terça-feira, 17 de janeiro de 2017

O que você e Mick Jagger têm em comum? Nadinha...

POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO
A imprensa brasileira parece sempre disposta a dar uma mãozinha a Michel Temer. Faz pouco tempo, o time do atual presidente lançou um balão de ensaio: a aposentadoria seria cada vez mais tarde. Muito mais tarde. Como é óbvio, a coisa não desceu pelo goto dos brasileiros e houve reações para todos os gostos (muitas desproporcionadas, poucas sensatas). E o governo golpista ficou com mais um abacaxi para descascar.

Mas o Brasil não tem segredo. Quem tem verbas publicitárias para distribuir pode contar com a imprensa. E a revista Exame veio em socorro do governo. A capa da edição mais recente traz uma fotografia de Mick Jagger e um aviso explícito: “você terá de trabalhar velhice adentro”.  E acrescenta, com um entusiamo irritante: “a boa notícia: preparando-se para isso, vai ser ótimo”.


E a chiadeira começou, claro. Ótimo para quem, cara-pálida? Não dá para comparar Mick Jagger, que ganha a vida a cantar, com um cortador de cana, que tem uma das profissões mais insalubres do planeta. Resumo da ópera: apesar das reações indignadas, a revista cumpriu a sua missão. E espalhou a ideia. As pessoas ficaram avisadas para o que vem aí. Quando o governo tomar medidas, ninguém pode dizer que foi apanhado de surpresa.


A função da revista é óbvia: servir de muleta para o governo e convencer as pessoas de que o homo faber é o destino inevitável. Nascer. Trabalhar. Morrer. As sociedades moralistas como a brasileira ainda insistem muito numa certa “ética do trabalho”. Quem não trabalha deve ser excluído. A palavra “vagabundo” tornou-se uma ofensa. Eis um problema. O esquema mental brasileiro é tão velho que podemos ir buscar referência ao longínquo século 18.


O Traité de la Police, de Nicolas Delamare, é dessa época. Resgatado por Michel Foucault, destaca que a caça aos vagabundos era tão importante quanto a vigilância de criminosos e outros indivíduos perigosos. E ficamos a saber que, no início do capitalismo, o vagabundo – o homem que não trabalha porque não consegue emprego ou por simples recusa do modelo – é tratado ao mesmo nível de um criminoso.


O Brasil está na contramão da história, apesar de o senso comum ver o contrário. O problema é o tempo que se leva até à aposentadoria? Preocupante é a supressão do emprego que resulta das inovações tecnológicas. Interessante lembrar que, no século passado, o economista John Maynard Keynes publicou um texto a prever que, com a evolução das sociedades, as pessoas passariam a trabalhar apenas três horas por dia. O tempo livre seria para o lazer, a cultura e as coisas da vida. Ops!


A sociedade capitalista de consumo está na encruzilhada. A tecnologia elimina postos de trabalho e, claro, os salários. Sem dinheiro não há consumo. Sem consumo não há capitalismo. E as sociedades mais evoluídas procuram soluções. A Finlândia, por exemplo, tem um projeto piloto: 2 mil desempregados recebem uma verba do Estado que lhes permite continuar a consumir. É uma forma de antecipar o que, no futuro, pode vir a ser uma convulsão do sistema capitalista.


Tem medo de se aposentar tarde? Certo. Mas é importante ver mais longe. É preciso estar atendo ao seu emprego. A tecnologia é o motor de evoluções que estão a eliminar postos de trabalho. A Lei de Moore foi acelerada. E ressurge uma questão: se o usufruto das transformações tecnológicas não for socializado - e os benefícios estendidos a todos -, o sistema entra em colapso. É chegado o momento de introduzir a palavra socialismo (prefiro ecossocialismo) na semântica do cotidiano.


É a dança da chuva.






29 comentários:

  1. "A alma do homem, ao contrário do que diz Oscar Wilde, não é socialista."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nooooossa, que incrível descoberta a tua, vivemos tanto tempo sem saber disso, até que para nossa imensa e intensa felicidade tu apareceste pra nos iluminar com tua colossal sabedoria, Anônimo das 9:56; se não fosse por ti viveríamos uma eternidade sem saber dessa informação extremamente valiosa.
      Se não é socialista a alma é o quê? Capitalista? Nos ilumine com a tua sabedoria, Anônimo das 9:56.

      Excluir
    2. Boa matéria, Baço, depois de mais essa midiotizada, agora da revista Exame, só falta defenderem o trabalho infantil, usando como exemplo a ex-apresentadora infantil Maísa do SBT.
      Falando nisso, na golpista Ric Record (a empresa dona do falido jornal Notícias do Dia), 1 jornagolpista defendeu uma senhora que trabalha ainda aos 73 anos, criticando quem reclama porque está trabalhando, pois é assim que fazem os bajuladores da biliomídia, defendem a exploração dos outros o quanto puderem enquanto desfrutam aposentados com salários polpudos e bem mais jovens que o povo; e ainda chamam de vagabundo e vadio o(a) pobre que se recusar a trabalhar muito velho(a).
      Só pra provocar os coximbecis zumbis Anônimos que infestam o Chuva Ácida, minha bandeira sempre será vermelha!

      Excluir
    3. Pense um pouco mais! Eu sei que deve ser difícil pra vocês, mas... tentem! "Tá frio"! KKKKK

      Excluir
    4. E verdde. Não consigo pensar. As ideias não pogredem...

      Excluir
    5. Sim. Mas é só quando vc escreve aqui!

      A esquerda agoniza!

      Excluir
  2. Foucault e Keynes, sempre f... a retórica daqueles que acham uma boa ideia pincelar textos citando-os.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei que é difícil compreender, mas há pessoas que leem...

      Excluir
    2. leem bosta, né?
      tu tá a mais de 20 anos matando o capitalismo, pega esse negócio de jeito, rapá, dá um tiro no meio da testa do bicho, fica aí escrevendo bobagem na internet, assim esse monstro do capitalismo vai morrer não...

      Excluir
  3. Bom texto, Baço, voce cumpre o papel de trazer à luz a discussão de temas interessantes. Alguns deles concordo, outros discordo, mas com isso podemos fomentar uma discussão e reflexão necessária em uma sociedade tão pobre de pessoas pensantes e tão cheia de pensamentos forjados por uma indústria midiática, cujos interesses são um só: manter o gado pastando!!! A aposentadoria deveria ser a gratificação depois de uma vida de trabalho e de dever cumprido, como uma poupança de tudo que foi descontado nesse período. E como esse pagamento é alto! Se esse dinheiro fosse realmente utilizado para gratificar quem de fato contribuiu não haveria rombo da previdência. Se o tal roqueiro gosta ainda de trabalhar, melhor pra ele que sempre foi dono de seu trabalho, o que não é o caso aqui na nossa realidade. Sinto-me gratificado com suas observações. Sinto-me também às vezes irritado, outras acho graça, das postagens de alguns que nem sei quem são com seus fragmentos de opinião e críticas de orelha de livro. Enfim, sem identidade, sem endereço, sem referência, devem estar servindo de reles mensageiro de alguém que lhe paga para ter esse papel. Ossos da liberdade de expressão.

    ResponderExcluir
  4. Citou Foulcault e falou em socialismo.
    Agora quero ver os anônimos do CA agonizando nos comentários e defecando pelos teclados.

    Belo texto, Baço.

    ResponderExcluir
  5. "A sociedade capitalista de consumo está na encruzilhada. A tecnologia elimina postos de trabalho e, claro, os salários. Sem dinheiro não há consumo. Sem consumo não há capitalismo." (Baço)

    A tecnologia elimina postos de trabalho. E não cria outros?

    Se o capitalismo não existe sem o dinheiro; o socialismo, tão defendido aqui, sugere o quê? O escambo?

    O autor do texto, abomina o capitalismo. Porém trabalha no ramo publicitário. Existe profissão mais capitalista do que a publicidade, que incita o consumo?

    Algumas perguntas... e uma afirmação:

    A esquerda agoniza!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não,... tenho certeza que não! Eu, na verdade, me considero bem "limitado"! O que acontece, é que a "régua" aqui no C.A. é tão baixa,... que talvez eu me "ache"!

      Mas há uma certeza:
      "A esquerda agoniza!"

      Excluir
  6. Chorar de rir. O anônimo tem pensamento aleijado, só pensa pendendo para um lado e o resto não existe porque não entende nem raciocina. O alto desemprego gera programas sociais no sistema capitalista que é mais uma forma de desviar dinheiro.E esse assistencial íamos que vocês filhotes do nazismo tanto criticam mas se beneficiam dele. Discutimos de maneira ética e seria para buscar outras formas de relação trabalho e mão de obra que não seja exploratória. No meu entender o socialismo ainda não resolve essas questões. Mas continuo participando dessas discussões com o objetivo de contribuir.duro é ter que aguentar esses anônimos que tem a farinha na mão e assopram, não sabem fazer pão. Hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O alto desemprego gera programas sociais no sistema capitalista que é mais uma forma de desviar dinheiro."

      Baço, consegue defender o que escreveu este teu seguidor?

      A esquerda agoniza!... e não diz mais nada com nada!

      Excluir
  7. Se o impeachment de 2.016 foi golpe,... o que dizer do impeachment do Collor em 1.992? Aquele, dos "Caras Pintadas" (leia-se... UNE, MST, Sindicatos,... e outros inúteis!) Aquilo foi um levante popular?
    Humm... vamos pensar!?

    A esquerda agoniza!... e tem lapsos de memória!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah... o uomo universale. Não há assunto que ele não entenda... e não seja jênio.

      Excluir
    2. Em 92, eu era estudante e estive na "Boca Maldita" (Ctba/PR), que foi um dos cenários das manifestações pró-impeachment! Então, pude ver o quanto "popular" foi a manifestação! Em 2016, houve sim interesses políticos (rechaçados),...mas a grande MAIORIA que foi às ruas, foi o povo apartidário!

      A esquerda agoniza!...

      Excluir
    3. Claro. Tinha que ser historiador também. Aposto que quando viajas precisas comprar duas passagens. Uma para o que és e outra para o que pensas que és...

      Excluir
    4. KKKKK... Tá tomando a "laranjinha" do outro ali?

      A esquerda agoniza!...

      Excluir
  8. Aí anônimo você é do tipo: a festa estava boa, mas a laranjinha não estava muito gelada". Já pensou em voltar a estudar ou já te consideras perfeito e já pode ascender? Hahaha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não sei o que vc fumou! Tenta de novo amanhã!... sóbrio! Obrigado.

      A esquerda agoniza!

      Excluir
  9. Nossa anônimo o rígido por me colocar na esquerda. Para mim é uma honra pertencer a uma grupo que zela pelo conhecimento e não a um grupelho apelativo e mediano, melhor, medíocre que nem se identifica nem sabe o que é figura de linguagem ou metáfora. Se fumei ou não indica que ainda posso fazer minhas escolhas e não ser apenas um simulacro de gente que apenas repete o que o patrão manda. Por favor pare de ser apelativo com recursos de bate boca de sarjeta. Ainda acredito (sou assim) que possamos ter discussões num nível melhor.

    ResponderExcluir
  10. "Nossa anônimo o rígido por me colocar na esquerda." (WTF?)
    O que é isso? Tomou laranjinha "quente"?
    Tenta de novo...

    A esquerda agoniza!... e não diz nada com nada!

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Desculpas aos colegas que tem coragem de dizer seus nomes por perder tanto tempo com um babador de bago dos poderosos que nem a om ridade de se identificar tem. A reforma da previdência é uma afronta aos direitos de pessoas que sempre contribuíram com seu trabalho e com os descontos que deveriam garantir suas merecidas aposentadorias e não tapar rombo de bandidos criminosos que usufruíram privilegiando a si e a seusar anônimos colaboradores e pausa mandados. Comparar com as exceções como ocorreu é uma afronta ao bom senso. Não podemos esquecer não devemos nos calar ante mais essa barbaridade.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem