sexta-feira, 9 de março de 2012

Análise SWOT - José António Baço



Hoje, no aniversário de Joinville, os integrantes do Chuva Ácida vão fazer uma análise SWOT da cidade. O termo SWOT vem do inglês e é um acrônimo de strengths (pontos fortes), weaknesses (pontos fracos), opportunities (oportunidades) e threats (ameaças). 

2 comentários:

  1. Geovani Lampugnani9 de março de 2013 11:39

    Estou tentando colocar em prática o que aprendi quando estudei o PMBOK dentro do meu setor, dentro da Prefeitura. O que acontece, porém, é que sou apenas um funcionário de carreira.
    Dependo de que o gerente a ocupar o cargo venha a se interessar por planejamento.
    O ponto mais fraco que existe nas instituições é o PLANEJAMENTO. Principalmente no meio público.
    Problemas são resolvidos com soluções de baixa alavancagem, onde se tapeia com uma atitude onde virá a desencadear no futuro necessidade de novas correções. Segundo Peter Senge, é necessário ter criatividade e coragem para adotar soluções de alta alavancagem para os diversos sistemas. O problema é que quando se trata de política o tempo é um inimigo para a próxima gestão, pois se pensa em eleição e perpetuação do poder. Há vezes que essas medidas são impopulares e requerem um certo sacrifício dos envolvidos.
    Adorei a sua publicação e vou além. O benchmarking pode ser feito, mas sem coragem, não funciona para nada.
    Penso em um sistema de transporte coletivo monitorado, envolvido em tecnologias para que se dê prioridade ao coletivo sobre o individual, para que as pessoas não pereçam aguardando seu coletivo, acabando com a ansiedade. Penso em um serviço de táxi moderno, com monitoramento e identificação eficaz de quem conduz, com estrutura tecnológica para coibir cobranças indevidas. Estamos caminhando para isso, logo poderemos ter surpresas quanto a estas situações.
    No mais, grande abraço a vocês e a nossa aniversariante.
    Parabéns, Joinville.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem planeamento e prioridade para o cidadão, a coisa não avança. Temos que ultrapassar essa visão de quatro anos para uma visão de 20, 30 ou 40 anos. Porque não são incompatíveis. Abraços.

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem