quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Não tem jeito


Por JORDI CASTAN

Cada vez a vontade de desistir é maior. Se não fosse pelo apoio constante dos leitores que enviam e-mails, telefonam ou contribuem com seus comentários, confesso que já teria desistido mais de uma vez. Não porque esteja fatigado de escrever sobre como esta administração municipal é ruim. Fadiga não é algo capaz de me desmotivar. As criticas, ameaças e chiliques menos ainda. O motivo mesmo é acreditar que não há esperança, que estamos vivendo um quadriênio perdido. E que estes quatro anos são um retrocesso e que nos levarão outros tantos para voltar ao patamar anterior que, bem analisado, tampouco era grande coisa. Mas entre ficar parado quatro anos e regredir há uma sensível diferença.

Dois exemplos para mostrar o nível de incompetência que assola a cidade. O primeiro é a historia da ponte que faria a ligação entre a Rua Aubé  e a Rua Plácido Olimpio de Oliveira. Joinville receberia R$ 3.000.000 através de uma emenda parlamentar, dinheiro a fundo perdido que, acrescentado aos R$ 1.200.000 de contrapartida. permitiria construir uma ponte que é importante para a cidade. Vamos perder os R$ 3 milhões, porque o prazo esgotou neste final de ano. Uma pendenga judicial com dois terrenos não permitiu que a obra fosse iniciada. A Prefeitura já trabalha com duas alternativas: a primeira contratar um empréstimo com o Badesc, que teremos que pagar entre todos e que incluirá juros; a segunda opção será executar a ponte com recursos próprios. De uma forma simples e clara perdemos R$ 3.000.000 e a ponte ficou cada vez mais distante de se concretizar.

O outro exemplo é o do esgoto. É a única obra que esta administração está executando digna deste nome. Ninguém deveria questionar a sua importância. A obra toda está sendo custeada com o sobrepreço que pagamos todos na nossa água e no nosso esgoto. Aqueles valores escandalosos que pagávamos antes para a Casan - e que eram drenados para manter a estrutura da empresa em Florianópolis e permitiam equacionar a tarifa de água dos municípios deficitários - foram mantidos quando da municipalização. E permitiram que se constituísse um caixa significativo para executar as obras necessárias e pudéssemos incorporar, na Companhia Águas de Joinville, os mesmos vícios da antiga operadora do sistema. Tanto os altos salários como as perdas significativas da água tratada escancaram uma ineficiência que já foi bem menor. 

O mais curioso no tema do esgoto são as informações desencontradas com que o governo nos brinda. Durante a campanha, o promessômetro registrou a promessa de concluir a gestão com 70% do saneamento básico instalado. Quando a esmola é demais, o santo deveria desconfiar. Mas depois os percentuais foram mudando para coisa de 52% em abril deste ano, agora já se fala de 32%, mas ainda mantendo a esperança que possa ser de 38%. Quando a administração de uma empresa pública de importância transcendental para Joinville, baseia suas previsões na esperança, mais que na técnica é bom se preocupar. Porque é provável que os cálculos e previsões estejam mais baseados no chute e no achismo que em qualquer estudo técnico. Por isto aumenta a sensação que há muita incompetência e pouco conhecimento. A possibilidade que isto possa vir a endireitar, nos poucos meses que faltam, é cada vez menor.

11 comentários:

  1. 70% no saneamento? ta de brincadeira né Jordi? Eles sempre prometeu 52% mesmo sabendo que não conseguiria chegar nesse valor.

    ResponderExcluir
  2. Dizer o quê, caro Jordi, além de que isse é o resultado da nossa omissão, enquanto eleitores, contribuintes, cidadãos e participantes de entidades de classes que deveriam estar cobrando firmemente uma posição mais responsável, no mínimo, dos administradores públicos. A verdade é que isso, que aí está, aí está por nossa causa! Veja o nível intelectual médio do nosso Legislativo municipal e você começará a ter a resposta dos porquês...

    ResponderExcluir
  3. Ivan
    Eu não estou de brincadeira, quem esta de brincadeira é este pessoal que promete o que não pode cumprir.

    Veja o link: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Pol%C3%ADtica&newsID=a2183237.xml

    para facilitar vai no item 07, não precisará ler todas as outras promessas não cumpridas

    ResponderExcluir
  4. Nico,

    A sua apreciação é correta, os culpados em ultima instancia seremos sempre nos. Que votamos para eleger este nosso legislativo e este nosso prefeito.
    Mas é uma abordagem simplista demais, tampouco os partidos nos deixam muita opção para escolher. A gente seria cada vez se afasta mais desta politicalha que se aumenta os salários e cria benesses com uma facilidade que assusta a Usain Bolt

    ResponderExcluir
  5. Alguém tá investindo em saneamento. Se isso é ser pior do que a outra gestão...

    ResponderExcluir
  6. Felipe,

    Como eu já disse no passado, eu não gostei nada da gestão do Tebaldi, e acho a do Carlito muito melhor. Agora, se o governo Tebaldi não tivesse encaminhado os projetos, o planejamento e o financiamento pro esgoto, o Carlito não teria feito muita coisa, no máximo iniciado este processo...

    Agora, executar também é, sem dúvida, um mérito.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Felipe

    o post deixa claro que o saneamento básico é a UNICA obra digna deste nome que esta administração esta executando.

    Se por conta da implantação do saneamento básico, que não esta sendo executado com recursos do orçamento municipal, vamos a aceitar que esta tudo ótimo, então me parece uma visão muito parcial e torpe. Impropria de alguém como você.

    Ninguem questionou a importância e a necessidade do saneamento básico, o post lembra que as divergências entre os percentuais previstos e prometidos de implantação evidenciam um amadorismo improprio de uma empresa da importância da Águas de Joinville.

    De forma muito simples, ou chutaram antes, ou chutaram agora ou chutam sempre.

    ResponderExcluir
  8. Este ano fui em uma apresentação de um programa de agentes comunitários ambientais, que repassariam orientações ambientais para os domicilios joinvilenses. Falaram que a verba para o ano de 2012 é de 500 mil reais, fora o que já gastaram este ano (outros 500 mil). O dinheiro é da Cia de Águas que repassa para a Fundema aplicar em programas ambientais, e a Fundamas faz o recrutamento e capacitação dos agentes. Até aí tudo ótimo.
    Porém todos sabemos que a Saúde faz há decadas este serviço, visitando todos os lares da cidade com gente capacitada e profissional. São pessoas que já adquiriram a confiança da população, e tem um longo aprendizado dos seus hábitos e costumes.
    As informações dos agentes ambientais são sobre separação de lixo basicamente, o que as agentes de saúde já dominam, e com uma simples capacitação de duas ou tres horas fariam da mesma forma.
    Este a meu ver é mais um exemplo do desperdício do dinheiro público desta gestão.

    ResponderExcluir
  9. O problema, Jordi, é que você não constrói a crítica. Você apenas "detona". Em suma, o recado do seu post é o seguinte: - A obra, em si, é importante, mas a prefeitura está fazendo errado, às custas de altas tarifas, de falsas promessas, e blá blá blá.

    Afinal, de que lado você está? Creio que seria bacana e honesto com seus leitores se, em algum momento, você se posicionasse no cenário político partidário da cidade.

    ResponderExcluir
  10. O Jordi reclamando das benesses às elites econômicas e politicas?????????????
    Para o mundo que eu quero descer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentando um post de 2011 em 2015....interessante.

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem