quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Os buracos de merda de Donald Trump

POR LEO VORTIS
Shithole. Você sabe o que significa? É literalmente “buraco de merda”. Lugar que, todos sabemos, é um cu. A palavra foi usada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, para dizer que desprezava os imigrantes de “shithole countries” como o Haiti, El Salvador e alguns países africanos. A expressão caiu mal, a notícia correu mundo e o presidente foi logo tachado de racista (dá para acreditar?).

O pessoal do staff da Casa Branca, como tem feito repetidamente ao longo do último ano, tentou reverter a situação. Mas às vezes a emenda sai pior que o soneto. E os tipos decidiram criar uma versão para lá de bizarra: Trump não teria dito “shithole countries”, mas sim “shithouse countries”. Ou seja, em vez de “buracos de merda” teria dito “casas de merda”. Ficou a merda. É ridículo, mas estamos a falar de um presidente que faz do ridículo o seu dia a dia.

Donald Trump reclamou daquilo que considera falta de qualidade dos imigrantes. E perguntou: por que não são os noruegueses a ir para os Estados Unidos? Ora, é só olhar para alguns dados acerca da Noruega para saber. O sistema público de saúde. A maior expectativa de vida. A maior prosperidade econômica. O sistema público de educação. A igualdade de gênero. A liberdade política e de imprensa. As 46 semanas para mulheres que dão à luz. O índice de felicidade.

Hoje em dia as ferramentas digitais permitem fazer coisas interessantes, por vezes até driblar o poder. E foi o que fez o artista Robin Bell que, munido com um projetor de luz, projetou a palavra “shithole” num lugar emblemático: a fachada da Trump Tower, em Manhattan. As imagens, transmitidas para todo o mundo pelas redes sociais, foram motivo de gáudio para aqueles que não aturam o atual inquilino da Casa Branca.


A projeção na Trump Tower

11 comentários:

  1. Em vez de optar por noruegueses Donald Duck bem poderia acolher um sueco..como por exemplo, o primeiro ministro Stefan Lofven, soldador, metalúrgico, sindicalista, socialista, filiado ao Partido Operário Social-Democrata da Suécia, que é membro da internacional Socialista e do Partido Socialista Europeu....ah, já ia esquecendo...e piloto de caça...tal de Gripen NG.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Suécia não oferece luxo aos seus políticos: nesta sociedade essencialmente igualitária, a classe política não tem o status de uma elite bajulada e nem os privilégios de uma nobreza encastelada no poder. Sem direito a imunidade, políticos suecos podem ser processados e condenados como qualquer cidadão. Sem carros oficiais e motoristas particulares, deputados se acotovelam em ônibus e trens, como a maioria dos cidadãos que representam.

      Sem salários vitalícios, não ganham a merecida aposentadoria após alguns poucos anos de trabalho pelo bem do povo. Sem secretária particular na porta, banheiro privativo ou copa com cafezinho, os gabinetes parlamentares são espartanos e diminutos como a sala de um funcionário de repartição pública. Sem verbas indenizatórias para alugar escritório nas bases eleitorais, deputados suecos usam a própria casa, a sede local do partido ou a biblioteca pública para trabalhar quando estão em suas regiões de origem.

      Claudia Wallin, jornalista brasileira radicada na Suécia, livro: “Um País Sem Excelências e Mordomias” (Geração Editorial).

      Este primeiro ministro não saberia viver (ou ele se acostumaria), num país capitalista onde grandes empreiteiros emprestam sítios para a famíla, onde chefias de estatais de petróleo são nomeadas para custear o partido, onde os bancos estatais e de fomento são usados pelo partido.

      Enfim, esse pessoal socialista não iria se acostumar a luxúria do poder!!! Posso estar enganado!!! Quem sabe????

      Excluir
    2. Oi? A Suécia não é um país capitalista?
      O Anônimo 22:10 está confundindo um montããão de coisas. A mais bizarra é associar o capitalismo à corrupção, como se nas ditaduras socialistas (só há socialismo em ditaduras - por isso a Suécia é uma democracia capitalista de economia de mercado) não houvessem tal escárnio.

      Excluir
  2. O Trump só é comparável ao ditador Idi Amin, de Uganda, que ficou conhecido mundialmente pelas suas bizarrices. O presidente americano é a cara da sociedade de seu país: ignorante, racista e arrogante. Muito bom o artigo do Leo.

    ResponderExcluir
  3. Esqueceu de dizer q a elite e a classe média sueca não é escrota e invejosa como as daqui, que inconformadas por estarem perdendo privilégios e por terem que dividir os espaços públicos com a população que passou por um processo de ascensão social, apoiaram e financiaram um golpe de estado contra uma presidente honesta e eleita democraticamente. A Suécia tem que dar certo mesmo, pois lá a classe política não atende aos interesses de grupos estrangeiros, entregando as riquezas do país. A Suécia tem mesmo q dar certo na medida em que o parlamento desconhece o que seja bancada evangélica, bancada da tortura, bancada da bala e similares. Parlamento que que não permite q 6 famílias, que estão entre as maiores fortunas, detenham o controle midiático colocando e depondo presidentes que não atendam seus interesses. Suécia não teve de conviver com uma ditadura militar que adotou como política de estado a tortura e o desaparecimento de inimigos políticos... mesma ditadura que sucateou a educação pública e que impôs uma tal de reserva da informática, que levou a um atraso de 20 anos no desenvolvimento tecnológico do país. Pelo q se sabe, a Suécia nunca teve um ex-presidente que tenha comprado um apartamento de US$ 11 milhões em Paris.. e que viaje de jato para sua fazenda que possui uma pista de pouso construída ao lado por uma empreiteira que prestava serviços ao estado....Nunca se soube que na Suécia um presidente tenha aparecido em áudios tomando partido de grupos estrangeiros em processo de privatização de empresa estatal. Pra finalizar, a Suécia também desconhece o que seja um juiz desfilar em festas cercado de políticos sabidamente corruptos. Enfim, a Suécia é outro nível. P.S. ( Não esquecendo q todas essas mordomias que o anônimo das 22:10 publicou, foram implantadas ao longo de tempo por parlamentares de centro-direita, aqueles das bancadas evangélicas, da bala, da tortura, das grandes corporações, das imobiliárias..e que representam mais de 70% de todas as casas legislativas do país).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lemos, chegou remédio no postinho!!! Bora lá!!!

      Excluir
  4. Sobre o Shithole, Trump disse o que pensam todos vocês, hipócritas!
    É feio, é. É dispensável, sim, sobretudo quando a patrulinha chata do politicamente correto da imprensa (liderada pelo Jorge Pontual) e pelos grupelhos de blogs sujos dão mais importância a esses atos falhos do que à economia estadunidense que está indo muito bem e empregando milhões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que Trump convence mais os brasileiros que os norte-americanos, uma vez que segundo dados de hoje ele tem 55,5% de reprovação.

      Excluir
    2. Dilma chegou a ter 71% e ainda governava!!! O que são 55,5% ???? kkkkk

      Excluir
    3. Oh! Que comentário inteligente.

      Excluir
    4. Foi você que começou!!!!

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem