terça-feira, 25 de outubro de 2011

Integrantes do governo Carlito Merss ameaçam processar integrante do Chuva Ácida por não concordarem com crítica

POR COLETIVO CHUVA ÁCIDA

Foi mais rápido do que pensávamos. O Chuva Ácida não completou sequer um mês de existência e já há uma tentativa de silenciamento. O mais surpreendente, no entanto, é que a ameaça vem do governo Carlito Merss, do Partido dos Trabalhadores. Não eram eles os intransigentes defensores da liberdade de expressão?

Um dos integrantes do coletivo Chuva Ácida recebeu um e-mail de um dos órgãos da Prefeitura (Ippuj) com uma ameaça de processo judicial. O crime? Dar a sua opinião. Ou seja, estamos à frente de um caso de delito de opinião. Parece que o conceito de liberdade de expressão ainda não chegou ao corredores do paço municipal. E aos poucos as máscaras vão caindo. Afinal, parece que eles não são tão democráticos.

Neste momento, Carlito Merss está na Europa a ver como as coisas são feitas. Seria recomendável que também prestasse atenção ao conceito de democracia, mais maduro no Velho Mundo. E depois devia partilhar a experiência com os seus assessores mais diretos, que parecem não entender o que é o espírito republicano.

Como se não bastassem os altos índices de reprovação no aspecto administrativo, o Governo Carlito Merss agora também põe em xeque o pouco capital político que lhe resta, pois tal atitude projeta uma imagem de antidemocrático, autoritário e contra a liberdade. A oposição agradece. Assim, as chances de reeleição se esvaem.

Para muitos, Carlito está cercado de pessoas com pouca preparação para os cargos que exercem. E o ataque direto a este blog parece ser uma prova disso. O caminho de pessoas habituadas à democracia seria exercer direito ao contraditório. Mas os assessores diretos de Carlito Merss, que parecem tomados por uma febre de autoritarismo, preferem seguir o caminho da retaliação.

O episódio mostra um fato inequívoco. No poder, o Partido dos Trabalhadores não parece ser diferente dos outros. E recorre aos mesmos métodos de tempos passados no Brasil, quando os coronéis políticos pediam a cabeça dos seus desafetos. É uma situação muito semelhante. Aliás, judicializar a liberdade de expressão é uma das marcas dos regimes autoritários.

O Chuva Ácida surgiu com uma proposta clara: um blog de opinião feito por pessoas sem rabo preso com o poder. E sabíamos que seria um caminho difícil, uma vez que ainda há muita gente pouco habituada ao debate quotidiano e a uma efetiva liberdade de expressão.

Mas o exemplo vem de cima. E se os governantes de Joinville são os primeiros a desconsiderar a liberdade de expressão, então ainda há muito por fazer. Mas o Chuva Ácida estará aqui para abrir o caminho que leva à democratização da opinião na blogosfera joinvilense. Podem contar com isso.

E fica um aviso. Olhem para o número de pessoas que já acederam a este blog. Porque uma coisa podemos garantir: são pessoas (e eleitores) que certamente acreditam na liberdade de expressão. Sem ferrolhos.

21 comentários:

  1. O eventual processo será em razão do texto "A mulher do Cesar" http://www.chuvaacida.info/search?q=a+mulher+de+cesar.

    Sou admirador do Sr. Jordi Castan. Interessei-me pelo Chuva Ácida exclusivamente pela presença do Jordi, sem desrespeitar os demais membros.

    Sua por vezes sutileza, com sua legítima acidez, sua capacidade redacional e demais qualidades textuais são admiráveis.

    Contudo... o texto em questão, em meu entendimento íntimo e jurídico, ultrapassa a liberdade de imprensa garantida pela Constituição (ver art. 5º inc IX e inc. XIV e art. 220 parágrafo 1º e 2º), adentrando, de fato, nos crimes de injúria e difamação... quanto a calúnia, como ele não imputou crime certo, mas apenas uma possibilidade... não sei exatamente a posição de nossa jurisprudência a respeito... talvez não se configure...

    No meu entendimento, 5 pessoas foram, de fato, infundadamente atingidas em sua honra.

    Acho que o Jordi errou.

    O caminho de suposições como estas é um caminho perigoso do qual não compactuo.

    ResponderExcluir
  2. A postagem acima faz referencia ao seguinte texto:

    http://www.chuvaacida.info/2011/10/integrantes-do-governo-carlito-merss.html#comment-form

    ResponderExcluir
  3. Continuem escrevendo suas opiniões, que país é esse onde não podemos mais nos expressar que sempre vira motivo pra processo, são vagabundos que querem dinheiro fácil, a justiça brasileira deve indeferir na hora estes pedidos absurdos de direito moral,etc... exceto racismo, vai se enxergar Justiça Brasileira e pessoas da ralé tbm.Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  4. Lucas... pimenta no dos outros é refresco. E dinheiro fácil é bobagem... a "Justiça Brasileira" não é um mar de rosas, mas também não é idiota como você diz. Caso o que Jordi escreveu não for ofensivo dentro dos preceitos atuais (e eu acho que é), ela vai indeferir mesmo.

    Fora isto, parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  5. É MAIS FACIL FALAR QUE O GOVERNO QUER SILENCIAR O BLOG,ACREDITO QUE Ñ TALVES O JORNALISTA QUE FEZ GRAVES DENUNCIAS USOU ESTE VEICULO .E AS PESSOAS QUE FORAM OFENDIDAS DIRETAMENTE .SENDO ASSIM ACHO QUE O POST "A MULHER DE CESAR" FOI DE GRAVE OFENSA PORTANTO AS PSSOS NESTE CONTEXTO PODE SIM PROCESSAR O AUTOR DO TEXTO Ñ O BLOG "CHUVA ÁCIDA.INFO"

    ResponderExcluir
  6. Uma visão poética de Vladimir Maiakóvski:
    "Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim.
    E não dizemos nada.
    Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam nosso cão,
    e não dizemos nada.
    Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa,
    rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo,
    arranca-nos a voz da garganta.
    E já não podemos dizer nada."

    Arno Kumlehn

    ResponderExcluir
  7. Perdoe-me o Maiakóvski, mas continuo por mim:

    "Até que, em uma destas noites, já cegos, entramos em um cinema com uma pistola na mão e disparamos a esmo..."

    ResponderExcluir
  8. Não se pode confundir libertade de expressão com libertinagem de expressão. O texto deixa claro que tal pessoa é corrupta, afirmação que carece de provas. Chamar de incompetente é opinião, de corrupto é acusação. Espero que o ótimo Chuva ácida permaneça no campo das idéias, sem extrapolar a verdadeira liberdade de expressão.

    ResponderExcluir
  9. "um blog de opinião feito por pessoas sem rabo preso com o poder"? Sem questionamento a liberdade de expressão. Porém, até onde sabemos, o autor do texto em questão "A mulher do Cesar" já fez parte do primeiro escalão da prefeitura. Sendo assim, sua "opinião" pode vir sim, carregada de interesses. Não ter o rabo preso exige que a pessoa não esteja ligada a grupos de poder. E este não é o caso.

    ResponderExcluir
  10. Interessante o posicionamento da Indi Jacomini... não havia pensado ante este prisma.

    Suposição por suposição... a dela me parece muito mais forte que a do Jordi.

    ResponderExcluir
  11. MAS CONVENHAMOS. E ESCREVO ISTO EM CAIXA ALTA:

    O CHUVA ÁCIDA NÃO CENSUROU, SALVO ENGANO, NENHUM COMENTÁRIO, MESMO AS CRÍTICAS MAIS PESADAS.

    PARABÉNS!!!

    NESTE PONTO, NÃO TEM CASA DE FERREIRO E ESPETO DE PAU...

    ResponderExcluir
  12. Indi, há duas considerações que faço.
    1. O fato de alguém ter pertencido ao primeiro escalão da Prefeitura (no caso em questão foi há vários anos!) não invalida ou tira a legitimidade da opinião.
    2. Rabo preso é você ter dependência do grupo de poder. É estar devendo favores. É não poder tocar na ferida sob pena de perder a regalia. Outra coisa é ser parcial, defender um ponto de vista. Todo mundo que tem rabo preso é parcial, mas nem todo mundo que é parcial tem o rabo preso.

    ResponderExcluir
  13. Gilberto Pires Gayer27 de outubro de 2011 12:37

    Prezados,
    tomei conhecimento do artigo do Sr. Jordi, diga-se de passagem a quem de quando em vez leio, pois existem algumas críticas suas que julgo pertinentes sobre a cidade. Outras nem tanto. É o caso do artigo da mulher do Cesar, onde também acho que extrapolou. Uma coisa é posicionar-se em relação a dois conselheiros envolvidos em denuncias do MPE, outra coisa é condenar o restante sem qualquer indicio. Ressalto que no caso dos dois conselheiros, não se utilizaram de suas posições no Conselho em relação aos fatos denunciados. Entreguei meu cargo na PMJ em 11/08, e desde lá também não participo mais de reuniões do Conselho pois acredito que não sendo mais de confiança do Governo, não posso representa-lo nestas discussões. Mas mesmo assim, senti uma agressão gratuíta do Sr. Jordi ao afirmar que os outros 70% seriam desonestos. Tenho várias posições criticas em relação ao governo, ou mesmo ao próprio Conselho, mas sempre discuti as mesmas internamente com o grupo, até o momento dos argumentos se exaurirem, e os principios básicos que defendo se sobreporem. Acho que o Jordi se excedeu neste ponto, ofendeu pessoas gratuitamente, na sua ânsia de enquadrar todo mundo que trabalha nesta administração. Isto demonstra preconceito e intolerancia, sentimentos impróprios ao convívio democrático. E na minha humilde opinião, não tem nada a ver com liberdade de expressão. Por fim gostaria de parabeniza-los, este blog está preenchendo uma lacuna muito importante nesta cidade.

    ResponderExcluir
  14. Prezado Gilberto,
    obrigado pela sua leitura e seu comentário. O post "A mulher do Cesar", não diz e não tenta insinuar que os outros 70% seriam desonestos, diz sim que não existe corrupção, sem que haja corruptores e corruptos, e que é possivel que haja representantes de ambos formando parte do Conselho da Cidade.

    ResponderExcluir
  15. Eu entendi, pelo texto, que os 70% é formado em sua maioria por corruptos.

    ResponderExcluir
  16. O texto diz: "Se considerarmos que é imprescindível a existência do corruptor para que a corrupção se concretize, há uma possibilidade muito elevada que os próprios corruptores estejam adequadamente representados nos outros 70% que formam o Conselho da Cidade"

    ResponderExcluir
  17. Concordo com o Sr. Gilberto. Não há que se falar em liberdade de expressão neste caso.

    Usar esta desculpa para ofender pessoas sem provas é um disparate que ofende a inteligencia do leitor.

    Pode até ser verdade, sei lá, mas levantar tal situação sem provas é uma grave ofensa.

    ResponderExcluir
  18. Ou seja: vários corruptos nos 70% represantam os corruptores, que, por dedução lógica, são muitos. Se calcular pelos corruptores, vai faltar corrupto pra suprir a demanda!

    ResponderExcluir
  19. Gilberto Pires Gayer28 de outubro de 2011 09:40

    Prezado Jordi,
    como já falei, admiro o seu trabalho profissional, e também os seus comentários, sempre envoltos num clima sarcástico e irônico das pessoas e relações de nossa cidade. Até acho que não foi sua intenção generalizar, em bora no texto tenha ficado esta impressão. Para encerrar, considerando que na venda de vantagens e tráfico de influencias a maior parte dos corruptos está sempre do lado do poder público (dos três poderes), e os respectivos corruptores quase sempre no setor privado, seria mais lógico então, considerando a sua equação, que os possíveis corruptores estivessem justamente no lado não governamental do Conselho.

    ResponderExcluir
  20. Prezado Gilberto,
    você tem toda a razão a conta da forma que esta apresentada, distorce o fato que os possíveis corruptores, devem estar do outro lado da mesa. Obrigado por alertar sobre este fato.
    Não faz sentido pressupor que possa ter corruptores entre os representantes do poder publico.

    ResponderExcluir
  21. Uauh! Jordi ganhou uma tese de defesa prontinha do Gilberto. !

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem