terça-feira, 1 de dezembro de 2015

O problema de Udo Dohler é a rejeição

POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO

Quem está melhor posicionado, neste momento, para ser o próximo prefeito de Joinville? Os trackings (monitoramento das tendências de voto) não param e os políticos sabem, mês a mês, a posição que ocupam na corrida à Prefeitura. Os números não podem ser publicados, mas há coisas tão evidentes que dispensam as sondagens. Então, vamos lá...

Não há segredo quanto aos putativos candidatos à Prefeitura de Joinville. Há quatro nomes no bloco da frente: o atual prefeito Udo Dohler, o deputado estadual Darci de Matos, o ex-prefeito Carlito Merss e um inesperado José Aluísio Vieira, o Dr. Xuxo, que vem correndo por fora. Há também o tucano Ivandro Souza, cuja candidatura insiste em não decolar e, por enquanto, o deixa a jogar num outro campeonato.

Apesar de já haver gente em campanha, o quadro da disputa sucessória não está definido. E é natural, portanto, que neste momento a preferência dos eleitores esteja pulverizada. No entanto, o grande abacaxi parece estar nas mãos de Udo Dohler, que tem índices de rejeição muito elevados. E não é preciso olhar para as sondagens para fazer essa constatação. Um olhar para as críticas nas redes sociais, por exemplo, permite ver que o prefeito tem um problemão em mãos.

A rejeição é um fator tão poderoso quanto a intenção de voto. Ou seja, enquanto os outros candidatos vão lutar por votos, Udo terá que vencer a frustração dos cidadãos com a sua administração. Eis o nó górdio. O atual prefeito chegou ao poder com um discurso “anti-política” e “pró-gestão”, mas acabou com uma imagem mais parecida com um político (da velha política) do que com um gestor.

É possível diminuir a rejeição? Claro que sim. Mas Udo Dohler não tem muito tempo. Num plano macro, vai precisar de pesquisas que ouçam segmentos qualificados da sociedade, para identificar o caminho para mudar a percepção dos eleitores. Num plano mais térreo vai precisar de ação, imaginação e obras. É difícil. E não pode esquecer que o diabo está nos detalhes. Exemplo? Ora, cada buraco nas ruas é uma armadilha contra a sua candidatura.


Udo Dohler conseguirá reverter esse quadro? Talvez. Se recorrer à lógica da velha política (aquela de investir vultosos recursos financeiro) poderá aumentar as suas chances, porque, afinal, isso ainda tem muito peso. Mas os tempos são outros e mesmo assim não há garantias. O mundo evoluiu. É preciso também saber usar técnicas de comunicação, conhecimento de marketing político e, claro, imaginação. É aqui que a porca torce o rabo.

É a dança da chuva.

21 comentários:

  1. Imaginação é Udo Dohler no mesmo paragrafo? Zé você endoidou?

    ResponderExcluir
  2. Se os números não podem ser publicados, como sabes da rejeição?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há pássaros espiões que gostam de cantar...

      Excluir
  3. Acho que deveria desistir de concorrer. Na minha opinião é a única saída digna.

    ResponderExcluir
  4. Muito cedo para avaliar os candidatos a prefeito sem ao menos escutar suas propostas.

    Por hora eu fico mais preocupado com isto:

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/12/1713386-pib-encolhe-58-em-seis-trimestres-na-pior-recessao-durante-o-plano-real.shtml


    ResponderExcluir
  5. Com certeza, Udo tem menos rejeiçao q vc, q nem em Joinville mora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem... há pessoas que moram em Joinville mas vivem no mundo da lua, né anônimo?

      Excluir
  6. Com promessas mentirosas, pontes ademar garcia/boa vista, bucarem/ boa vista sem projeto sempre todos eles com discursos mentirosos, carlito, uso, etc... Todos prometeram as pontes e ninguém cumpriu.

    ResponderExcluir
  7. Mudando um pouco de assunto...

    Mas e o PT, hein? Votando para aliviar o Eduardo Cunha... O mundo dá ou não dá voltas?

    ResponderExcluir
  8. Certa vez li um comentário no facebook que dizia: " velho mimado."
    Sem mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em relação ao Udo ou em relação ao Baço? Ou ambos?

      Excluir
    2. Em relação a mim, João. Mas não sou mimado.

      Excluir
  9. Posso estar equivocado, mas o Udo está colocando as contas em dia para que no segundo mandato possa fazer as obras. Se o povo está procurando um político com sorrisos e obras faraônicas, concordo que o Udo não é e nunca será esse cara. Talvez o Dr. Xuxo seja uma boa opção, mas temos que esperar as propostas.

    ResponderExcluir
  10. Vá gostar de ponte lá no inferno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei o mesmo. Tem gente que vive na era da ponte ainda hahahahahha

      Excluir
    2. kkkkk a maioria dos anônimos deve ser cargo comissionado, só pode. Não sabem o que falar evai questionar o gostar de ponte.
      Realmente queremos pontes, elevados, transporte publico de qualidade, saneamento básico, asfalto etc. Já vocês, se contentam com o salario no final do mês, pode ser coçar a mamata vai acabar. kkkkkk

      Excluir
  11. A administração em Joinville está longe da ideal e merece ser debatida, mas é um tanto estranho como, de repente, alguns colunistas da CA, que antes abordavam questões de âmbito nacional e internacional, passaram a mirar nos problemas do município...

    ResponderExcluir
  12. A quantidade de comissionados anônimos do Udo que frequentam esta página tentando defender o indefensável demonstra o quanto o dito cujo deles deve estar piscando. A corja tá tudo de carro novo, com viagens marcadas, financiamentos assumidos para 2016, 2017, 2018....Infelizmente a politica nesta vila é isto, a cidade literalmente às traças e a realeza cada vez mais confiante que o povo ordeiro e trabalhador da Manchester vai proporcionar mais 48 meses de um adorável sustento...

    ResponderExcluir
  13. Hei, Baço, não sei qual o tamanho de sua responsabilidade sobre a CA, o conteúdo dos autores e a aprovação destes sobre os comentários, mas está faltando muita honestidade! Um dos seus colegas acaba de escrever um texto medíocre, parcial e mentiroso. Uma afronta contra a verdade e a honestidade jornalística.

    Ou o os autores do CA abrem para TODOS que querem comentar e contrapor ideias ou a página vai virar mais um panfletinho esquerdinha para afagar os egos com mentirinhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1. Sou tão responsável quanto qualquer um dos outros integrantes do coletivo. 2. A liberação dos comentários depende de cada autor. Mas não admitimos comentários de ódio, racistas, homofóbicos, misóginos e por aí vai. Os teus se encaixam nesta categoria? 3. Quanto a "medíocre", "parcial", "mentiroso" e "afronta à verdade" podemos conversar desde que saias do anonimato.

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem