos. Todos que estão lá são representantes do povo, porque foi o povo que os colocou lá. Quer apenas os seus representantes no legislativo? Em Cuba ou Coréia do Norte só tem um partido, quem sabe você não o adote e o chame de seu.

    Quarto ponto: os programas sociais foram um desastre, exceto o Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida (com ressalvas pela péssima qualidade dos materiais). Os programas voltados para educação não decolaram (o FIES foi cortado e únicos contentes são os estudantes beneficiados pelo programa “Turismo Sem Fronteira” que banca turistas nos EUA e Europa). OS PAC’s foram um desastre retumbante, a percentagem do que se propunha e se entregava era de 10%, 15%. A indústria naval foi uma piada de mau gosto, bilhões jogados no ralo com estaleiros brasileiros que fabricam, quiçá, a carcaça para ser finalizada em algum estaleiro da Coréia do Sul, China ou Cingapura, encarecendo ainda mais o produto.
    Quinto ponto: de fato o passado parece estar de volta. O passado da boa gerência que trouxe a estabilidade econômica ao Brasil. O passado que foi negligenciado a partir de 2008, quando o governo resolveu usar dinheiro dos contribuintes para capitalizar setores onde o privado poderia atuar muito melhor. Aeroportos, portos, ferrovias, rodovias tudo poderia ser privatizado, mas a sanha do governo em participar de tudo era maior, nada poderia ser feito sem o Estado, por isso o financiamento de 100% de obras caríssimas no Brasil e no mundo com o dinheiro dos contribuintes brasileiros, causando dependência em relações espúrias entre público e privado. Sem contar subsídios na energia elétrica e na gasolina (compravam por 10 e revendiam por 5) quebrando estatais e fazendo com que o contribuinte atualmente pague a conta com juros e correção monetária.

    Conta dos governos petistas: educação ruim, saúde ruim, segurança pior.

    Temer e os brasileiros terão êxito se o governo adotar medidas econômicas contrárias do que vinha sendo feito. Quanto ao PT e sua trupe de incendiários: que vão para o esgoto da história política, que é lá o lugar deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Antonio Carlos, é um golpista bem treinado... e só lê o que lhe interessa... mas seja feliz, o seu Temer e o seu PMDB, vão lhe dar tudo o que mereces, sucesso!!

      Excluir
    2. Grato pela parte que me toca. Ouvir golpista da boca de um esquerdista virou uma dádiva.

      Excluir
    3. Provavelmente o sr. Antônio Carlos vivia em outro continente ou em outro planeta antes do governo do PT. Na minha época universidade federal era um sonho muito, mas muito distante. Somente os mais favorecidos tinham alguma chance. Crédito estudantil? Somente o Crédito Educativo com recursos infinitamente inferiores aos oferecidos pelo FIES no governo do PT. Provavelmente você está na classe que citei acima. Hoje graças ao PT tenho uma filha quase se formando na UFMG e um filho na FUMEC em BH, faculdade particular. 100% de FIES, está realizado o sonho de cursar Engenharia Aeronáutica. Universidades federais estão em cidades onde jamais um governo PMDB-PSDB investiria. Sonhos eram possíveis de se realizar na era PT. Espero que você não tenha filhos que venham a precisar de escola financiada ou pública porque isso já era se a Dilma não voltar. Abra sua mente e critique sim, mas leia a história antes de dizer tanta besteira.

      Excluir
    4. Gilberto Moreira da Silva14 de maio de 2016 13:51

      É impressionante a falta de capacidade do articulista em contrapor pontos em um debate. Apresentou seu texto de acordo com seus interesses, apresentando arguições e dados que são questionáveis, já que apenas aponta o bônus e nunca o ônus. Esqueceu por exemplo de citar que temos hoje no país 11 milhões de desempregados, que houve maquiagem nas contas públicas – o chamado estelionato eleitoral e que também ficou conhecido por pedaladas fiscais – no final do primeiro mandato de Dilma para vencer as eleições, situação que continuou no segundo mandato e que causou sua queda irreversível, mas negado diante da clareza da lei o crime de responsabilidade no artigo em questão. O discurso é pífio. As contas do governo de 2014 foram desaprovadas por unanimidade pelo TCU... Ah, mas o articulista em um comentário contrapondo uma argumentação minha recente por aqui achou que todos eles são golpistas.

      Me causa estranheza um ser que se diz democrático chamar de golpistas leitores que discordam de seus pontos de vista, como no caso de Antônio Carlos que apresentou dados inquestionáveis. Mas discurso esquerdopata ou de pseudos esquerdopatas é sempre o mesmo, em tom agressivo, descabido, sem fundamentação. Nota-se que em nenhum momento Antônio se dirigiu de forma ofensiva ao articulista, apresentando dados inquestionáveis, e como diz o próprio bloguista em seu texto, nada que “poucos minutos de pesquisa apontam fácil, fácil” os argumentos contrários. Mas é sempre assim, estes quando acuados, procuram sempre a desqualificação e não a argumentação. E faço minhas as palavras de Antônio: ouvir a pecha de golpista de um esquerdista (diria pseudo esquerdista e já vou ao ponto na sequência) é deveras mesmo uma dádiva.

      Meu caro Salvador Neto, é este o nível de debate que você pretende levar à Câmara de Vereadores? Com esse discurso não logrará êxito, certamente. E me soa mais estranho este discurso que chama de golpe a aplicabilidade da Constituição e da Lei 1.079/50 ao saber que será candidato a vereador pelo PP – Partido Progressista, que possui em suas fileiras figuras da estirpe de Paulo Maluf, o cara que rouba (tudo mundo sabe) mas faz; Esperidião Amin, que ficou em cima do muro no movimento das diretas já; Waldir Maranhão, aquele que virou notoriedade ao anular um ato soberano de plenário e caiu no ostracismo em apenas 12 horas após revogá-lo; Paulo Octavio, um dos mais ricos empresários do ramo imobiliário (porque não estou surpreso) preso por participar de esquema de falsificação de alvarás e que de acordo com denúncia do Ministério Público junto com outras nove pessoas formaram uma organização criminosa para corromper servidores em troca da aprovação de projetos e da emissão de alvarás de construções irregulares, além do que é réu no processo que investiga o mensalão do DEM); Jair Bolsonaro, um primor de democrata; João Pizzolatti, que é investigado na Operação Lava-Jato da Polícia Federal, sendo citado como um dos envolvidos no esquema de lavagem de dinheiro que desviou 10 bilhões de reais, de acordo com as apurações preliminares, entre tantos outros e que a despeito do título de seu artigo “Bem vindo ao passado, com Michel Temer”, todos os seus colegas de partido representam o que há de mais novo na política, não é mesmo? PP, uma sigla que tem raízes na direita desde o nascimento como ARENA, aliada da ex governanta de turno e que debandou quando a casa caiu, votando massivamente a favor do impeachment em atitude oportunista e não democrática.

      Seu discurso soa torto quando diz já de cara que “É cômico, e claro entristecedor, ver até jornalistas e alguns intelectuais, além de boa parte da população, afirmar que PT, Dilma e Lula quebraram o Brasil. Sim, pois esquecem que esse trio está apenas 14 anos no poder central, enquanto PMDB, PSDB, DEM, PP, e outros menos votados, não saem do governo federal desde a redemocratização em 1985.” E mesmo assim você se filia ao PP? Se o trio que você cita é tão bom, por que não se filiar ao PT então? Estranho, para não dizer patético. Mas é assim nas teias do poder, não é mesmo?

      Excluir
    5. Gilberto Moreira da Silva, sabe o que é patético? É conhecer você e sua história, e perceber o quanto és hipócrita, e que tenta usando palavras bonitas, bem articuladas, desqualificar quem tem qualificação. Gosta de confundir, para ludibriar incautos. Se você é tão bom, porque não sai da sua cadeira estável, ou seja, garantida, e vem para a disputa? Política é isso, é debate, e sobre partidos, todos são feitos de pessoas, e são pessoas que erram, e nem todas dos partidos. Esse pensamento tacanho e atrasado e que deixou o país assim órfão de lideranças. Discurso fácil, sem prática real. Use essa inteligência para a vida pública, serias um bom nome.

      Excluir
    6. Marcelo Toledo, O PSDB fez muito mais pelo Brasil em 8 anos do que os 14 governados pelo PT. Parece que quem vivia distante do Brasil em épocas de inflação de 1.400 %/ano é você.

      Excluir
    7. Agora entendi. O Sr. Antônio Carlos é tucano. Saberia me explicar as privatizações do FHC. O BANESTADO. O Mensalão mineiro. O Trensalão paulista. A crise hídrica em SP. O Merendão paulista. O Senador de SC que quando era deputado sorteava passagens pagas pela Câmara entre os jornalistas amigos para eles irem conhecer Brasília. A imprensa de MG a proteger o Aécio. Ah, isso não interessa. Até que enfim mostrou ser um tucano. Daí defender o GOLPE. Os golpistas estão como aquele casal que conversa orgulhoso sobre o filho no desfile de 7 de setembro. A mãe fala para o pai: como o Joãozinho marcha garboso, e o pai responde todo orgulhoso: e ele é o único com o passo certo. Do mundo inteiro ouvimos opiniões chamando o "impitimã" de golpe, mas só os golpistas é que estão certos.

      Excluir
  2. Como disse um jornalista:
    “Até que enfim um presidente que sabe usar a mesóclise”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilberto Moreira da Silva14 de maio de 2016 14:22

      Um dos jornalistas que apontou o uso da mesóclies foi Reinaldo Azevedo, aquele blogueiro que eles insistem em dizer que é tucano e apoiador da mídia golpista, mas que se borram todos quando ele os chamam para um debate sobre ética e honestidade na política.

      Excluir
    2. Quem lê Reinaldo Azevedo tem problemas com mesóclises, e outros também...

      Excluir
  3. Entendo a revolta do autor. Nicolás Maduro também está estupefato. Se a Venezuela solicitou o retorno do seu chanceler é porque a democracia corre sério risco no Brasil...

    Eduardo, Jlle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo, Jlle, a democracia no Brasil corre risco sim, já houve o golpe parlamentar, e vai ter golpe no bolso do povão. Já que me lês, guarde o texto, vais precisar.

      Excluir
    2. Não existe "golpe parlamentar", pois as casas que representam a população não dão golpe, provocam o impedimento. Não haverá golpe no bolso se o governo fazer o que deve ser feito para reaquecer a economia: tratar o paciente terminal ao invés de dar-lhe aspirina. A equipe de Michel Temer não é perfeita, mas ao menos está em consonância com o discurso dos partidos.

      Excluir
  4. Houve avanços que não podem ser negados, porém os programas precisam ser aperfeiçoados e muito.

    Qualquer analista deve saber que dados devem ser analisados externamente comparativamente aos pares e internamente em relação aos seus dados, neste caso o mais preocupante é o nível de deterioração rápida em praticamente todas linhas e a tendência de piora absurda que deve permear os próximos meses.

    Quanto aos dados apresentados, só as pedaladas representam mais de 10% do PIB e não estão contabilizadas, acompanho os dados do Banco Central e são preocupantes, os reflexos das limpezas contábeis e da queda do PIB farão os índices relativos ficarem ainda piores, os dados absolutos são monstruosos considerando que os impostos aumentaram absurdamente nos últimos anos e não havendo mais como cobrir déficit com aumento de carga tributária como fizeram nossos governos no últimos 20 anos.
    O desemprego que é alto é mascarado pelos mais de 20 milhões de beneficiados do Bolsa Família, já que só é considerado desempregado quem procurou trabalho nos 30 dias, alias conheço gente que já desistiu faz tempo.

    Sobre a dívida Líquida do Governo ela propositadamente exclui as Estatais (mudança metodologica realizada em 2007 ou 2008).
    Qualquer análise em dólar deve considerar que desde a crise financeira de 2008 os Estados Unidos desvalorizaram a sua moeda e injetaram trilhões na economia, o que infla os números em moedas locais (real brasileiro por exemplo).

    Quanto ao PIB em 2015 somos a nona economia segundo o FMI.

    Sobre balança comercial, esta é apenas uma linha da nossa balança de pagamentos, que não inclui várias coisas como serviços, juros, etc... que é absurdamente negativa e sensível. Vale dizer que a balança comercial é positiva não pela expansão das exportações mas pela aguda retração das importações, ou seja, perda de poder de troca.

    Para cutucar... O governo anos atrás não anunciou a quem quisesse ouvir que tinha pago a dívida externa??????? Como agora ela é deste montante????? Claro ou já sabia, mas para este e outros governos o que vale é o marketing e não a verdade, aliás a verdade pouco importa.

    ResponderExcluir
  5. Não existe almoço grátis. Para manter as "conquistas sociais" da era petista deveríamos aumentar (e muito) a nossa carga tributária, acabar com a corrupção, liberalizar a economia, colocar gestores eficientes nos cargos adequados... do jeito que coisa estava o rombo só tendia a aumentar.
    O pessoal adora citar o modelo da Suécia como o ideal a ser buscado por qualquer país. É justo que nos informemos sobre os detalhes de como esse sistema funciona: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2406

    ResponderExcluir
  6. A maior parte destes dados é falsa. Confira no link abaixo uma apuração rigorosa e, da próxima vez, apure as fontes com mais cuidado. http://terracoeconomico.com.br/colocando-os-pingos-nos-is-analise-economica-sem-freestyle

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem