terça-feira, 18 de abril de 2017

A festa do impeachment e uma puta dor de cabeça...

JOSÉ ANTÓNIO BAÇO
Gente, que ressaca! Ontem estive na festa de comemoração de um ano da aprovação do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. Como havia muito a comemorar, a coisa foi noite adentro. Dizem que champanhe Don Perignon não dá dor de cabeça, em especial quando oferecido pela Odebrecth. É mentira. Depois da quarta garrafa a gente começa a torcer a língua e a chamar Aécio de Mineirinho.

Aécio Neves foi a estrela da noite. Afinal, um dos grandes motivos de celebração era o fim da corrupção. Quem não se lembra do papel do senador na campanha de 2014? Foi quando ele fez a previsão: “Não houve preocupação do PT no combate efetivo à corrupção. Existe uma maneira de acabar com a corrupção: vamos tirar o PT do governo”. Dito e feito. E não é que a corrupção acabou mesmo? Impoluto homem...

Quem esteve na festa? Todo mundo sabe, porque a informação vazou. O juiz Sérgio Moro apareceu, mas isso não vem ao caso. Deltan Dallagnol, para quem o PSDB não é investigado porque não estava no governo, sentou ao lado dos tucanos. Gilmar Mendes apareceu só na hora do cafezinho, porque teve um jantar com Michel Temer para afirmar a sua imparcialidade no futuro julgamento. Alexandre Moraes apareceu e arrasou com a sua toga esvoaçante.

Só teve uma parte chata. Havia uns caras lá fora a gritar: “é golpe, é golpe, é golpe”. Poxa, já está ficando chata a conversa desses esquerdopatas. Golpe onde? Qualquer pessoa bem informada sabe que não houve golpe. Nem pensar. É só ler a Veja, o Antagonista ou os sites do MBL para saber que a palavra golpe é um abuso. Foi, isto sim, uma vitória da democracia. Um autêntico 7 a 1.

E tem mais. Os petistas não podem reclamar, porque foram eles que elegeram Michel Temer. A vida é assim. Quem vota no Zorro tem que aguentar o Tonto. E por falar em tontos, o Romero Jucá foi o mestre de cerimônias. E fez um trabalho e tanto. Foi uma grande festa nacional, com o Supremo e com tudo. A única falha foi a Odebrecht, que estancou o fornecimento de Don Perignon.

Foi um autêntico festim democrático, uma noite de brindes:
- Viva a estabilidade política.
- Tchim tchim…
- Viva a paz social.
- Tchim tchim…
- Viva a recuperação econômica.
- Tchim tchim…
- Viva a preservação dos direitos dos trabalhadores.
- Tchim tchim…
- Viva a manutenção dos direitos sociais.
- Tchim tchim…
- Viva a queda do desemprego.
- Tchim tchim…
- Viva o fim da corrupção e viva Michel Temer...
- ...
E acabou a festa. Com uma puta dor de cabeça.
É a dança da chuva.

19 comentários:

  1. Acho que você foi a festa errada, afinal o PMDB, que os esquerdistas colocaram no poder junto com aquela desqualificada, foi quem tomou o lugar e sequer foi beneficiado por ter de descascar o abacaxi deixado pelo PT. O Aécio? O Aécio continua no senado. PMDB e PSDB, como partido democratas (e não um arremedo de partido, como o PT) fizeram o que tinham de fazer, e espero que continue assim. Eu, que fiquei desempregado por conta de destruição econômica deixada pelo PT, festejei 1 ano de impedimento, ainda mais depois das delações que confirmam quem era aquela incompetente.

    ResponderExcluir
  2. ...

    A esquerda agoniza!

    ResponderExcluir
  3. Baço terceirizando postagem pra ganhar views e comentários!!! Parabéns, porque sem seus textos não haveria razão deste blog existir!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terceirização não. Aqui é outsourcing (dói a mesma coisa, mas em inglês é xique no úrtimo).

      Excluir
  4. Um recado aos pobres de direita desmiolados(pleonasmo) que pululam por aqui. Zé António está sendo irônico, viu? Portanto, nada de empolgação..achando q ele entrou na lista da Odebrecht e mudou de lado..Digo isso pq segundo Mario Quintana, a ironia atinge apenas a inteligência..daí resolvi dar uma forcinha procêis pegarem no tranco. Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Troquei o header, para não deixar dúvidas...

      Excluir
    2. Lemos, vc além de bajulador do Baço, também quer explicar as piadas dele? Não seja ridículo!... força!

      Excluir
  5. Vitória da democracia brasileira. Que outrOs (se escrever outrAs vão me chamar de misógino) Dilmas Rousseffs não cheguem mais à presidência de um país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não é ser misógino. É apenas ser babaca...

      Excluir
  6. ZEDEZOA?

    O bom é que chegamos ao fundo do poço. Dificilmente você consegue piorar ainda mais as tuas intenções de texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazes melhor? Não, não fazes.

      Excluir
    2. Se este é o argumento, pare de criticar o prefeito, o presidente, etc, etc, pois certamente não farás melhor. És apenas o cara que escreve, ataca e critica, jamais farás algo que comprove tua capacidade executiva na mesma proporção da tua capacidade de crítica.

      Excluir
    3. Uma dúvida. Sabes o que eu faço na vida?

      Excluir
  7. Está cada vez mais difícil defender o "amigo"!
    Continuar defendendo o "criminoso de São Bernardo", revela falha de caráter!
    O Paulo Henrique Amorim (Conversa Afiada), já "jogou a toalha"!
    Ou será que acabou a "mesada" do PHA?

    No melhor estilo Dilma:
    Quem está na chuva é pra se queimar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falha de caráter é dizer esse tipo de coisas sob anonimato...

      Excluir
  8. Não estou protegendo político algum sob o anonimato!
    O problema é a mensagem ou o mensageiro?
    Se o anonimato aqui é um problema, porque o blog permite?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O blog permite por causa de uma coisa chamada "democracia". E essa coisa chamada democracia não impõe, mas espera retidão de caráter. O que certamente não é o caso.

      Excluir
    2. KKKK...
      Socialista citando a democracia, chega a dar vergonha alheia! KKKKK...

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem