quinta-feira, 14 de março de 2013

A paulocoelhização da vida


POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO
Se eu quisesse escrever um livro para ganhar dinheiro, não teria dúvidas: seria um livro de auto-ajuda. Por quê? Ora, porque há por aí um monte de gente que baba na gravata e anda louquinha para acreditar em qualquer besteira que se escreva. Há uma espécie de
paulocoelhização da vida. 

O que isso significa? Ora, muitas pessoas acreditam que os problemas mais complexos podem ser resolvidos apenas com frases feitas. É só ler esta que roda aí pelas redes sociais:
- Quando você quer alguma coisa, todo o universo conspira para que você realize o seu desejo.

Viu como é fácil? É só desejar. Ok… mas faz anos que eu desejo o fim do conflito do Darfur, uma vacina para a AIDS, uma melhor distribuição de renda no planeta e, claro, acertar na loteria do Euromilhões. E o que acontece? Nada. Parece que o universo conspira ao contrário. Mas…
-    As decepções, as derrotas, o desânimo são ferramentas que Deus utiliza para mostrar a estrada.
Ah… como não percebi isso antes?

As prateleiras das livrarias estão infestadas dessas inutilidades que são os livros de auto-ajuda. E quanto mais flagelam a inteligência, maiores chances têm de se tornar bost-sellers. A fórmula dos textos é simples, simplória mesmo: é só usar uma linguagem bobinha, otimista e prometer soluções quase mágicas para obter riqueza, saúde, amor, felicidade ou até bom sexo.
- Uma vez feita a escolha é preciso seguir adiante e confiar no seu
próprio coração.

Os livros de auto-ajuda são escritos para os bovinos da classe média-mediana, pessoas aparentemente educadas que na verdade não passam de analfabetos funcionais. Os textos são alienantes e falam de um mundo sem dissenso, sem política e, claro, sem sinal de
inteligência. É um mundo de aluados, com mais ou menos dinheiro, para os quais os problemas do mundo se resolvem com pensamento positivo. Se eu desejar muito, eu consigo.
- Escuta o teu coração. Ele conhece todas as coisas. Pois onde ele
estiver é onde está o teu tesouro.

O segredo do sucesso desse tipo de obra (e aqui "obra" vem do verbo "obrar") é não exigir muito do leitor. Tudo deve ser feito sem qualquer esforço, a começar pela leitura do livro, que precisa ser rápida, fácil e sem qualquer coisa que cheire a complexidade. O que esses livros pedem? Para ter uma atitude mais positiva em relação à vida. Manter a mente focada apenas nas coisas boas. Enfim, a típica lenga-lenga para dormitar pangarés.
- Todos os dias deus nos dá um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes. O instante mágico é o momento em que um "sim" ou um "não" pode mudar toda a nossa existência.

É o que vivo a repetir. A única maneira de ficar rico com os livros de auto-ajuda é escrever um. E acreditar que há tolos suficientes para fazerem dele um bost-seller.

P.S. – As citações deste texto foram tiradas da internet e, ao que parece, são de autoria do escritor Paulo Coelho. Não tenho certeza: já tentei ler o cara, mas não aguentei.

25 comentários:

  1. Ele eh insuportável, tbem nunca consegui terminar um livro. Pra dar uma chance comecei a segui-lo no Twitter. Tive que tirar. O tempo todo essas frases bobinhas, fotos dele se exercitando e tals... Cheio de conselhos pro mundo todo, o velho sábio da montanha... So o bêbado do Raul pra dar voz pra esse doido...

    ResponderExcluir
  2. Gostei do texto. Incluiria no bojo do assunto qualquer edição da revista "Você S/A". Quem ler esta revista com seriedade tem duas opções; ou se sente um idiota por não conseguir ter sucesso sendo ele tão fácil (vide matérias da revista), ou fica enojado com o conteúdo rasa auto-ajuda empresarial.

    Das frases de auto-ajuda, fico com a do filme "Nemo", que de fato me serve. Foi proferida pela personagem Dory; "Quando a vida te decepciona, qual é a solução? Continue a nadar! Continue a nadar! Continue a nadar, nadar, nadar! Para achar a solução, nadar, nadar!"

    TW

    ResponderExcluir
  3. Desisti quando quando fiquei durante anos mentalizando pro meu cabelo não cair mais.Não funcionou!

    ResponderExcluir
  4. 100%! Onde assino? Sem contar que os livros de auto-ajuda são como novelas: Tudo mastigado, não levam o leitor a refletir sobre nada. Todas as conclusões são prontas.

    ResponderExcluir
  5. Embora eu concorde com boa parte do texto, não posso deixar de notar também a tamanha frustração que o Baço deve sentir. A impressão que tenho é que você se acha mal aproveitado aí em Lisboa, sendo tão inteligente, tão culto e tão deus.

    Concordo com o conteúdo, mas não com a forma que escreves. Dá a entender que qualquer um que apresente qualquer ideia contrária a sua é um burro, incoerente, cego, etc...

    Na sua descrição deste blog, você dizia que "acha legal ter diplomas, mas sem precisar mostrá-los". Oras, se a cada faísca de debate que se cria você já começa a desfiar um rosário de "títulos" para se defender, eu incluiria os seus textos como sendo tão "profundos" quanto os do Paulo Coelho e Auto-ajuda Ltda.

    Poderíamos também colocar aí no roll dos que acreditam nos milagres que Paulo Coelho ensina, todos os crentes em alguma religião, uma vez que "basta pedir ao Pai e tudo vos será dado".



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou mal aproveitado. Na verdade, eu gostaria mesmo é de ser o centroavante do Sporting, mas os caras não me contratam. É um desperdício deste enorme talento. Ah.. e não me viste mostrar títulos. Isso é mentira... até porque o Sporting não é campeão desde 2002. Desde lá, nenhum título.

      Excluir
    2. Anônimo das 13:53... achei curioso o seu texto. Concordo com todas as suas afirmações. Também tive sempre esta impressão do Baço. Arrogância 110%.

      Mas não neste texto, que, por sinal, gostei muito e não vi traços desta característica.

      Excluir
    3. 110 por cento? Ò, meu amigo Anônimo da 15:00 (baita pontualidade). Bem se vê que você não me conhece. É 171 por cento.

      Excluir
  6. Como disse, eu concordo com o pensamento em si. Só não acho adequado alguém que se julga tão douto e social, chamar alguém de "bovino da classe média-mediana", "analfabetos funcionais".

    Ele critica o Paulo Coelho, mas não é capaz de escrever um livro e tentar vendê-lo (já que é tão inteligente e culto). É esse tipo de atitude do Baço que eu critico veementemente. Aparentemente ele sabe de tudo, mas não faz nada. É a típica pessoa que é inteligente, tem boas ideias, mas sempre ficará no campo das ideias. Não tem capacidade executiva. Só saberá criticar, sempre.

    De todo modo reitero, concordo com a essência do texto, mas não deste jeito arrogante e prepotente de escrever.







    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro Anônimo das 16:14. Por que achas que eu entrei para o blog? É porque em nenhum outro lugar aceitam os meus textos arrogantes e prepotentes.

      Excluir
    2. Aê,Baço,sifu hein...até eu ja lancei um livro,ce não ! ahahahahahaha

      Excluir
    3. Caros anônimos e não anônimos, se não fossem os ótimos textos do Jordi, eu não entraria neste blog. Alias, devo ser um idiota por ter lido este texto e estar postando aqui... vesti o chapéu.

      Excluir
    4. Aê, Cão. Se ficas enchendo o saco eu lanço o teu livro para a privada. E depois que eu ganhar o Nobel de Literatura não vem encher o saco querendo ser meu amigo.

      Excluir
    5. Caro Anônimo das 16:...

      Ótimos textos do Jordi? E eu que tenho o Paulo Coelho como muso inspirador e me esforço tanto em escrever como ele...e você me vem com um comentário desses?
      Todo o meu esforço jogado na lama...

      Hahaha, obrigado pelo comentário e continue visitando o blog, há muitos posts bons, ainda que a melhor parte é justamente a interação com os leitores.

      Excluir
    6. Caro, anônimo ! Mesmo que a pessoa não tenha escrito um livro, ela pode ter todas as condições de criticar. Eu posso achar um edifício mal-feito e feio, mesmo não sendo um engenheiro ou arquiteto.
      Por que posso fazer isso? Por que já vi prédio melhores, mais bonitos e mais bem projetados. Eu posso COMPARAR.
      Agora, quem realmente não lê, deve achar os textos do "mago" Coelho a quintessência da literatura mundial.
      E, nesse caso, eu concordo com o Baço, você é apenas um bovino semi-letrado com ilusões de grandeza.

      Excluir
    7. What the fuck is that André.

      Excluir
  7. Ah! Num fode Baço! Melhor ler isso do que nada. Duvido quem nunca leu algo parecido..mesmo os muares,bovinos,equinos,ranfastídeos..By Ácido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor ler isso que nada? Discorra...

      Excluir
    2. Palpitando...
      Num país em que se lé tão pouco, qualquer coisa ajuda...
      Bula de remedio, embalagem de cereal, outdoor, Paulo Coelho...

      Excluir
    3. Sandranderson Silva!15 de março de 2013 09:50

      Melhor ler o Cão Tarado!ahahahaha Baço,te aguardo
      no Brasil,quero ver falar na minha fuça!

      Excluir
    4. Concordo com o Anônimo das 17:48. Melhor isto que nada.

      Como dizia meu avô, na falta do que ler, leia até bula de remédio.

      Excluir
  8. TEXTO RACIONAL E CONCISO.
    ALGO QUE OS IRRACIONAIS E TAPADOS QUE CURTEM TONTICES ESCRITAS POR PAULO COELHO E OUTROS CONVERSINHAS JAMAIS CONSEGUIRÃO ENTENDER.
    DÃO LUCRO PARA QUEM ESCREVE ESSE TIPO DE BESTEIROSL E JAMAIS EVOLUEM DE SUA VIDINHAS MEDIOCRES !!!


    RACIONALIDADE É TUDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns creem que racionalidade é TAMBÉM não escrever em caixa alta.

      Excluir
  9. Paulo Coelho não é um escritor. É um espertalhão que descobriu como ganhar dinheiro. Nesse ponto, realmente tenho que dar a mão à palmatória. Seus livros são lixo puro. Ainda bem que não mora no Brasil.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem