terça-feira, 16 de agosto de 2016

Os noruegueses, esses comunistas, querem o nosso petróleo

















POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO

O leitor e a leitora já foram à Noruega? É um destino que vale a pena, apesar de ser um dos mais caros do mundo. Tem incríveis belezas naturais, gentes simpáticas e, claro, um padrão de vida de fazer inveja. Mas há um fator que faz toda a diferença: graças ao petróleo, o país tornou-se um dos mais ricos do mundo. E com muita grana para investir na economia mundial, inclusive no Brasil.

A Statoil, empresa do setor de extração de gás natural e petróleo, adquiriu, há poucas semanas, a participação da Petrobrás no campo de Carcará, no pré-sal da Bacia de Santos. E novos investimentos devem surgir nos próximos tempos. Talvez esteja aí um exemplo interessante para mostrar por que a Noruega é rica e o Brasil continua na lista dos países que demoram a arrancar para o desenvolvimento.

A Noruega tem dinheiro de sobra. O capital vem, sobretudo, dos negócios com o petróleo. A descoberta de enormes jazidas, nos anos 70 do século passado, fez com que o país se tornasse um dos maiores exportadores mundiais. E sabem qual foi a estratégia dos noruegueses? Destinar parte da grana do petróleo para o Estado, que assim pode investir no desenvolvimento de outros setores da economia.

E o Brasil? O pré-sal deveria destinar o dinheiro para a educação e saúde. Mas isso é coisa de comunista. E o desmonte do pré-sal já começou. Suprema ironia, o pontapé inicial foi dado justamente com uma empresa norueguesa. Ou seja, o Brasil ajuda a enriquecer ainda mais os noruegueses e ao mesmo tempo fica mais pobre. Não foi por falta de alerta: os entreguistas do governo interino estão a hipotecar o futuro do país.

O script do novelão entreguista é simples:
-       Em 2011, a Wikileaks revela as conversas entre José Serra e a Chevron sobre o pré-sal.
-       Em 2014, começa a fase mais visível da Operação Lava Jato.
-       Com os escândalos revelados, a Petrobras é desmoralizada perante a opinião pública.
-       Em 2015, o senador José Serra entra com um projeto que muda as regras do pré-sal.
-       Em dezembro de 2015, o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, aceita o início do processo de impeachment contra Dilma Rousseff.
-       Em fevereiro de 2016, o projeto de lei de José Serra é aprovado no Senado.
-       Maio de 2016. Dilma é afastada e a imprensa internacional denuncia o golpe.
-       Ainda em maio, o senador golpista José Serra assume o ministério das Relações Exteriores.
-       Em julho de 2016 a Statoil anuncia a compra de 66% do bloco BM-S-8, no campo de Carcará.

Os anéis estão a ser entregues. Mas a sanha dessa gente não se importa de entregar até os dedos. E dorme a pátria tão distraída. Não tem panela nem camisa amarela. Aliás, se você, leitor e leitora, está com um desejo incontido de me chamar “comunista”, fique à vontade. Porque eu sou comunista como os noruegueses, esses esquerdopatas que ousam socializar a riqueza.


É a dança da chuva.


Estátua de Ibsen em frente ao Teatro Nacional, em Oslo

45 comentários:

  1. Não conheço a Noruega, conheço a vizinha Suécia (que são muito parecidos). Os países nórdicos são conhecidos pela política do welfare state e são, provavelmente, os países mais capitalistas que eu conheço, mas com governos tradicionalmente sociais democratas.

    Abro um parêntese aqui para questionar quais partidos brasileiros adotam a mesma filosofia política? Dica: não é PSOL, não é REDE, não é PT, muito menos PSTU, PCdoB e PDT... Mais uma dica: esses partidos brasileiros sociais democratas são (vejam só!) vistos no Brasil como “partidos de direita”.

    O autor não levou em consideração que apenas a mínima parte dos recursos do petróleo norueguês vai para custear o seu gigantesco Estado, a maior parte forma um fundo soberano calculado em 800 bi de dólares, aproximadamente. A Noruega, ao contrário de países subdesenvolvidos (como o Brasil e Venezuela, por exemplo) não caiu no conto dos recursos perdulários providos do petróleo, a famosa “maldição negra”. A maior parte dos recursos dos gigantescos Estados dos países nórdicos provém dos altíssimos impostos pagos por suas populações – não do petróleo! Que o diga a Suécia, a Dinamarca e a Finlândia.

    A propósito, outro país com serviços públicos de altíssima qualidade, exemplo máximo do liberalismo clássico é, vejam só, a Grã-Bretanha (pergunte a um europeu do Sul em qual país ele gostaria de viver – na livre Grã-Bretanha ou na controlada Noruega?). A Alemanha, com o seu ortoliberalismo, sequer tem uma estatal de petróleo.

    Se a norueguesa Statoil é uma estatal, a British Petroleum, a maior empresa petrolífera da Grã-Bretanha, foi há muito tempo privatizada, idem para a ENI (Itália), Elf e Total (França) e Repsol (Espanha) e Shell (Holanda/Grã-Bretanha).

    Hoje as maiores estatais de petróleo são de países “altamente democráticos”, como a Saudi Aramco (Arábia Saudita), Gazprom (Rússia) e CNOOC (China).

    Os Estados Unidos não têm uma estatal de petróleo. O Canadá não tem uma estatal de petróleo. A Austrália não tem uma estatal de petróleo. O Japão não tem uma estatal de petróleo.

    A Petrobrás foi pilhada durante 14 anos pelo governo petista. Essa estatal serviu e ainda serve aos interesses de partidos políticos, não dos brasileiros. Se quisermos um país mais democrático e transparente, a vaca sagrada da Petrobrás, bem como outras estatais improdutivas e caras devem ser privatizadas o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No dia em que leres o meu texto, eu respondo. Até lá...

      Excluir
    2. Rapaz, não é que o Antonio Carlos sabe usar o "Copia" e "Cola"?

      Excluir
    3. Não é “copia” e “cola”, é apenas uma pequena consulta para embasar conhecimentos já consolidados.
      Aproveitando o ensejo, que tal deixar essas ideias bovinas de lado e abrir um pouco mais o seu horizonte de pensamentos?
      A esquerda latino-americana é burra que dá pena, e você faz parte dela.

      Excluir
    4. HAHAHAHAHAHA
      Caramba, que baldão de água gelada... Bom pra abrandar o verão alentejano.

      Eduardo, Jlle

      Excluir
    5. Ná. Sem problemas com o verão (que no meu caso não é alentejano). Eu trabalho de frente para a praia. Qualquer coisa, é só atravessar a rua e dar um mergulho.

      Excluir
    6. É um showzinho do António Carlos pra dizer que foi à Suécia. Abestadinho do PT.

      Excluir
    7. A "liberal" Inglaterra onde é proibida a medicina privada? Onde só a medicina pública é permitida? Onde a educação PÚBLICA é a mais almejada? Mas também é na liberal Inglaterra que há a câmara dos lordes, que não passam por ELEIÇÕES para serem eleitos. Ah, sim, a "liberal" Inglaterra é uma monarquia, seu estúpido.

      Excluir
    8. Em tempo. É falsa a afirmação de que a Grã-Bretanha é um lugar onde qualquer europeu do Sul gostaria de viver. Não corresponde aos fatos. Mas nem vou me dar ao trabalho...

      Excluir
    9. Penso que o anônimo 00:09 está confundindo sistema de governo com sistema econômico. Inglaterra e Dinamarca são monarquias parlamentaristas e capitalistas, porém a Inglaterra adota o sistema liberal (que nasceu ali) e a Dinamarca, a social democracia.

      Excluir
    10. Antônio Carlos fez uma mistureba de informação que não tem alguma ligação. Quer falar de qualidade vida dos países ou democracia? E daí que Arábia Saudita não é democrática, dentro do contexto discutido? O padrão de vida de um saudita é altíssimo. Você relaciona de forma simplista que países desenvolvidos não precisam de uma estatal para serem desenvolvidos. Mas a discussão do texto e que você supostamente iniciou não era sobre a qualidade da saúde e educação? Pera lá. EUA, país desenvolvido sem estatal, ok. Mas um estudante universitário médio vai ter uma dívida pro resto da vida. Não existe saúde pública. Nao vejo vantagem em não utilizar a riqueza desse recurso em benefício do desenvolvimento social do pais, a não ser que você seja o empresário. Japão? Que petróleo tem para explorar? A própria Inglaterra está nesse caso, para quê uma estatal para explorar um recurso inexistente no território?

      Excluir
    11. Quem está fazendo a mistureba é você.

      Excluir
    12. "A própria Inglaterra está nesse caso, para quê uma estatal para explorar um recurso inexistente no território?"

      É? e o que a British Petroleum faz no mar do norte e no golfo do México?

      Excluir
    13. Primeiro dsestaco o teu seguinte trecho, Antõnio Carlos.

      "Não conheço a Noruega, conheço a vizinha Suécia (que são muito parecidos). Os países nórdicos são conhecidos pela política do welfare state e são, provavelmente, os países mais capitalistas que eu conheço, mas com governos tradicionalmente sociais democratas.

      Abro um parêntese aqui para questionar quais partidos brasileiros adotam a mesma filosofia política? Dica: não é PSOL, não é REDE, não é PT, muito menos PSTU, PCdoB e PDT... Mais uma dica: esses partidos brasileiros sociais democratas são (vejam só!) vistos no Brasil como “partidos de direita”."

      O Brasil tem cerca de 30 partidos políticos e mais de 200000000 de habitantes e desses mais de 200 milhões, quase todos , mais de 90% por cento não sabem quais são esses partidos de direita tão bons assim ao país! Provavelmente os políticos desses partidos e parte de seus filiados e simpatizantes deve saber que os tais partidos de direita são "tão bons para o país" e todos nós os outros mais de 200 meilhões de brasileiros "não sabemos"! Conte-nos quais são esses partidos de direita que fazem tão bem ao Brasil, que adotam a mesma filosofia política que na Noruega (sim eu não esqueci que tu usaste este termo, pois tu vais fugir da resposta provavelmente, isso se tiveres coragem pra responder...), é interessante que os tais partidos de direita "tão maravilhosos" para o país tem essa filosofia política mas nunca a aplicaram na prática no Brasil, muito pelo contrário.
      Só te falta vir defender a Rede Globo aqui, vais dizer que ela é uma emissora honesta, extremamente ética, imparcial, neutra, profissional, equilibrada e que não tenta induzir ninguém a coisa alguma, nem sonegam milhões em impostos e que os Marinhos não tem uma mega mansão em Paraty RJ. Aguardemos.

      Excluir
    14. Antônio Carlos, já que a esquerda latino-americana é tão burra assim, te desafio a fazer um tautograma em resposta ao meu, creio que tu não tens inteligência e muito menos competência para fazer.
      Eis aqui, Antônio Carlos, o tautograma pra te humilhar, caro coxinha do chuva ácida.

      Caro Coxinha

      Caro coxinha, cujo cérebro cheio com cocô, clamas, conclamas, choras, choramingas contra comunistas, contra carmesins; contudo calas como criança com calça cagada contra criminosos com crime de colarinho claro, contra corruptores com carteira cheia com cifrões, com cheques com centenas de cifras; calas constrangedoramente contra construtoras corruptas, contra comunicadores de canais, cínicos, contra chefões corruptores com concessões de comunicação; calas contraditoriamente contra candidatos capitalistas corruptos, contra congressistas capitalistas corruptos, contra certos Cunhas corruptos (Aécios, Eduardos, Cássio Cunha Lima); calas cinicamente contra criminosos cruéis caçadores de comunistas, contra combatentes, cabos, comandantes, coronéis criminosos cometendo crimes cruéis contra comunistas; calas covardemente contra coronéis conservadores chefões corruptos com chácaras colossais, coronéis campesinos cheios com campos de cultivo, criadores coronéis com criações com cinquenta ao cubo , cem ao cubo, cinco centenas de criaturas cujas carnes consumidas comercializadas, em cidades, continentes, contra coronéis capitalistas covardes cerceando, cercando comunidades carentes, contratando crianças carentes; calas cabalmente contra comunicadores charlatões crentes conservadores contemporâneos (com cabeças Cretáceas) comandando com cabresto cordeiros crédulos, confiscando cheques, contas correntes, cartões com crédito, centenas e centenas de cifras; calas constantemente contra colegas coxinhas cínicos, corruptos, crápulas, canalhas, covardes cometendo com computadores crimes cibernéticos, contra cidadãos comuns, comunidades carentes.
      Clamas, choramingas, compulsivamente contra Cuba, contra cubanos, contudo conheces Cuba? conheces culinária, comidas, costumes, comunicações, colégios, cidadãos, cultura, canções, construções cubanas? conheces crianças, cidadãos, cidades, capital cubana? conheces coisinhas, comentários caducos, confusos.

      Excluir
    15. Antônio Carlos sumiu. Rsrs

      Excluir
    16. esquerdistas a fazer esquerdices...
      Amo esse blog

      Excluir
    17. Gostaria de dizer ao Antônio Carlos que se o FHC tivesse privatizado a Petrobras, com certeza não teríamos a melhor tecnologia do mundo na exploração de petróleo no pré-sal. Vale a pena lembrar que a Vale foi privatizada e o que ela mais ofereceu aos brasileiros foi lama. Pergunta aos moradores ribeirinhos do rio Doce o que acham desta grande empresa?

      Excluir
  2. Alguém pode, por gentileza, contra-argumentar essa tal de Antonio Carlos. Rápido, pois já estou a perder a minha fé...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ora, é a mesma coisa que debater com a Wikipedia...

      Excluir
    2. mas a wikipedia está muito bem, hein?!

      Excluir
    3. E pode melhorar. Vai lá e faz uma doação que os caras estão sempre a precisar de grana.

      Excluir
    4. Perca seu tempo não anônimo, AC só enxerga aquilo que quer. Melhor deixá-lo com sua coxinhês.

      Excluir
  3. Baço, espere os Felipes chegarem que eles resolverão tudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos três agora. Dois Felipes e um Filipe. É disso que estás a falar?

      Excluir
  4. Devo agradecer ao José Serra?

    Seguinte: o petróleo é um commodity que pertence à nação brasileira. Não é o monopólio de uma estatal que vai garantir o direito do país sobre o petróleo, mas a sua força militar, que no Brasil está defasada. A Petrobrás é estratégica não para o cidadão brasileiro, mas para os partidos políticos que a usam como moeda de troca nesse tipo de presidencialismo de cooptação. Estratégica para o brasileiro seria a livre concorrência na extração, refinamento e comercialização do petróleo, melhorando a qualidade do produto e a diminuição do preço. O exemplo norueguês é um ponto fora da curva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode até ser um ponto fora da curva, mas por que não adotar alguns de seus ponto por aqui já que vem, "aparentemente", dando certo?

      Excluir
    2. Na Noruega o dinheiro do petróleo vai praticamente todo para o fundo soberano daquele país, não é usado para custear os benefícios sociais, para isso têm os altos impostos, um Estado eficiente e com políticos honestos.

      Olhe o exemplo do Rio de Janeiro! O Estado está quebrado porque, ao invés de investir os recursos dos royalties do petróleo num fundo para mais tarde usá-lo em períodos de crise, fez dívidas e acumulou gastos constantes com o funcionalismo público. O preço do petróleo caiu, mas as dívidas e os salários se mantém.

      Como encaixar uma Noruega na realidade brasileira. Bom senso, por favor!

      Excluir
    3. Ó, Anônimo. O fundo soberano não é dinheiro no cofre. É dinheiro que os caras investem no mercado mundial (e até tem alguns prejuízos). Em termos internos, investem na agricultura ou em pesquisa. Mais recentemente trabalha para recuperar o setor imobiliário, que enfrenta dificuldades. Ah... e não queres que invistam em saúde e educação, né? Isso foi feito há décadas.

      Excluir
    4. Sim, o fundo soberano não é dinheiro num cofre, ele se tranforma em investimentos, sobretudo em outros países. O que eu quero salientar é que os noruegueses no momento não dependem desse fundo, os altíssimos impostos pagos pela população dão cabo dos investidores estatais em educação, saúde e segurança. Em resumo, a estatoil é um mero executor do processo de extração e comercialização, não um financiador do governo, como é a petrobras.

      Excluir
    5. Sim, tipo no México né babaca. Vai ler outros jornais e revistas que não a trinca "folha, estadão e oglobo" que tu aprende a somar, subtrair, dividir e multiplicar rapidinho, estúpido.

      Excluir
    6. Quando o baço diz que não vai nem comentar o comentário é por que os "antonios carlos" da vida já superaram os "eduardos"... (estúpidos)

      Excluir
    7. O problema do Antônio Carlos e do Eduardo é que não leem os textos publicados e só entram para fazer sempre os mesmos comentários. Você escrever sobre a diarreia semanal dos jacarés de Bornéu, mas o comentário é sempre sobre o Estado malvadão versus o maravilhoso mercado. Não há pachorra.

      Excluir
    8. Só entro no chuva ácida para ver o Baço ficar nervosinho e sem resposta. kkkkk

      Excluir
    9. Hã... hummm... aaah... cof! Purtz... fiquei sem resposta.

      Excluir
  5. O liberal EUA não tem estatal de petróleo mas tem a NASA, estatal com orçamento de US$ 18 bi para 2016, 1 bi a mais que o orçamento da Britsh Petroleum para o ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os EUA não têm uma empresa estatal porque a indústria do petróleo é um Estado dentro do Estado.

      Excluir
    2. E o que a Statoil é dentro da Noruega?

      Excluir
    3. Um Estado social dentro do Estado social?

      Excluir
    4. Sim, a Statoil é um estado social...

      Humildade, cara, humildade. Escreveu bobagens e achou que só tinha esquerdista burro a afagar o teu ego.

      Excluir
    5. Ora, eu acho que tem muito direitista burro (passe o pleonasmo) nos comentários. E tu estás aqui para comprovar. Quem mais perderia tempo de vir ao blog para tentar demostrar superioridade intelectual e ganhar discussões com os bloggers? Só alguém desesperado por atenção. Enfim, nem percebes mais és meu refém.

      Excluir
  6. o pré-sál, o pré-sál.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espera o pós-pré-sal. E vai ver por que as lágrimas são salgadas.

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem