sexta-feira, 1 de junho de 2012

Não voto em Kennedy Nunes porque ele não me transmite confiança


POR LUIZ ARTUR ADRIANO
Em 2008, comecei a acompanhar a trajetória política de Kennedy Nunes, hoje deputado estadual pelo PP, ops!, digo, PSD. Desde o início simpatizei com as ideias daquele deputado que, tempos depois, muito carismático, dava atenção aos seus seguidores nas redes sociais.

Recordo-me do apoio que ele deu a Carlito Merss, no segundo turno das eleições para prefeito. Apoio este que foi fundamental para que o Carlito se elegesse prefeito da nossa cidade. Recordo-me do discurso do Kennedy, que dava seu apoio ao Carlito, pois não desejava que a turma do Tebaldi, representada pela candidatura do deputado Darci de Matos, retornasse ao poder.

Por muito tempo defendi junto a meus amigos e familiares as ideias deste deputado, inclusive informalmente fui seu cabo eleitoral em 2010, garimpando alguns votos para a sua reeleição à Assembléia Legislativa. Recordo-me da expectativa durante a apuração dos votos, da Twitcam transmitido ao vivo pelo deputado durante a apuração, da bananada (doce feito com polpa da banana) que era servida aos que o visitavam para festejar a vitória... Ah, que festa linda!

Aí o tempo passou e o deputado novamente assumiu a sua cadeira na Assembléia Legislativa. Desde então o meu apreço pelo seu trabalho diminuiu, chegando a não existir mais. 

Estes são apenas alguns "pequenos" exemplos de que o deputado Kennedy não merece a minha confiança como eleitor. Para alguns, estes fatos podem até parecer normais, corriqueiros na política. Mas é de políticos corriqueiros que a sociedade precisa livrar-se.

Situações como a troca de partido (PP pelo PSD), quando ele passou a unir forças com aquele que no seu discurso representava a turma do Tebaldi.

Caso das diárias recebidas para trabalhar em Joinville,  onde  ele mantém residência fixa (diárias essas, que foram pagas com o nosso dinheiro) 

Recentemente, o deputado foi convidado pelo senador Luiz Henrique, para ser o candidato a vice de Udo Döhler (PMDB). O convite foi recusado, mas Kennedy Nunes se disse honrado pelo convite vindo do senador. Honrado? Como assim?

Tem também um certo jornal da nossa cidade, que sempre abre um espaço (muito amplo, diga-se de passagem) para que o nobre deputado apresente as suas idéias e faça críticas ferrenhas ao nosso atual prefeito. Nem de longe penso em defender o Carlito Merss, apenas não entendo o porquê de um político ter tanto espaço para divulgar suas idéias neste jornal. Aliás, quem são os proprietários deste jornal impresso?

As eleições 2012 estão aí, batendo à nossa porta. Em outubro, vamos decidir mais uma vez quem terá a responsabilidade de conduzir pelos próximos quatro anos a prefeitura de Joinville. Eu ainda não decidi em quem votarei, mas já sei exatamente em quem não votarei: o nome dele é Kennedy Nunes, do PP, digo, PSD.

Político, no Brasil, é sinônimo de desconfiança, enquanto os bombeiros lideram a lista dos profissionais mais confiáveis. Sendo assim, quem sabe em outubro eu deixe de votar nos políticos e passo a votar nos bombeiros.


Luiz Artur Adriano Jr., de 31 anos, é administrador e natural de Joinville. Trabalha como coordenador de cobrança.   

21 comentários:

  1. Araponga anônimo1 de junho de 2012 08:26

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez se apresenta para a próxima eleição o voto no menos ruim. Espero q esse vácuo de opções não se repita em 2016.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laerte,

      Esta é a nossa sina, ter que escolher entre o desonesto que faz e o honesto que não faz.

      A falta de lideranças honestas que façam, custa caro para Joinville

      Excluir
    2. Esperem sentados aparecer um político "viável" bom, a política só muda quando nós participamos e fazemos valer a nossa voz

      Excluir
    3. Jordi... esta conversa do "Honesto que não faz" também não dá para engolir tão fácil assim... (quase do mesmo modo que Tebaldi também não fez tanto)

      Carlito defendeu como pode o Marcos, presidente da FUNDEMA, que tinha aquele escancarado esquema por lá. Será que ele, assim como o Lula, não sabia de nada?

      Talvez. Mas eu não duvido do contrário.

      Excluir
    4. Carlito acredita na boa fé das pessoas. As vezes parece até ingênuo, pra um político com 20 anos de experiência.
      Tebaldi em 6 anos se tornou um dos homens mais ricos de Joinville. Carlito em 20 continua morando num condomínio de Cohab na periferia.
      Acho que ele não sabia mesmo...

      Excluir
    5. Concordo plenamente com o anonimo das 16:02. Carlito acredita nas pessoas pois, assim que como todos que NÃO fazem as coisas de caso pensado, porque é uma pessoa honesta e sem maldade. Não gosto nem de pensar no quanto a cidade, que a proposito está ficando linda e moderna, voltaria no tempo sob a gestão dos dois politícos citados.

      Excluir
    6. Prezado anônimo das 11:44

      Sei que o meu comentário acabou caindo no maniqueísmo bobo, dos dois extremos, o honesto e o desonesto.

      Nada é tão simples, o próprio conceito de honestidade parece cada dia mais elástico. Me custa acreditar que o prefeito não saiba mais do que aparenta saber. Por outro lado ao saber teria que agir.

      Não me parece que o prefeito Carlito tenha no "agir" uma fortaleza, ao contrario o deixar fazer parece que encaixa melhor com a sua forma de ser e de atuar.

      Como outros políticos do seu partido tem se caracterizado por nunca saber de nada, pode ser que este também seja o caso. Eu prefiro acreditar que ele é honesto.

      Mas temo os estragos cometidos por cândidos honestos, inocentes e estultos. Podem ser tão o mais perigosos que alguns dos malvados mais perversos.

      Excluir
  3. Eu também estava simpatizando com o Clari.. como no começo do texto, mas como o restante mostrou, não serve nem mais para sindico de prédio.

    ResponderExcluir
  4. Os partidos políticos nada mais são do que um balcão de negócios. Não se apresentam os melhores e mais preparados para concorrerem nas eleições, mas sim os que melhor articularem as alianças e trocas de favores.
    Até parecem aqueles concursos de rainha do baile. Aquela que vender mais bilhetes de rifa vence o concurso, não importando se é a mais bela.

    ResponderExcluir
  5. Só tenho certeza que não voto no Kennedy, Carlito, Darci, Tebaldi e Udo. Sobra o que? O Fritz também anda meio sumido e anti-social. O Leonel Camasão pode ser a alternativa, já que o Adilson Mariano não é candidato. Se tiver um dia de chuva fina como este, vou ter que reunir forças para não virar pro outro lado e continuar roncando.

    ResponderExcluir
  6. A escolha para prefeito deveria se basear em projetos, não em promessas.
    Projetos abrangem, custo, tempo, viabilidade e uma série de outras coisas.
    Falar que "vai fazer" é mais cômodo do que falar "como fazer."

    ResponderExcluir
  7. Segundo "não voto" sobre o Clarikennedy no Chuva Ácida. A rejeição está forte entre os eleitores que não fazem parte do rebanho...

    ResponderExcluir
  8. Eu não confio em político ligado a qualquer segmento religioso de qualquer partido mesmo de esquerda espectro ideológioco que me identifico.

    Causou-me espanto o Ivan falando " Eu também estava simpatizando com o Clari "

    Vai ver pq ele achou-o conveniente para atacar Carlito, só pode ser isso kkkkk

    ResponderExcluir
  9. ...e se houvesse alguém com projetos? Talvez o R.Novaes, que é um nativo, íntegro,com vontade, pró ativo, homem de bem. Sabe se expressar, dá de 10 a zero nuns e outros. E se um sujeito assim, com esses predicados tivesse o apoio maciço de outros também com os mesmos propósitos que pudessem, cada um em sua área de atuação assessora-lo com o devido acompanhamento? Estou na cidade há cerca de 10 anos, citei o Rogério pois o conheço superficialmente, é verdade, mas imagino que deva existir muitos outros com algum potencial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, André. Também penso como você. Deve existir muita gente boa que vai concorrer. O problema é a falta de densidade eleitoral. Estes caras nunca chegam nem a fazer "cósquinha" nos políticos profissionais. Estes "caras bons", como você cita, mal fazem 1% dos votos. O povo é politicamente muito ignorante. Não vota com razão e coerência. Parece que vota (e faz campanha) como quem torce pra um time de futebol ou defende uma religião. Aí fica dificil...
      Por isso digo que voto em Carlito, pelo simples fato de sentir arrepios só de pensar na volta de um Tebaldi ou ascensão de um Kennedy. Udo ainda dava pra "engolir"... mas sem LHS...

      Excluir
  10. Também não voto em Kennedy por estes mesmos motivos e mais uns duzentos, que nem caberiam num comentário aqui.
    Muito menos ainda votaria em TEBALDI, os motivos são tantos...
    Quem quizer conhecer alguns, veja o link abaixo:
    http://www.excelencias.org.br/%40candidato.php?id=72123&cs=1

    ResponderExcluir
  11. E as pesquisas? São matemática meus caros.

    ResponderExcluir
  12. Pois é, eu votei algumas vezes no candidato referido, e depois de ver ele contra os professores em público, como os outro deputados que representam Joinville, a minha decepção foi total, ele realmente não tem ideia da importância do professor para a sociedade, e sem professor ou esse profissional desmotivado, quem perde são nossos filhos. É lamentável mas é a realidade que vivemos.

    ResponderExcluir
  13. do menos mal o omenor,vimos apenas por falar no joga da vida tem que pagar pra ver.só ganha quem joga ou arrisca ,não vi o claris jogar só vi falar.quanto aos deamis ja vi administrar e não gostei.

    ResponderExcluir
  14. kennedy não fez nada para joinville em três mandatos de deputado estadual, tbem não fara como prefeito, se ele perder aqui, sua boquinha ainda continua como deputado, esse é o brasil.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem