quarta-feira, 11 de julho de 2012

Não vai ter Cachoeiragate?


POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO
Quando li que o rio Cachoeira tinha ficado vermelho – e sabendo da origem  do vazamento da tinta – fiquei a pensar: isso vai ter repercussões na corrida para a prefeitura. Achei mesmo que o incidente ia complicar a vida de Udo Dohler, cuja candidatura insiste em não decolar. Imaginei protestos de ambientalistas, eleitores a exigirem ações do poder público e os opositores a apontarem o dedo ao candidato. Pensei mesmo num Cachoeiragate.

Ok... confesso que tinha uma curiosidade pessoal. Enquanto marketeer fiquei tentando imaginar as decisões do gabinete de crise de Udo Dohler. Um monte de gente reunida,  avaliando os danos para a candidatura, as medidas para evitar o desgaste da imagem, os timings das decisões (gestão de crise foi uma das cadeiras que mais gostei na universidade). Mas a montanha pariu um rato. Puf!!! Foi como se nunca tivesse acontecido.

É preciso deixar claro que Udo Dohler tem pouca coisa a ver com o acidente. Até porque acidentes, como o próprio nome diz, são imprevistos. Mas estamos a falar de política. Então, era natural que o caso tivesse causado alguma mossa na sua candidatura. E o silêncio em torno do assunto permite levantar algumas teorias:
1. A comunicação dos opositores é fraquinha.
2. É cedo para abrir as hostilidades. Como a candidatura Udo-Coelho ainda não assusta, o pessoal decidiu não levantar a lebre para não dar tempo de antena.
3. Os políticos são todos compadres e ninguém quer bater em ninguém.
4. E, por fim, a mais provável: ninguém se importa se o Cachoeira muda de cor. É que o rio já teve o seu atestado de óbito assinado há muito tempo e não há gente disposta a acender velas para esse defunto.

É triste, mas parece que ninguém liga para o rio. É só lembrar que o Cachoeira foi sendo poluído durante décadas, enquanto as pessoas tapavam o nariz e assobiavam para o lado. Aliás, li um relatório que analisava a incidência de coliformes fecais num trecho específico: a medida de referência era o máximo de 20 mil e o rio tinha um valor total de 3 milhões (NMP/100ml). Que merda! Aliás, não deixa de ser uma triste ironia: parece que os cidadãos só se preocupam com o Cachoeira quando ele provoca enchentes.

O fato é que os temas ecológicos não mobilizam as massas. Ou você lembra de algum político que tenha caído em desgraça por desrespeitar a natureza? O eleitor é chegado mesmo num escândalo sexual. Bill Clinton acende o charuto com a estagiária na Sala Oval. O povão se liga. Itamar Franco aparece ao lado da modelo sem calcinha. O povão se liga. Lugo espalha a semente por todo o Paraguai. O povão se liga. O rio ficou vermelho. Ninguém quer saber.

Não tem Cachoeiragate para esquentar a campanha. Então, vamos ter que esperar por algum acontecimento que os eleitores levem a sério. Afinal, nas últimas eleições aprendemos que o simples gesto de pedir material de escritório emprestado pode afundar uma candidatura.  

12 comentários:

  1. Sinceramente, utilizar de um desastre (muitas vezes imprevisível, como já foi colocado) para fins eleitorais é utilizar da mesma moeda que falar da filha que não existia, do aborto da mulher, do dedo amputado, etc, ou seja, é descer o nivel também.
    PS: não voto no Udo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, como diz o cantor, Manoel foi pro céu...

      Excluir
  2. 5. Propaganda eleitoral ilegal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Dirk. Propaganda para o PT, deixando ainda mais vermelha a avenida Beira Rio.

      Excluir
  3. "Acidente" é acidente, ok. porém existe uma empresa responsável que é a "firma" do patrão/candidato Udo. Ele não é bom moço, o seu poder econômico não foi feito a base da alegria e respeito ao meio ambinente. Pelo contrário. O Udo é responsável e precisar pagar por isso.
    Maikon K

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Bom moço" é só o Kennedy.

      Udo e carrancudo e não ri. Mal moço.

      Excluir
    2. Tupy, Consul, Embraco, Tigre, Lepper, Cipla, Ciser, Docol.

      Estas sim, estas prosperaram a base da alegria e do respeito ao meio ambiente.

      Exemplos mundiais a serem seguidos quanto ao desenvolvimento sustentável. A empresa do Udo não. É maquiavélica.

      Excluir
    3. O que estamos falando é o aproveitamente de um desastre para fins eleitorais. Quanto à responsabilidade do vazamento, não há duvida que a empresa já está pagando, pela exposição à mídia, perda de produção, multa da Fundema/Policia Ambiental, processo administrativo/criminal, etc.

      Excluir
  4. Transformaram a água do rio cachoeira em vinho, isso sim é um milagre. Viva são Udo!

    ResponderExcluir
  5. Pelo nº de comentários Udo vai ser o Mariani desta eleição

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem