quarta-feira, 22 de maio de 2013

O Catarinense acabou, agora é o Brasileirão!

A edição do Campeonato Catarinense de  2013 se encerrou no domingo, tendo o Criciúma como campeão.
A tirar pelo primeiro turno, quem diria isso, hein? Está aí a resposta que sempre há tempo de constatar os erros e ir em busca de consertá-los para chegar ao objetivo de todos os clubes que participam de um campeonato, o primeiro lugar.






Alguns balbuciaram que este campeonato foi um fracasso por não ter nem Avaí e nem Figueirense na final. Ahhhh tá bom. Fracasso foram eles, por não terem se classificado para final. Isso sim.
Bom, falando em fracasso, da um ruim falar isso, mas o grande fracasso deste campeonato foi o nosso JEC, nem no quadrangular final. Aí não, né? Acho que até o torcedor mais fiel, Karpano, irá concordar comigo.
Mas espera aí. O JEC foi premiado na noite de encerramento do campeonato: ganhou o importantíssimo prêmio fair play, de equipe mais disciplinada...ai santo, pudera.



Deixando a análise da atuação dos clubes, o campeonato foi sucesso de público e deixou os campeonatos vizinhos para trás. Isso mostra um crescimento do campeonato em si, em que todas as equipes participantes estão bem envolvidas. Diferente do nosso vizinho gaúcho que se resume basicamente em Inter e Grêmio, quer dizer, em se tratando de estadual, ultimamente só Inter.
Então é isso, gostei do Campeonato Catarinense 2013 no seu todo, no que tange ao nosso Tricolor foi deprimente.






Bom... com o Catarinense encerrado, agora o papo é com o Brasileirão, que começa neste fim de semana próximo. Esse ano estou apostando mais no campeonato, pois não terá interferência de outros campeonatos, visto que apenas dois times brasileiros permanecem na Libertadores.
Na Série A, na minha opinião, hoje, os times de destaque são Corinthians e Atlético-MG, depois vem um segundo escalão com Internacional, Fluminense, Santos, São Paulo, Cruzeiro e Grêmio.
Portanto, o título ficará nas mãos de alguns destes citados. Claro que surpresas podem existir e, por ser um campeonato longo, muita coisa pode mudar, mas eu aposto nestes, apesar de que Santos, São Paulo e Cruzeiro não aposto todas as minhas fichas, apenas um crédito.






E o JEC na Série B, as contratações continuaram, como já é de costume e como já falei algumas vezes por essas bandas. Planejamento onde? Time que passa a vida contratando para acertar o time tem coisa errada, sim. Mas vamos torcer para que o Joinville consiga engrenar, fazer o que fez na primeira fase do campeonato do ano passado, que foi ótimo, e esperar os próximos dias para ver o que vai acontecer.
Se me perguntarem se aposto as minhas fichas no JEC para ser campeão: como torcedora, sempre. Para dar pitaco, não!

3 comentários:

  1. O único time da cidade tem várias avenidas para melhorar. Infelizmente, a criatividade até parece mais um inimigo que um fiel amigo dentro do clube. Alguns até podem comentar, é fácil criticar, mas o difícil é estar lá dentro do clube e fazer alguma coisa. Tudo bem. Não é fácil. Se fosse assim, o JEC só seria campeão, e não teria para ninguém. Mas não se custa perguntar: quais as facilidades que a diretoria ou membros influentes dentro do clube disponibilizam para que pessoas com compravada capacidade e dinâmica o suficiente possam colaborar com o JEC. Tem vários membros que participam dentro do clube, que não fazem nada e não deixam fazer: por que? Porque é obvio que estão levando alguma vantagem, ou já teriam saído. Esse negócio de dizer que tem amor a camisa e ficar ocupando a moita, sem que outros a possam ocupar beneficiando o clube é algo também muito difícil de se poder aceitar ou impossível de convencer. Na verdade, tem alguns e quantos que não querem e não vão largar a teta, que me desculpem as mulheres. Assim, alguns que teriam condições de proporcionar melhorias ao clube não o poderam faze-lo, é óbvio.
    Algumas coisas que jamais teremos respostas:
    - quantos atletas dentro do elenco atual vieram da base do JEC? São poucos, para o tamanho da torcida de um clube como o JEC, por que isto está acontecendo?
    - dentro desta imensa rotatividade dos jogadores, qual é o benefício do JEC?
    - é interessante que na diretoria a rotatividade não é tão intensa, por que?
    - por que há uma troca tão intensa da comissão técnica?
    São dúvidas que se crê que não serão respondidas, pois não se tem o menor interesse nisto e sim convencer que está tudo maravilhoso.
    Clube que se dá bem, tem um elenco com muito menos rotatividade que o JEC, assim como a comissão técnica permanece por muito mais tempo que a do JEC, e obviamente a diretoria é muito mais eficiente que a diretoria do nosso time.
    Conclusão: tem muitas coisas que podem ser melhorados no JEC, e pelo andar da carruagem, não vai ser nada fácil, pelo contrário, muito, mas muito difícil.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Único time da cidade? É por causa desse tipo de protecionismo barato que o Caxias só se ferrou... claro que isso foi aliado a uma diretoria altamente incompetente!

      JEC sempre ganhou tudo de mão beijada (estádio, jogadores, apoio de políticos, etc.) e fez fiasco no estadual... paciência!

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem