sábado, 28 de julho de 2012

E o espírito olímpico?


POR GABRIELA SCHIEWE
Ontem, sexta-feira, se deu oficialmente  início aos 30º Jogos Olímpicos da era moderna, este ano na cidade de Londres.
Os Jogos Olímpicos sempre trazem à tona o tal "espírito olímpico" que, na utopia de Pierre de Coubertin, tinha em mente que todos os atletas que estivessem participando desta congregação mundial em nome do esporte. E que automaticamente se ungiriam dele, voltados apenas ao respeito a todos os participantes, glorificando tão somente a competição e, jamais, se permitindo ao uso de "doping", ato este praticado quando da abertura dos jogos, no momento do juramento por um atleta da delegação do país anfitrião.

O Barão de Coubertin foi um ideologista com uma contribuição maravilhosa. Mas, infelizmente, o que temos visto jogos após jogos não tem relação alguma com esse espírito esportivo. Tanto que a busca desenfreada pela conquista da medalha mais nobre, a de ouro (não a honraria de receber a Medalhe de Pierre de Coubertin, pois trata-se apenas de uma honraria), se faz com a utilização exaustiva, por diversos atletas de inúmeros países, de substâncias proíbidas para atingir sempre a melhor marca, transgredindo as leis do homem, querendo atingir a perfeição, algo que não cabe ao ser humano médio.

O espírito olímpico é tão distorcido que a honraria da Medalha Pierre de Coubertin é dada a aqueles que enfrentam alguma atitude tida como nobre nos jogos e que, quase nunca, está relacionada com a conquista do melhor resultado. Este é galgado pela ganância de ser melhor do que o seu opositor, isso mesmo, assim que se ve os demais atletas, um mero adversário. Um dos recebedores da honraria foi o brasileiro Vanderlei de Lima, em 2004, pois quando liderava a maratona dos Jogos na Grécia, foi atacado por um ex-sacerdote irlandês e, mesmo assim, não desistiu da sua luta, chegando em terceiro lugar.

Claro que somos brindados com atos de heroísmo e brilhantismo, mas estes são isolados, trata-se de exceções. O todo, na verdade, é baseado na disputa direta e por muitas vezes desleal, pois o único interesse é ganhar, ser o melhor e, ainda, se possível, imbatível.

Desde ontem até o dia 12 de agosto de 2012 estaremos ligados nas Olimpíadas, com a participação de 204 Comitês Olímpicos competindo em 39 disciplinas. E salve-se quem puder, quer dizer, vença o melhor e, não esqueçam, o que importa é competir e só!

Boa sorte, Brasil! Nós estamos esperando medalhas...ah, de ouro, por favor!


Um comentário:

  1. James Veiga (Supervisor Geral Krona Futsal)28 de julho de 2012 11:08

    Parabéns pelo Texto Dra Gabriela, realmente necessitamos resgatar o verdadeiro espirito olímpico!! Infelizmente a evolução tecnonologica também eh utilizada para burlar os exames de doping! Mas vamos lá sejamos patriotas e torcedores fies por grandes resultados do Brasil!!

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem