quinta-feira, 9 de abril de 2015

Para você que é chamado de coxinha, reaça, paneleiro...


POR VANDERSON SOARES

Este blog tem uma grande variedade de escritores e voluntários que todos os dias agraciam o intelecto de seus leitores com textos que refletem a atualidade de Joinville e do Brasil de um modo geral. Às vezes textos ácidos, irônicos, cheios de bons argumentos, que nos fazem pensar em como melhorar nossa sociedade. Uma boa parcela destes escritores são assumidamente de esquerda, outros mais ao centro, nenhum de extrema direita (ainda bem!).

Este texto vai pender para a direita, mesmo que eu não seja de lá. Esta semana tomei conhecimento de 2 informações e de um acontecimento que me incentivaram a vir aqui hoje defender o ponto de vista da classe média:

1) A figura logo ao final deste texto, com uma publicação de alguém desabafando que gerou milhares de compartilhamentos;

2) Sílvio Santos já foi quem mais contribuiu para o Imposto de Renda, mesmo não sendo o mais rico do país;

3)  Dilma passou, oficialmente, o poder de articulação política para Temer

Ok, concordo que os 3 pontos são um pouco aleatórios e, talvez, aparentem ser desconexos, mas tem uma íntima ligação, que tentarei expor nas linhas abaixo.

Sobre a classe média. Muitos intitulam-na de coxinhas, reaças, retrógrados e afins.  Não sou de direita, sou contra qualquer forma de preconceito, sou contra o ódio e sou a favor da igualdade de possibilidades a todos.

Defendo, em partes, as bolsas que este governo tem dado. Seus incentivos e, principalmente, a abertura do ensino superior para classes que antes tinham muito mais dificuldade para chegar lá.

O que não dá de concordar é que um cidadão de classe média, autônomo ou empresário de pequeno e médio porte seja intitulado dos nomes que falei acima, simplesmente por defender a sua realidade. A figura 1 explica um pouco do ponto de vista que quero defender.

Sem emprego gerado pelas pequenas e médias empresas de pessoas da classe média, não há emprego e assim, aqueles que financiaram sua casa no Minha Casa Minha Vida não poderão pagar suas parcelas. Se não há emprego, não pagarão as parcelas dos carros que compraram com aquela baixa do IPI, não conseguirão pagar as contas de luz que os condicionadores de ar necessitam.

Mas então você quer que os pobres continuem na masmorra e o pessoal da Casa Grande continue com seus benefícios? Não, claro que não. Sou a favor destas medidas, quando acompanhadas de estratégias sustentáveis. Agora, dá-se de tudo para um lado e colocam-se impostos sobre tudo do outro lado. A balança não se equilibra.

O governo, e os principais defensores da esquerda, atacam a classe média por irem contra algumas medidas, mas vejam, é a classe que mais trabalha e que mais produz e que, em troca, apenas recebe mais impostos pra pagar em troca de nada. Coloquei o item 2, sobre o Imposto de Renda do Sílvio Santos, para mostrar como o nossos sistema é incorreto.

No ano em que Sílvio Santos foi quem mais pagou Imposto de Renda ele nem sequer figurou entre os mais ricos do Brasil. Como pode isso? Se o Imposto de Renda é proporcional à renda, como pode o que não mais ganhou, ser o que mais pagou? O PT não estava no poder quando Sílvio foi quem mais contribuiu para o IR, mas não fez nada em seu governo para mudar isso. Continuou a esfolar a classe média e nem sequer mexeu no bolso de quem realmente tem dinheiro para contribuir. Ao invés de por em pauta a taxação das grandes fortunas, preferiu meter goela abaixo impostos para a classe média.

Repito, sou a favor de proporcionar a todos o mesmo ponto de partida. Todos tem direito a educação, saúde e alimentação adequada. Mas não apenas tirar de um lado e colocar no outro, sem pensar na sustentação destes projetos.

Entrando no item 3, quero dizer que Dilma fracassa mais a cada dia. No segundo mandato de Lula e em seu primeiro mandato, só fizeram dívidas, realizaram aquilo que defendiam como sendo o correto, mas não pensaram na continuidade disso. Não tinham cacife pra manter isso tudo.

Hoje estamos assim:
- Levy manda e desmanda na economia, de modo a conseguir pagar o rombo gerado nos últimos anos;
- Eduardo Cunha, do PMDB, presidente da Câmara dos Deputados;
- Renan Calheiros, do PMDB, presidente do Senado Federal;
- Michel Temer, do PMDB, Vice Presidente da República e Dilma, ontem mesmo, deu a ele poderes para articulação política;
- PT fez coligação com o PMDB para se eleger.

Agora eu te pergunto, você que defende com unhas e dentes o PT, Dilma e Lula. Qual é a sensação de esperar tanto tempo para estar no poder, fazer tudo aquilo que o partido defendia, não conseguir manter, endividar o governo e agora, paulatinamente, realizar uma renúncia branca, entregando o poder assim, oficialmente, ao PMDB, partido que o PT tanto atacou por tanto tempo?

A Ética dos Meios não se aplica na resposta. O PT fracassou e toda a sua história em defesa dos trabalhadores começa a cair por terra, suas teorias não mais são sustentáveis na prática, como diziam ser. 


10 comentários:

  1. Bom dia!
    A sua análise, em parte equivocada, não é tão pejorativa quanto imagina.
    Primeiro que (sua análise) é um desabafo, não é?! Tomo a liberdade de supor que seja, também, por ter perdido a eleição. Tens, por este motivo e os outros que cita, o direito.
    Vamos aos fatos:
    1. O único imposto federal, que saia de sua renda, que você, eu e qualquer um brasileiro que ganhe acima de R$1.903,98 paga, é o Imposto de Renda;
    2. Os outros impostos e contribuições (IOF e acessórios), nós repassamos aos consumidores, os quais, com o dinheiro de seu trabalho e renda, pagam pelo preço do produto e do imposto;
    3. O conjunto da sociedade, ao consumir produtos e serviços, paga o imposto com recursos de sua renda, logo é o consumidor que paga TODOS os impostos.
    Então, quando você diz que a "classe média" é que paga o imposto, você está parcialmente equivocado.
    A “classe média”, a qual eu substituiria por burguesia (o tom não é pejorativo) repassa os impostos a todos os consumidores. Ponto.
    A visão equivocada de que os impostos que você embute no seu produto ou serviço é um dinheiro seu, é que leva empresários como nós (mas não eu e você, claro) a sonegar impostos, o que, ai sim, é uma "puta sacanagem". Isso para ser lisonjeiro, pois o correto é chamar de ladrão, mesmo. A operação Zelotes me deixa mentir?
    Outra cosia, a visão de "classe média" é muito relativa. Eu pessoalmente considero que pertença a classe média assalariada, quem ganhe acima de R$ 10.000,00 por mês de salário. Daí para baixo é tudo farinha do mesmo saco, inclusive eu.
    Abaixo do limite inferior do IR, que citei acima (R$ 1.903,98) não é classe média, mas é onde encontram-se os 172.500.000 (cento e setenta e dois milhões e quinhentos mil) brasileiros que não declaram imposto de renda por ter renda inferior a este valor.
    Quem paga os impostos que os 27.500.000 (vinte sete milhões e quinhentos mil) declarantes REPASSAM em seus produtos?
    O que devemos lutar é para que os serviços públicos não venham embutidos de impostos. Ai sim concordo com você. Nossa renda é corroída no ICMS da luz, da gasolina e outros. Mas neste caso não é SÓ o seu conceito de classe média que paga a conta. Somos todos. A luta é nossa!
    Sobre o viés político, ai sim, concordo com você em quase tudo, porém discorde que seja tão ruim assim, veja:
    Haviam duas propostas econômicas em jogos. Dilma defendia o que havia feito e os outros dois candidatos diziam que precisava mudar o receituário aplicado.
    Dilma venceu e aplicou o receituário econômico dos outros dois candidatos. Hora, eu, cá com meus botões, penso que você e as outras pessoas que NÃO votaram no PT deveriam estar muito felizes com isso. Perderam a eleição mas estão vendo as propostas econômicas de seus candidatos serem postas em prática. Comemore!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Burguesia ?

      Palavra do século 19 ...

      Provavelmente tem mentalidade de século 19 também.

      Palavra moderna é empresário.

      Excluir
    2. A sujeita vende um remédio, mas depois usa o receiturário dos outros para curar a enfermidade da qual ela também é culpada.

      Isto se chama sede por poder! Poder a qualquer custo! Sobrevivência, pois sabem que se saírem do aparelho governamental, vão desaparecer.
      Mas tudo tem o seu tempo, a história e democracia brasileira vão colocar o PT no seu devido lugar.

      Eduardo, Jlle

      Excluir
    3. Nossa! Um ataque à pessoa, não ao argumento. Não deve ter mentalidade nenhuma.

      Excluir
    4. Faltou um dado em sua análise-resposta: o PT é o único partido da história do Brasil que tem o seu tesoureiro preso. A agremiação não tem credenciais para partido político, mas para lavanderia, como disse o outro. A petralhada institucionalizou a corrupção no país. Tirou algo que era figura do Código Penal e a levou para seu folder de programa de (des)governo. Por favor, sem argumentos do tipo "roubo, mas o outro também rouba".

      Excluir
  2. Antônio Carlos, SFS9 de abril de 2015 09:16

    As figuras não vieram.

    A maior estupidez da Esquerda (que sobressai as demais) é a ideia equivocada de imputar todo e qualquer mal relacionado a preconceitos à Direita, como se esquerdistas fossem todos progressistas, o malfadado maniqueísmo. Nós, da Direita, somos todos homofóbicos, será? Mas e a ditadura cubana é de Direita? E a da Coréia do Norte? E Maduro/Chavez com seus discursos homofóbicos sobre os adversários? E isso só no campo da homofobia. Em tempo as ideologias têm muito mais matizes do que Esquerda e Direita, porém os extremos de ambas correntes são preconceituosos, mas para os esquerdistas essa moléstia só se percebe na Direita. A hipocrisia mandou um abraço.

    A odiada classe média é a mais atingida pelo aumento de impostos exigidos pelo governo. E quando esses impostos atingem indiretamente também as classes menos favorecidas? Os números recentes do IBGE indicam que proporcionalmente a inflação está atingindo mais as classes menos abastadas. Não é só a classe média a reclamar nas ruas com sangue nos olhos, nem todo pobre votou na Dilma e mesmo os que votaram também estavam lá. Ainda, os esquerdistas preferem ignorar que os 48 milhões que votaram em Aécio não pertenciam somente à classe média e que os super ricos pendiam mais para o PT/PMDB do que para o PSDB/PSB. Por quê?

    Vanderson, o governo que está aí não tem um programa, ele tem um projeto de poder. O problema é que o partido da presidente não tem no seu quadro pessoas capacitadas para colocar a economia em ordem, e a economia tem de vir em primeiro lugar porque é a base de tudo: empregos, salários, impostos, benefícios sociais. Os distúrbios que vemos todos os dias, sai ministro, entra ministro, cede daqui, cede dali, são típicos deste tipo de governo com projeto de poder numa sociedade democrática. Seria muito estranho e tenebroso se o Planalto mantivesse a faca e o queijo na mão depois desses últimos quatro anos de governo desastroso. Mais um erro do governo, pular etapas: suspender artificialmente o aumento gradativo de impostos e dar subsídios ao consumo, esquecendo o controle da inflação, o tal “crescimento sustentável” com algum lastro. Ações populistas que roçam as ervas-da-ninha sem atacar a raiz. Cotas sem educação de qualidade, Bolsas sem projetos de realocação no mercado de trabalho, e por aí vai.

    Perfeita a declaração do Rodrigo Pinheiro, retrata bem a realidade de quem faz esse país funcionar.

    ResponderExcluir
  3. Vanderson, parabéns pelo texto. Tenho algumas questões:

    Na sua opinião, existe algum partido de direita no Brasil? O que é a direita pra você? Você acha que Olavo de Carvalho/Bolsonaro e Rodrigo Constatino/Leandro Narloch são tudo farinha do mesmo saco?

    Recomendo os 3 links abaixo e 1 livro de economia já bem antigo mas muito arual. Se tiveres diposição em uma semana consegues lê-lo:

    http://www.diagramadenolan.com.br/
    http://veja.abril.com.br/eleicoes/politicometro/
    http://www.politicalcompass.org/

    Livro (como você mesmo diz que não tem preconceito, acredito que vais ler de mente aberta): http://www.mises.org.br/Ebook.aspx?id=25

    Abraço
    Marcos Paulo Schlickmann

    ResponderExcluir
  4. Perfeito, Rodrigo Pinheiro!

    ResponderExcluir
  5. Esse texto tem bem mais do que cinco comentários, né espertalhões?

    ResponderExcluir
  6. parabéns Rodrigo Pinheiro...MAS QUE TAL COLOCAR A FONTE DESSE TEXTO? Triste é ser "pensador" com texto plagiado.............

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem