sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Até quando cabeças vão rolar por falta de prioridade para cultura, educação e lazer?














POR SALVADOR NETO


J
oinville ficou horrorizada esta semana com a decapitação de um jovem de 16 anos no bairro Jardim Paraíso, comunidade já estigmatizada como lugar de alta violência e tráfico de drogas. Afinal, a polícia ainda não sabe quem cometeu a barbárie, não sabe onde está o corpo, e tampouco se o jovem foi realmente assassinado no bairro. E mais: em que pese o comando do governo Colombo trocar comandantes da polícia civil ou militar, o que não muda é a essência, ou seja, a falta de efetividade na investigação. Se a polícia sabe de gangues, etc, porque não coíbe e prende? Mistérios para um Sherlock Holmes provinciano desvendar!

Mas, para além da alta criminalidade que não vem de hoje na maior cidade catarinense, há aspectos que a elite empresarial, social e política joinvilense não gosta de tocar. Nossa juventude está à mercê dos chefes do crime por pura falta de oportunidades culturais, de lazer, de esportes, de inclusão no mercado de trabalho que lhes garantam uma vida digna, saudável e longe do mundo das drogas, do tráfico, das ruas que engolem esses adolescentes para o dinheiro fácil. A Prefeitura de Joinville – governo Udo Döhler do PMDB cortou recursos para a única festa popular, o carnaval. Preferiu gastar na festa alemã Bierfest, que não deu em nada.

Enquanto a cultura, a educação integral, o lazer e os esportes não forem prioridades para os governantes, a grana gasta em segurança com câmeras, mais soldados, viaturas – e é sempre bom lembrar que é o nosso dinheiro suado que paga tudo – servirão apenas para agradar a elite assustada que mora em áreas centrais, longe da periferia que assiste essas barbáries em frente às suas casas, causar “sensação” de segurança e fonte para imagens para lindos vídeos de propaganda dos “governos” atuantes que temos (??). 

Em mais um lance que exemplifica o que digo, que mais lazer, cultura, educação não são prioridades, o governo Udo Döhler desistiu da construção de um Ponto de Cultura com recursos já garantidos pelo Governo Federal da ordem de R$ 1,2 milhão, que seria construído no bairro Vila Nova, zona oeste da cidade. Irônico é que no mesmo ano de 2015 o vice de Udo, o advogado Rodrigo Coelho que também preside a Fundação Cultural de Joinville, anunciou que a obra era uma “prioridade” do governo do PMDB. Nota-se. E a população também nota. Afinal, prioridade é palavra forte, bonita, mas só da boca para fora.

É lastimável que as lideranças políticas que se sucedem no comanda da cidade continuem a usar as mesmas práticas retóricas, discursos bonitos, e práticas iguais a seus antecessores. Este governo atual se consagra no quesito abandono da cidade, pois carros, ônibus e bicicletas afundam nos buracos das ruas; as praças e parques que ainda existiam razoavelmente cuidados, hoje estão largados ao relento e esquecimento; mobilidade urbana é miragem e outra peça de ficção na propaganda oficial, e paro por aqui, pois faltaria espaço para elencar o atraso em que nos encontramos.

Por tudo isso é que, contrariando os puxa-sacos oficiais e os mal informados, continuo a denunciar – e isso vale não só para Joinville – que ou a sociedade definitivamente muda seu modo de agir na fiscalização, acompanhamento e cobranças de suas lideranças políticas e empresariais (sim, está na hora de deixarem os pobres subirem os degraus na escala social, pagando melhores salários e distribuindo lucros), exigindo investimentos em cultura, esporte e lazer de fato, ou continuaremos a ver cabeças rolando em sacolas, corpos em malas jogados em rios, mortos perfurados com dezenas de tiros em frente às casas.

A violência se combate com educação, cultura e lazer. Sem isso, a barbárie chegará também nas casas da elite, e aí pode ser tarde demais para quem se horroriza pela tv, jornais e rádios. Nossa juventude está literalmente perdendo a cabeça no crime, como vemos em grandes centros, e nós estamos passivos observando o que virá adiante. Que rolem cabeças no poder político via uso do voto popular e participação efetiva do povo na fiscalização, não mais nas ruas da cidade que elegemos para morar, viver e criar filhos e netos.


É assim nas teias do poder...

35 comentários:

  1. Quanta lorota. A festa de carnaval vai salvar os jovens da ignorância e monotonia? Temo que o carnaval tenha o efeito contrário, como se vê nas ruas do Rio de Janeiro.

    A decapitação foi feita, segundo as investigações, por desavenças do tráfico, algo comum em Joinville nos últimos anos.

    Culpa dos prefeitos? Acho que não. Esse aumento da criminalidade e impunidade não é só um problema de Joinville, mas da maioria das cidades brasileiras e a fonte disto é das chamadas “políticas sociais” implementadas pelo governo petista, que têm nomes muito bonitos, mas que na realidade só pioraram a situação da população mais carente.

    Explico. O governo do PT, ao contrário de um partido socialista clássico, nunca se interessou em distribuir riquezas e igualizar a população, mas de adotar medidas paliativas, como bolsas assistencialistas e cotas para a parcela mais pobre, ignorando investimentos maciços na educação de base para todos. O PT se preocupou no marketing, trouxe a Copa, a Olimpíada, mas esqueceu de aplicar recursos generosos na saúde e na segurança.

    Na saúde, hospitais e centros de saúde caem aos pedaços, mas os médicos cubanos (que muitos nem diploma têm) estão lá para “apalpar” a sociedade, e só. O governo culpa os médicos brasileiros, mas esquece que saúde não depende apenas de mãos, mas de políticas sérias comprometidas, de equipamentos, de infraestrutura.

    Na segurança, parlamentares petistas, em especial uma hipócrita demagoga chamada Maria do Rosário, fizeram campanhas de direitos humanos para assassinos e estupradores confessos. Na prática os parlamentares petistas se envolveram com o que há de pior na pseudo-intelectualidade social (sociólogos socialistas de classe média que nunca subiram uma favela) para, de forma indireta, dizer aos mais pobres e excluídos que sim, eles têm a prerrogativa do crime porque são “pobres e excluídos”. Se forem “pobres, excluídos e negros” então, tá liberado geral contra a “classe média opressora” – exceto contra os pseudo-intelectuais que fazem parte dela, claro!

    Eles também demonizaram a polícia através do marketing de “ongueiros” pagos com dinheiro público. Os governos dos estados e municípios sequer têm dinheiro para pagar esses profissionais da segurança, instruí-los melhor ou manter uma infraestrutura mínima porque a maior fatia dos impostos serve para bancar o governo federal e sua corte.

    Treze anos de um desgoverno despreparado, que destruiu a economia do país nos últimos cinco anos, não poderiam tem efeitos positivos no país. Essa falta de educação de base, de saúde, de segurança e, principalmente, de perspectiva (que seriam prioridades num governo de esquerda, e não a pilhagem de Estatais) reverbera nas cidades médias do país, e em Joinville não é diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilberto Moreira da Silva5 de fevereiro de 2016 15:43

      Pontualíssimas colocações Antônio Carlos. De fato, o problema vem de cima para baixo e se reflete no nosso mundinho provinciano. Embora não concorde totalmente com o artigo de Salvador, entendo que há no texto muitos pontos precisos. A cidade está abandonada, sangrada, sacrificada por um executivo inerte e uma legislativo onde impera o cabresto ou se preferirem, o já manjado e famoso toma lá e dá cá.

      Por outro lado, discordo do ilustre articulista quando prega a solução dessas mazelas a prioridade na educação cultura e lazer. Não! A solução está na prioridade que deve ser dada – e isso é preceito constitucional – à educação, saúde e segurança pública, matizes imprescindíveis para a manutenção do Estado Democrático de Direito, consequentemente garantindo a cada célula (os municípios) deste País seu pleno desenvolvimento. E das três bases, – educação, saúde e segurança pública – a primeira é a mais importante. A educação que deve começar de berço deve se estender por a toda vida e consequentemente balizará uma saúde melhor e uma segurança pública aceitável e com certeza cidadãos comprometidos com a dignidade humana. Cultura e lazer devem apenas ser complementos de tudo isso. De que adianta a cultura, o lazer se as bases que elenquei estiverem comprometidas? A se pensar de forma serena. Bom fim de semana a todos.

      Excluir
    2. Eram médicos cubanos?
      1. Máfia das próteses.
      2. Em um hospital público pediam para outra funcionária bater o ponto com suas digitais em dedos de silicone.
      3. Batem o ponto em hospitais e unidades de atendimento e vão para seus consultórios particulares trabalhar, voltando ao final da jornada para bater o ponto da saída.
      4. Batem o ponto em hospitais públicos e vão para a salinha do "conforto" dormir, já que trabalham mesmo é em outros locais - consultório, clínicas e hospitais particulares - e chegam exaustos aos hospitais públicos.
      5. Estuprador de 56 mulheres.
      Ah, esses cubanos...

      Excluir
    3. A pinça selecionadora é a única coisa que funciona bem na esquerda... Ah, o marketing mentiroso também.

      Excluir
    4. Não eram médicos cubanos, mas aposto que você usa os serviços desses brasileiros que generliza nos momentos de dificuldade. Mas é sempre assim, Juarez, os esquerdistas sempre selecionam os malfeitos de alguns e generalizam para toda a classe, como a dos policiais, por exemplo. Quando estão nas mãos do criminoso, esses que muitos de vocês chamam de "bandidos fardados" são sempre lembrados.

      Da próxima vez, tente esperar 1 ano e se consultar no SUS, se tiver sorte será um paciente de um excelente médico cubano. Boa sorte!

      Excluir
    5. Sr. Antonio, sou um dos membros da classe média. Pago meus impostos, todos. Denuncio sonegadores, velhacos e bandidos, inclusive médicos que têm a coragem de falar aos clientes que COM RECIBO É OUTRO PREÇO. Denuncio postos de gasolina que aceitam Vale Refeição no pagamento de abastecimento, denuncio fraudador do salário desemprego. Denuncio fraude em concurso público. Sou um chato mesmo, mas sou coerente com meus pensamentos. O Sr. conhece o "negócio" dos laboratórios farmacêuticos, com congressos gratuitos no nordeste com tudo pago aos médicos para estes receitem remédios PARA O QUE TEM E PARA O QUE VEM. Quanto aos bons médicos, dou os meus parabéns para eles ainda mais para os tiverem passado pelo mesmo exame que exigem dos médicos estrangeiros. Ah, esqueci, só os bacharéis em direito fazem um teste antes de poderem exercer a advocacia. Os médicos só querem o teste (REVALIDA) para os formados em outros países, como se a formação no Brasil fosse garantia de qualidade. Quanto ao usar o SUS, eu sei que se todos exigissem nota fiscal e recibo COM CPF certamente haveria mais recursos para a seguridade social. Ah, esqueci de novo, quem não dá recibo (seja o profissional liberal que for) não exige nota, pois é coerente com sua corrupção. Quanto a usar os serviços do SUS eu pago há mais de 20 anos um plano de saúde, justamente para não ocupar lugar dos que mais precisam. Se acha que selecionei alguns casos para generalizar, gostaria de ouvir os relatos dos que falam dos médicos cubanos. Quando foram atendidos por eles. Outra dica: ouça a RÁDIO GAÚCHA para ouvir o CRM de lá detonando o MAIS MÉDICOS. É corporativismo sim, há um negócio muito lucrativo no Brasil e no mundo que é o negócio da DOENÇA, não querem saber de prevenção, daí a raiva do que possa representar a prevenção e a redução do consumo dos fármacos: PSF, Médicos Cubanos com atenção à saúde básica. Ou será que o Sr. Antônio Carlos nunca encontrou nenhum promotor de vendas de algum laboratório na recepção de um consultório médico? P.S. Em toda minha vida fui atendido muito mais por maus médicos do que por bons médicos. Ser bom médico é, acima de tudo, ser humano e saber lidar com as pessoas doentes e fragilizadas, não acertar o remédio certo para a doença certa. Se fosse assim bastariam computadores, lançaríamos os sintomas e os resultados dos exames e PUM, diagnóstico e tratamento seriam fornecidos na hora. Nem olhar na cara do paciente é, no mínimo, falta de educação. Quem nunca passou por isso? Pior é saber que muitos ainda se formaram em universidade públicas, pagas com os impostos de todos nós, principalmente por aqueles cujos filhos dificilmente poderiam cursar uma faculdade de medicina antes das cotas sociais e raciais.

      Excluir
    6. Parabéns Juarez, tu é chato mesmo!

      Excluir
    7. Sou chato, mas faço as postagens em meu nome, ou seja, não escondo sob o manto do anonimato.
      Aliás, estou feliz, pois sei que para ser só chato eu preciso melhorar muito.

      Excluir
  2. Aos amigos que tem tempo poderiam fazer um orçamento dos seguintes itens:

    Jogo de peca:
    Bola de futebol:
    Peteca:
    Pipa:
    Jogo de taco (bets):
    Imagem e Ação ou WAR (!):

    Sem preço:
    Ligar a TV na sessão da tarde
    Paquerar no tempo livre
    Estudar
    Ajudar a mãe/pai nas tarefas de casa
    Dormir depois do almoço
    Visitar um parente, uma tia, algo do tipo
    Cozinhar para a família

    Geração MIMIMI do $#$@ que acha que tem de ter mil opções de lazer, circo, festas open bar, elefantes adestrados, iphones para ser feliz e ter uma justificativa para não fazer merda.

    Nunca tive isto e no meu tempo livre eu me divertia até ajudando a refazer o jardim de casa, que era feio pra cacilda.

    Querem jogar a culpa em todo mundo quando a maior probabilidade é que a pessoa escolheu esse caminho.
    Ele é culpado pelas próprias decisões e não precisa mudar a cidade toda pela burrada de ele querer ser Vida loka.




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peeeeeeeeeerrfeeeeeeiiiittooooooooo

      Excluir
    2. Concordo com o anônimo de cima. Pra que quadras de esporte. Quem quiser jogar que pague pelas quadras de aluguel.
      O bom pras nossas crianças é mesmo ficar assistindo SESSÃO DA TARDE.
      Estudar! Ótimo eles podem ficar o dia na escola em TURNO INTEGRAL.
      O mundo é cheio de opções, não curte quem é vagabundo.

      Excluir
    3. Bem fraquinho teu contra-argumento, L. S. Alves. Tem gente que não precisa pagar por quadra de esporte e há algum tempo não passa mais a "sessão da tarde". Quanto ao turno integral, estudos revelam que não faz muita diferença se turno normal for satisfatório (Joinville é exemplo no ensino público).

      Parece que o negócio mesmo é distribuir iPhone pra garotada... Pena que pensas assim.

      Excluir
    4. Dois chinelos em cada lado da rua já vira estádio de futebol.
      E ainda serve pro pai dar umas chineladas pros que sairem da linha. Quem sabe assim não viram tão mimados, né?

      Excluir
  3. Antonio Carlos percebo um paradoxo. Vc diz que não é culpa dos prefeitos e ao mesmo culpa só um partido. A lógica não seria a mesma: da mesma que a culpa não está só nós prefeitos, ela não está no PT, como vc quer dar a entender...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, se não estiver embebido na estupidez passional ideológica. Se usares a lógica, a racionalidade como prioridades na escolha do candidato, verás que a salvação do Brasil não está na esquerda ou no socialismo.

      Na década de oitenta o Chile foi visitado pelos “Chicago Boys” que incentivaram uma política liberal no governo daquele país; hoje o Chile equipara-se à Portugal, é de longe o país mais desenvolvido da América Latina; entra governo de centro-esquerda, governo de centro-direita e ninguém muda o perfil macroeconômico do país. Óbvio que o Chile tem alguns problemas, mas as instituições estão funcionando e o PIB e os empregos aumentam a cada ano. Quer uma maneira melhor de distribuir riquezas? Diminua o tamanho do Estado, invista nas instituições (poder judiciário, polícia) e dê liberdade ao setor produtivo, diminuindo a burocracia e os impostos.

      Lógico que muitos perderão os cabides de empregos, foram 40 mil só na Argentina. Subsídios deixarão de existir, mas os impostos inseridos nos produtos também diminuirão. A energia elétrica deve aumentar 300% na Argentina porque a população (pobre e rica) pagava uma ninharia por ela, mas, com a privatização e a atuação das agências que controlarão esse tipo de serviço, o custo tenderá a diminuir aos poucos. Aqui pagamos um aumento de 50% na energia elétrica só no último ano, e nem de longe temos o sentimento que a Eletrobrás pertence ao povo brasileiro. Idem para a Petrobras, Correios, BNDES e outras lavanderias públicas.

      Não podemos deixar de generalizar, embora o município seja a menor representação federal, a culpa por esse tipo de política retrógrada que reverbera em todo o país é de quem está no centro do poder, no governo federal.

      Excluir
    2. Privatize tudo que pode dar lucro. Quanto os bancos quebrarem, o Estado os salva. Vide os EUA e a crise de 2008. Esses neoliberais não mudam.

      Excluir
    3. Ou privatiza e não deixa um só cabide para cooptação de partidos, ou mantenha as estatais e o meretrício de setores da política que nada têm a ver com os interesses da população.
      Se estamos na merda é por culpa da fisiologia política financiada pelas estatais, ou seja: o status quo.

      Então, Juarez, o que vai ser?

      Excluir
    4. Vamos analisar seu comentário. Privatiza e resolve. A iniciativa privada é a solução para tudo. Mas quem mesmo que pagou e paga as propinas aos agentes públicos corrutos? São outros agentes públicos, NÃO, são empresas privadas. O "negócio" do neoliberalismo é sucatear os serviços públicos e privatizar tudo (saúde, educação, segurança, etc.) de forma que tudo isso vire mercadoria e que só tenham acesso a estes serviços os que puderem pagar pelo que deveria ser direito de todos e dever do Estado. Claro que os defensores do estado fraco não conhecem nada de história não sabem quem foi Roosevelt, nem o que significa Welfare State, que o Estado pode ser indutor da economia, realizando obras que dinamizem a economia. A corrupção devemos combater sempre, denunciar os corruptos e dando exemplos: exigindo nota fiscal, emitindo recibos e notas fiscais, respeitando as leis ainda que tenham "dinheiro", pois a lei é para todos. Os servidores públicos são o reflexo de nossa sociedade. Como podemos esperar um serviço público perfeito se temos a mania do jeitinho, do "eu tenho um conhecido lá que agiliza esse trâmite", do fiscal que recebe para não fazer de conta que os recuos dos prédios estão corretos, do cidadão "de bem" que estaciona na vaga do idoso ou do deficiente sem ser nenhum dos dois. Acha que os servidores públicos saíram de onde? De MARTE é que não, eles vêm de nossa sociedade que ainda tem muito que evoluir. Você (quem é você ANÔNIMO?) não respondeu quem salvou os bancos na crise de 2008, por que será?

      Excluir
    5. Gilberto Moreira da Silva15 de fevereiro de 2016 17:56

      Não generalize. Sou servidor público e não me considero menos honesto que Lula, por exemplo. Aliás, lhe garanto que sou mais honesto que ele. Dizer que "os servidores públicos são o reflexo de nossa sociedade" é de uma estupidez e infelicidade tamanha. Há desonestidade em todos os setores da sociedade e uma classe de trabalhadores como é o do serviço público não pode ser considerada a fonte de todos os males desta mesma sociedade.

      Excluir
    6. Acorda, Dorothy!
      Welfare State no Brasil?

      1) o exemplo de uma península européia do tamanho do estado do ES e com 4,5 milhões de habitantes chamada Dinamarca não se aplica num país de dimensões continentais e com 200 milhões de habitantes;

      2) mesmo que o Brasil buscasse a "perfeição" nórdica ele já estaria atrasado, porque;

      3) o modelo Welfare State implementado nos países nórdicos já se mostrou insustentável. Os governos aos poucos estão cortando benefícios, mas o altíssimo imposto pagos pelos nórdicos se mantém... Até quando, não sei. Só sei que 10 em cada 10 europeus prefeririam viver noutro exemplo de liberalismo chamado Reino Unido, do que em qualquer país escandinavo.

      À propósito, o que salvou os EUA na crise de 2008 foi o modelo neoliberal daquele país.

      Excluir
    7. Os EUA foram salvos da crise pelo modelo neoliberal? Cada piadista que aparece. A vontade de defender o indefensável é incrível. Acreditam num um sistema em que muitos produzem e poucos se apropriam da riqueza gerada. Só para voltar ao neoliberalismo que salvou os EUA, então milhares de famílias dos EUA estão morando em "trailers" por que gostam de aventura? Cada um que aparece. E sendo anônimo ainda me manda acordar. Mais coerente seria acordar quem se esconde sob o anonimato.

      Excluir
    8. Você sequer sabe a diferença entre Liberalismo e esse termo mentiroso chamado "Neoliberalismo".

      Liberalismo = EUA

      Neoliberalismo (que existe na cabeça dos esquerdistas) = Dilma Rousseff

      Sugiro pesquisar esses conceitos.

      Excluir
    9. "À propósito, o que salvou os EUA na crise de 2008 foi o modelo neoliberal daquele país."

      *Eu quis dizer Liberal, não Neoliberal.

      Excluir
    10. Eu também sou servidor público, só que não esperemos que uma sociedade com um claro déficit de cidadania em que muitos procurem levar vantagem em tudo possa produzir servidores públicos que sejam todos honestos. Os servidores são um recorte da sociedade, assim sendo é natural e estatisticamente esperado que entre os servidores públicos também haja pessoas desonestas.

      Excluir
    11. Dificuldade para entender o neoliberalismo?
      Acha que os EUA não são os patrocinadores do neoliberalismo?
      Acha que o consenso de Washington tem esse nome inspirado em uma cidade de Marte?
      Acha que Thatcher e Reagan não foram os primeiros a seguir "sabujamente" a cartilha neoliberal?
      Se respondeu sim aos questionamentos acima, é melhor permanecer anônimo mesmo...

      Excluir
    12. Digitando neoliberalismo e Reagan o google retornou com 168.000 resultados. Acho que Reagan governou Washington em Marte...

      Excluir
  4. Cara, vergonha alheia esse teu texto. Medíocre, unilateral. Olhando um lado da moeda com viés político, aproveitador, barato típico da política velha de uma esquerda oposicionista atrasada e medíocre. Que o leitor e eleitor sejam inteligentes para não votar no senhor porque serás mais um na Câmara a mudar o discurso bonitinha e passar a se lambuzar nas diárias alheias. Bom carnaval.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor seria sair do anonimato, dar a cara para bater. Ou, quem sabe, trata-se de um comissionado ocupante de algum cargo público ou filiado a um partido aliado do prefeito?

      Excluir
    2. Esses governistas enrustidos no anonimato... risíveis... e sabes que com esse teu desejo, mais ainda me motiva a ser candidato? Nos vemos por aí, e enquanto isso, continue lendo meus textos..

      Excluir
  5. "A INDIFIRENCA É INIMIGA DA PAZ...Papa Francisco!"... até qdo ????
    ACORDA HUMANIDADE... para aquilo que é essencial...precisamos dar um basta as futilidades!!!!...

    ResponderExcluir
  6. Escreve demais e nem conhece o caminho do Jardim Paraíso, não conhece nada da periferia de Joinville senhor Antônio Carlos, não passa de mais um demagogo barato e oportunista.

    ResponderExcluir
  7. O Udo não calçou minha rua, vou matar três hoje....

    ResponderExcluir
  8. Nossa, o Udo não me deu uma bicicleta nesse natal, vou matar dois...kkkkkk Meus pais? Ah não sei, tão por ai. Mas a minha baba eh o tio Udo.

    ResponderExcluir
  9. Nossa, se temos assassinatos em Joinville porque faltam atrações culturais na cidade (como o carnaval, ops?) imagino que São João do Itaperiú tenha se transformado num dos cenários do filme Mad Max.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem