quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Que tal uma Operação Comensalismo?

POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO

Hoje o tema seria outro. Mas a prisão de Marcos Schoene, agora ex-presidente da Fundema - Fundação Municipal do Meio Ambiente de Joinville, acaba por ser um assunto incontornável. E é óbvio que a esta distância não vou fazer uma análise da tal Operação Simbiose. Os fatos são para os jornais, os julgamentos para a Justiça.

Mas as redes sociais permitem tomar um certo pulso da situação. E deu para notar coisas interessantes. É que a detenção desse senhor Marcos Schoene (aliás, inocente até que se prove a culpa) provocou uma revoada dos espectros de um passado recente. Ou também de um futuro “promitente”.

E quem são? Ora, o pessoal que já mamou na teta pública e quer a mamata de volta. Ou gente que ainda não mamou, mas anda louquinha para pôr a boca no mamilo. Ah... e antes que alguém entenda mal, não estou a fazer a defesa desse Marcos Schoene, que nunca vi na vida, e nem do governo de Carlito Merss, que parece ter uma péssima pontaria para escolher os seus aliados.

O que estou a fazer é apontar o dedo aos canalhocratas que só sabem viver no comensalismo. Ops! E o que é esse comensalismo em política? São os caras que vivem à volta do mais forte, o líder (ou líderes), e se alimentam dos seus restos. Como a rêmora e o tubarão. Gente cuja coluna vertebral é muito maleável.

Mas vamos à reações.

Houve um grupo de pessoas – obviamente opositores do atual prefeito – que exultou com os acontecimentos. O rancor político é tanto que chegam a torcer contra a cidade. Importante salientar: é a mesma cidade que pretendem governar e prometem tornar melhor. Mas, por enquanto, vale a lógica: quanto pior, melhor.

Deu para perceber que muita gente se sentiu vingada e de alma lavada. O nome de Norival Silva foi repetido inúmeras vezes. Sentiu-se um clima de “pay back”. Alguém disse, sem esconder a felicidade, que Carlito Merss está a provar do mesmo veneno que Marco Tebaldi. Ah... o nome disso não é política de terra queimada?

Aliás, por falar no caso ex-secretário da Saúde, aqueles calhordas da comunicação social - os que têm a opinião a soldo - emergiram das tocas todos serelepes. Ou seja, os mesmos tipos que não abriram a boca no caso do Norival Silva (foi como se não tivesse existido) agora aparecem felizes a anunciar que a casa de Carlito Merss caiu.

Houve uns tipos que surgiram cheios de moral. E vieram lembrar que Carlito fazia questão de dizer que o seu governo não estava nas páginas policiais, como a administração anterior. Teve gente a dizer que o PT já não pode posar de reserva moral. E com razão. O PT começa a viver da mesma maneira que todos os outros partidos de poder. Ou seja, a chafurdar no pântano.

Dito isso, leitor e leitora, não acham que uma Operação Comensalismo era bem pensada? Faz falta uma varredura ética. Afinal, como todos podemos ver, a vida política de Joinville pouco ou nada mudou em décadas.

Continua a ser protagonizada por homens pequenos. E deixa poucas esperanças: se o que está aí não é bom, o quem vem pela frente parece ser ainda pior.

2 comentários:

  1. voando contra o tempo28 de setembro de 2011 09:54

    Meu Gostei mesmo da Materia a proposito falta o post do cheirozinho que ExGovernador é indiciado por 03 crimes .Pavan é a sgunda vez que Pavan é alvo da Operação da PF mas o AN Noticia coloca la no final sabe que o leitor so foleia as primeiras pagainas .#FicaDica
    @Cvoando1

    ResponderExcluir
  2. Muito oportuna a lembrança dos ditos jornalistas que recebiam para falar bem e não comentar os desvios. Agora recebem para falar mal, denegrindo de vez com a classe, não a que pertencem, mas se dizem pertencer. Jornalismo é outra coisa bem diferente.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem