quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Melhoremos

Será?
POR FELIPE SILVEIRA

Nós, pessoas de esquerda, acreditamos que os problemas do debate com a direita são três: 1) desonestidade intelectual; 2) dificuldades cognitivas e; 3) imersão em um sistema hegemônico que influencia fortemente a opinião. Nós, de esquerda, sempre acreditamos estar um passo à frente nestes quesitos, tornando o debate mais qualificado. Vem daí a ideia de que é nosso o monopólio das virtudes. Este texto é sobre a vertiginosa queda de qualidade do debate na esquerda.

De uns tempos pra cá, talvez por causa das redes sociais, é cada vez mais evidente o descuidado de parte das pessoas de esquerda para lidar com os fatos. Nossa preocupação sempre foi discutir a partir dos fatos, o que nos dá uma vantagem enorme, levando em consideração o tamanho da injustiça social do mundo. Bastava falar a verdade que a verdade vos libertaria.

Um exemplo banal: circula nas redes de esquerda um texto com o número de escola ocupadas e que aponta a falta dessa informação na imprensa, sugerindo não haver cobertura jornalística de um tema tão importante. Não é verdade. Essa é uma informação que está na imprensa todos os dias, mas quem não vê e não lê jornal acaba reproduzindo, já que acredita que a imprensa hegemônica está a serviço do capital e consequentemente não cobre algo popular.

Repare que não estou defendendo a imprensa hegemônica, a qual acredito estar mesmo a serviço do capital. Mas a discussão precisa ser feita a partir dos fatos, e não dos dogmas que cada vez mais se cristalizam à esquerda. Os fatos são cheios de nuances, tons de cinza, que precisam ser analisados com profundidade. A discussão tem ficado cada vez mais binária, preto no branco.

Uma das consequências disso é que os veículos com viés de esquerda têm perdido qualidade, falando com este leitor cada vez menos preparado para o debate. Não à toa que as “barrigadas” (notícias anunciadas como verdadeiras que se mostram falsas depois da apuração) tenham se tornado mais frequentes nestes canais.

Dessa forma, vamos nos igualando à direita, que continua com os mesmos problemas citados no primeiro parágrafo, mas que, com o capital ao seu lado, vence as batalhas. O diferencial da esquerda sempre foi um apuro maior do debate, coisa que tem cada vez mais se perdido. É preciso recuperar. Melhoremos.

6 comentários:

  1. Um dia tenho que lhe contar do teólogo suíço Karl Barth, e da crítica que ele faz à esquerda, é fenomenal. A melhor crítica que eu já li. Em suma, ele argumenta que a esquerda é mais perigosa justamente por estar mais próxima da "Verdade", e por isso se torna mais facilmente um ídolo.
    Quando nos encontrarmos te explico ;)

    ResponderExcluir
  2. Realmente a esquerda só não é perfeita por que é humilde.

    Mas falando serio: A verdade nunca é uma objeto discursivo,ou de argumentações. Um teólogo deveria saber muito bem disso e olhar para a cena de Cristo frente a Pilatos e ver no seu silencio a resposta para o problema da verdade. Pois nas palavras de Cristo antes da pergunta sobre o que é verdade ele diz : " Quem é da verdade ouve minha voz",cristo não fala entender a verdade , mas sentir a verdade. A "verdade" sempre foi uma questão de sentimentos.
    O problema da verdade como posto agora começa na democracia ateniense, entre embate de Sócrates e os sofistas.
    Os sofistas não se importavam necessariamente com a "verdade", estavam consoantes com seus afetos de poder e necessidade sobrevivência. Eles não queriam mudar o mundo, não viam nele um mal , estavam apenas a sobreviver sem caracterizar o mundo o qual viviam como mal. Veio esse nerd , gordo, ressentido e feio a corromper a juventude, a denegrir a terra e colocar o mal no mundo, pois quem julga o mundo é por que vê o mal nele. A verdade de Socrates foi só uma necessidade odiosa deste mundo, nunca percebeu que o mal estava dentro dele não nas coisas.
    Termino com a critica de Fernando pessoa a filosofia e a metafisica sendo ela materialista(esquerda) ou não.

    "Quem está ao sol e fecha os olhos,
    Começa a não saber o que é o sol
    E a pensar muitas cousas cheias de calor.
    Mas abre os olhos e vê o sol,
    E já não pode pensar em nada,
    Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos"
    De todos os filósofos e de todos os poetas.
    A luz do sol não sabe o que faz
    E por isso não erra e é comum e boa.
    Metafísica? Que metafísica têm aquelas árvores?
    A de serem verdes e copadas e de terem ramos
    E a de dar fruto na sua hora, o que não nos faz pensar,
    A nós, que não sabemos dar por elas.
    Mas que melhor metafísica que a delas,
    Que é a de não saber para que vivem
    Nem saber que o não sabem?

    ResponderExcluir
  3. Nós, pessoas de direita, acreditamos que os problemas do debate com a esquerda são quatro: 1) desonestidade intelectual; 2) dificuldades cognitivas; 3) imersão em um sistema estúpido que influencia fortemente a opinião e; 4) fascismo travestido de "rebeldia".

    Eduardo, Jlle

    ResponderExcluir
  4. Só esperando os agonizados aparecerem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já apareceu. Dá oi ali pro Dudu.

      Excluir
    2. Muda esse apelido, Zorak

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem