segunda-feira, 19 de junho de 2017

Árvores são um perigo e devem ser exterminadas

POR JORDI CASTAN

Há uma alergia (eu disse alergia) crescente a árvores. Em Joinville, há uma guerra declarada a tudo o que seja verde. Árvores tem sido as vítimas preferidas de uma política que vê no concreto o símbolo do progresso. Não apenas não plantam mais árvores, mas perseguem com sanha furibunda as poucas que insistem em sobreviver num ambiente tão hostil como o urbano. Uma imagem vale por mil palavras? Se depender da foto fica evidente que sim. 



O que leva alguém a concretar árvores? Nem precisa explicar muito. É só ver a imagem. Ou não há projeto, ou não há fiscalização, ou não há bom senso. O que não há é conhecimento técnico, porque concretar árvores é garantia de morte. Ou será que a Joinville dos próximos 30 anos, será também uma cidade sem árvores?

A destruição do patrimônio verde da cidade é sistemática e permanente. Conta com a colaboração do poder público que se omite a maior parte do tempo e aprova leis que estimulam a supressão das árvores que ainda sobrevivem. O rebaixamento indiscriminado de calçadas é uma das leis que mais há causado a supressão ilegal de árvores públicas. Há ainda a falta de um inventário detalhado de toda a arborização da cidade. E, por fim, a inexistência de um plano diretor de arborização.

Esses são outros dos problemas que Joinville enfrenta. Mas a pior de todas as ameaças para as árvores de Joinville é a inépcia do poder público, a sua inoperância e a sua incompetência para tratar dos temas relacionados com as decisões atuais que incidirão o futuro da cidade.

É quase unanimidade que Joinville está uma bagunça. Só não é unanimidade porque há uma parte da população que parece conviver bem com a situação. Os causadores ou os autores ou, em última instância, os responsáveis pelo desastre que tomou conta da cidade. Uma cidade que, lembremos, outrora foi organizada, bem administrada e orgulhosa do seu espírito e identidade.


Fazer, fazer bem feito, entregar no prazo e pelo preço combinado eram num passado recente valores desta cidade e dos seus cidadãos. Agora isso não só não acontece mais, como virou parte do imaginário da população. Toda uma geração de joinvilenses nunca viu uma obra bem projetada, bem executada e entregue no prazo, não sabem o que isso possa vir a ser e não acreditam que tal coisa exista.

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu quero acreditar proposital, porque assim ganho duas vezes, terei que fazer e plantar de novo, sabe aquela licitações!!

      Excluir
  2. Diria que essa cidade do passado, onde obras acontecia me recordo disso, embora seja décadas passadas, mais o fato que Joinville virou mesmo situação de Brasilia tem ratos que infiltraram no poder, e assim permanecem alguns mandatos, tem deles que já tentando ou almejando, chegar reinado muito maior deixando esqueleto em que se encontra nossa cidade, istas fotos recordação binários, exatamente aconteceu isto, av ou rua minas gerais, eles somente querem e tem sede do poder, são verdadeiros rolo compressor em cima da população, passa sobre tudo e todos, oposição fraca, faz governantes francos, e prefeito fraco, inclusive leis no importa nível estadual ou federal, imagine municipal, leis pra eles existem no papel, porque dia à dia, Caiu no esquecimento. Viva Joinville!! Viva Caos!! Viva Balbúrdia do nossa cidade!!

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que temos um SEPUD/IPPUJ, não, pera...

    ResponderExcluir
  4. Jordi, gravo na 4a. feira com vc mais um programa quando poderemos conversar a respeito. Horário 16 horas dia 21 de junho. Confirme pelo end. eletronico. Aguardo. Convite feito.

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Caro amigo, eles estão todos apadrinhados!! Tem quer muito gravíssimo para eles começar uma ação!!

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem