segunda-feira, 11 de setembro de 2017

As 7 classes de joinvilenses



POR JORDI CASTAN

Dizem que os joinvilenses são todos iguais. Não há nada menos verdadeiro. Há entre os habitantes destas terras e dos seus brejos e lodaçais no mínimo sete tipos de joinvilenses. Assim como há sete pecados capitais, alguns acham que há uma classe a mais, mas disso vamos a falar mais adiante.

1. Os primeiros são os que não sabem. Estes são os mais numerosos. Nunca ficam sabendo de nada e quando alguém lhes conta nunca acreditam.

2. Os segundos são aqueles que não querem saber. Duvidam, não acreditam e, quando confrontados com a verdade, escolhem não aceitá-la.

3. Há ainda um terceiro grupo que são os que odeiam saber. Em outras palavras, não sabem, não querem saber e tem raiva de quem sabe.

4. O quarto grupo está formado pelos que sofrem por não saber. Até gostariam de saber, perguntam às pessoas esperando as respostas que nunca chegam. Mas estão sempre meio perdidos, escutaram até badaladas mas seguem sem achar seu caminho.

5. Há ainda um quinto grupo de pessoas que faz de conta que sabe. Imaginam que sabem, sem que isso seja verdadeiramente real. Como não sabem a cada nova pergunta, sua falta de conhecimento é mais real e sua ignorância aumenta ano a ano.

6. No sexto grupo em que a sociedade local está dividida, estão os que triunfam sem saber. E entre estes há muitos mais dos que imaginamos num primeiro momento, porque seu habitat não se restringe só aos espaços públicos. Estão aumentando cotidianamente e a seguir no ritmo que vamos, não devemos nos surpreender se como cogumelos pipocam em todas as secretarias e ambientes privados, pois não há sector que esteja livre desta praga.

7. O último grupo é o que formam todos aqueles que vivem graças ao que os demais não sabem. Os membros deste último grupo e todos seus assemelhados  adquirem diversas imagens e modelos e se denominam a si mesmos “políticos” ou até há os que se denominam “intelectuais”.

Pessoalmente incluiria aqui mesmo, e na ordem correspondente, um grupo adicional, que é mais comum do que imaginamos. Aliás, o bom senso nos diz que não deveria haver esse peso morto. Este último, que inclui o dos políticos e dos intelectuais, é o grupo dos “gestores”. Estes são os mais perigosos e perniciosos para as estruturas e para a sociedade em geral.

Que podemos fazer? Devemos expô-los, mostrar a inconsistência dos seus argumentos e dos seus relatos. Fragilizar sua imagem fraudulenta de bom gestor. Fazer mais transparente seu papel na sociedade em que este inserido e compartilhá-lo com os outros amigos. Sua arrogância, sua grosseria e sua empáfia os faz ainda mais insuportáveis e perniciosos para a sociedade a quem deveriam servir.

14 comentários:

  1. Eu sei que oa últimos prefeitos que prestaram foram Wittich Freitag e Luiz Henrique da Silveira.

    ResponderExcluir
  2. Segundo a argumentação do autor, todo Joinvillense é praticamente um Petista!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Anônimo 11:33, também tive a impressão que o autor chamou a população joinvilense de burra...

      Excluir
    2. Acho que pode e deve ter outras classes de joinvilenses, que não todos se incluem nesta seleção, mas gostei da sua logica.

      Excluir
    3. Anônimo 09:36 (parece ficção científica...), seria até interessante que isto fosse verdade, não teríamos que suportar tanto tédio nas redes, tantas demonstrações de mediocridade, tanta falta de criatividade, cultura e informação. Com certeza as pessoas de esquerda são bem mais interessantes de dialogar.

      Excluir
  3. Se passar por aquilo que nâo é, receber incumbências públicas pelo ardil do engano, é uma fraude mais danosa do que o roubo puro e simples do dinheiro público. Afinal, recuperar dinheiro é mais fácil que reestabelecer a confiança.

    ResponderExcluir
  4. Há também a Classe dos Inconformados, que perdem a boquinha cada vez que a Administração muda, e ficam de mimimi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem ainda aquela classe que veste jaleco branco em hospital público, que nunca deu satisfação de horário e no momento que foram apresentados ao registro de ponto biométrico surtaram. Incluindo aí, parente do atual prefeito.

      Tenho absoluta certeza que para esta classe o Sr. prefeito não presta!!!

      Excluir
  5. Tenho duas dúvidas: primeira, "saber" o quê exatamente? Segunda, está aqui se afirmando que a população de Joinville ou é ignorante ou é mau caráter?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saber? Pois isso mesmo, saber.
      Ignorante? Não.
      Mau carater? Tampouco.

      Excluir
    2. Anônimo:
      "Pois é, Anônimo 11:33, também tive a impressão que o autor chamou a população joinvilense de burra..."

      Jordi:
      "Acho que pode e deve ter outras classes de joinvilenses, que não todos se incluem nesta seleção, mas gostei da sua logica."

      "Saber? Pois isso mesmo, saber.
      Ignorante? Não.
      Mau carater? Tampouco."


      ARREGOU?

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem