quarta-feira, 6 de março de 2013

A culpa não é do BBB



POR FERNANDA M. POMPERMAIER 

Quantas vezes ouvimos por aí que brasileiro, de uma forma geral, não se interessa por política, apenas por futebol, novela, carnaval ou big brother? 

Inúmeras vezes. 

Confesso que também já pensei o mesmo. Mas minha percepção mudou e vou dizer por quê. 
Em todos os países do mundo existem programas e eventos desse tipo para que as pessoas fujam um pouco do dia-a-dia, muitas vezes cansativo e corrido e consigam desestressar vendo algo que não exija muito raciocínio. É óbvio que cada um desestressa do seu jeito, tem os que lêem romances, assistem filmes, acampam, tocam algum instrumento, jogam no computador,   enfim... esses recursos/atividades são necessárias para se ter qualidade de vida. Eu não vejo muita diferença entre relaxar lendo livros pouco complexos, como Paulo Coelho, 50 tons de cinza, auto-ajuda ou alguns best-seller na lista da veja, e assistir novela, (ou o BBB). Tudo a mesma coisa, trama simples, fácil de acompanhar, relaxante. 
Confesso que novela não consigo assistir, me irrita, parece que me chama de estúpida o tempo inteiro mostrando aquelas madames super enfeitadas, aquela mesa de café da manhã recheada, aqueles dramas bobinhos, uish... Mas acompanhei algumas minisséries como A Presença de Anita e Hilda Furacão. Big Brother também já acompanhei uma vez, o 9, torci pro Max. Fica um pouco chato quando as pessoas são muito superficiais, vazias,.. mas se tem gente interessante, barraco, é programão.

O Carnaval, o samba e a bossa-nova deveriam ser motivo de orgulho para todos nós. O carnaval é um evento conhecido mundialmente, o samba um ritmo diretamente relacionado com o Brasil, alegre, com um movimento de dança específico e super difícil de ensinar, algo como o tango na Argentina, nossa marca. 
Eu sinto uma pequena vergonha alheia quando vejo as mulheres semi-nuas (ou nuas) sambando cheias de penas, uma coisa meio indígena, meio exótica, vende uma imagem sexual demais, na minha opinião, mas a festa em si é ótima, as fantasias, os carros alegóricos, a diversão, maravilhoso.

Aqui na Suécia tem uma competição muito famosa que se chama Melodifestivalen (http://www.svt.se/melodifestivalen/), tipo aquele programa "Ídolos", super audiência, todo mundo assiste, torce, vota e comenta no trabalho. Nela é selecionado um representante que compete no Eurovision, competição que reúne representantes de vários países da Europa. Tem  muita música boa, ano passado a final foi super emocionante e ganhou uma sueca chamada Loreen com a música Euphorria. Esse é o vídeo da apresentação dela na final, foi muito emocionante: http://www.youtube.com/watch?v=Pfo-8z86x80. Futebol também é campeão de audiência, aliás os suecos acompanham muitos esportes. BBB tem no mundo inteiro, por aqui costuma passar de madrugada, acho que não deve ter audiência alta, mas sempre tem quem gosta. 

Por isso eu penso que essas campanhas, principalmente no facebook contra o BBB, o carnaval ou similares são estúpidas, porque uma coisa não tem nada a ver com a outra. As pessoas podem assistir o BBB todos os dias e serem super cidadãs. 

A Suécia tem nível quase 0 de corrupção. Tem seus programas "alienantes", mas quando as pessoas estão trabalhando são sérias e focadas. Assim também na política. Quando se trata de  questões que envolvem o coletivo, decisões importantes, as pessoas são extremamente sérias, objetivas e responsáveis. Nosso problema com a política é cultural, nos acompanha desde a colonização e tenho esperança que esteja mudando. Mas não é culpa do BBB.

12 comentários:

  1. Geovani Lampugnani6 de março de 2013 13:20

    O brasileiro virou opinador de "facebook".
    Ontem eu me senti um lixo, como ser humano.
    Pessoas postando e compartilhando uma foto de um presidente morto, com dizeres "Vai tarde".

    Ser humano = raça inteligente?

    Qual mamífero mata da própria espécie?

    Não tenho opinião a respeito do tal presidente, pois não possuo subsídios suficientes para isso. Agora... Ficar contente com a morte de uma pessoa é o fim, mesmo.

    Quando eu vejo, em tudo o que ocorre e que choca, pessoas falando "QUEREMOS JUSTIÇA", eu vejo um bando de mentirosos, até que se prove o contrário. Na verdade as pessoas estão querendo dizer "QUEREMOS VINGANÇA". A morte pela morte. A morte pelo sofrimento alheio. A morte de uma pessoa que não influenciou em nada sua vida.

    A que ponto chegamos, raça humana?

    Até quando levaremos as discussões para o lado unilateral e pessoal? Prevalecer nossas ideias e julgar que aos que não pensam da mesma maneira estão errados e não querer compartilhar com o ouvido, no caso da internet, com os olhos?

    As pessoas querem ser ouvidas, mas não querem ouvir. Gostam de pessoas "verdadeiras", porém não estão preparadas para ouvir a verdade.

    E o que é a verdade???

    Prefiro continuar o caminho errante de tentar seguir na retidão, fazendo aquilo que escolhi. Da melhor maneira possível.

    Porém não desejo a morte de ninguém. Nem de quem não concorda com o que acabei de escrever.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pergunta o que é a verdade??? Eu respondo:

      http://gilrikardo-blog.blogspot.com.br/2011/10/verdade.html

      Excluir
  2. Geovani Lampugnani6 de março de 2013 13:20

    MAs ninguém gosta de política, mesmo, Jordi. Nenhum comentário.

    ResponderExcluir
  3. eu gosto de Politica...não de certos fazedores da Politica...agora não entendi...se a pergunta era sobre gostar ou não de Politica...ou gostar ou não do BBB...bem desculpe!!!acho q sou mais um estupido brasileiro....DWW

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha intencao era discutir essa imaginaria relacao entre nao gostar de politica e gostar de bbb e afins. Na verdade meu titulo era " a culpa nao eh do bbb", mas o Jordi mudou provavelmente para ficar mais atraente (provocativo).

      Excluir
  4. Cara Fernanda, o que nos faz mudar é o esclarecimento, o estudo, o conhecimento. Eu não assisto nenhum dos programas que você citou. Nenhum me faz falta. E se dão audiência é porque pessoas assistem. Então quem sou eu para criticar este ou aquele programa. Somos sete bilhões no planetinha, e há gosto para tudo. Que bom que assim seja. Democraticamente cada um cultivando os pensamentos que desejar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato.
      Agora vc ha de concordar comigo que o foco da revolta deveria ser justamente na informacao, na educacao, no desenvolvimento da intelectualidade, e nao no programa. O programa pode estar la, porcarias culturais sempre vao existir, quem decide a audiencia eh o telespectador, nao eh?

      Excluir
    2. -Veja, que adianta eu criticar tais programas, se tem audiência é porque alguém assiste. O dia em que ninguém assistir, acaba. É tão simples que ninguém acredita.

      Excluir
  5. Putz, será que na Suécia o consumo de droga ilícita é livre? Sabe como são esses países de primeiro mundo, é aqueles em que tudo é melhor que aquilo que temos no nosso. Talvez sim, porque esse texto deve ter sido descrito em algum momento lisérgico... um título sobre brasileiro não gosta de política e uma redação que aponta sobre gostos pessoais sobre BBB....Acho um barato esse blog, a maioria dos "postadores" são incríveis, mas os textos de vossa autoria são muito mequetrefes. Num defende o aborto como direito feminino, noutro tenta falar sobre cultura política e sai pela tangente. Aos editores do blog vamos exigir capricho semântico dos autores, afinal de contas é um espaço em que se gera opinião pública...

    ResponderExcluir
  6. Que absurdo, sr.anonimo, eu achar que o aborto eh um direito da mulher. E de quem mais mesmo deveria ser? Estranho que a oms pense o mesmo e a maior parte dos paises desenvolvidos. Alias,na Suecia drogas sao sim ilicitas, e a venda de bebida alcoolica eh controlada pelo governo. Prostituicao tbem eh ilegal e nao existem moteis. Veja, eh um pais com muitas regras, mas direitos pessoais garantidos como o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Meu objetivo com o texto nao era de discutir a relacao do brasileiro com a politica, mas tirar a culpa dos programas citados. O titulo como eu disse noutro comentario era outro, alias vou mudar. Nao ficou condizente. E mesmo que nao goste do que escrevo, aprecio a audiencia. Obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Oi Fernanda :)

    Já assisti alguns dos tais programas e já os critiquei também.
    Hoje minha visão é diferente, existe e sempre existirão! Assisti quem quiser, certo!
    Então vamos mudar o foco, oras!
    Ao invés do criticar quem assisti o programa, gastemos nossa preciosa energia para divulgar cultura, a leitura, bons livros, bons filmes, enfim...
    Podemos ajudar as pessoas a identificar outros horizontes, a despertar para o que é construtivo!
    E um pouco de bobagem de vez em quando não faz mal a ninguém não é mesmo? Alivia a cabeça e rende boas risadas :)

    Abraço

    Andreia Züge

    ResponderExcluir
  8. Exatamente, Andreia.
    Vc me deu uma ideia. Obrigada! Bjos.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem