quarta-feira, 28 de maio de 2014

Udo não é Freitag


POR JORDI CASTAN

Durante a campanha foi construída a imagem que o perfil do então candidato Udo Dohler encaixava ou tinha fortes semelhanças com o ex-prefeito Wittich Freitag. Muitos eleitores acreditaram nesta semelhança e votaram na figura do empresário.

As semelhanças são e sempre foram muito menores que as construídas habilmente pelos marqueteiros. O nome "alemão", o jeito turrão, o perfil empresarial, a imagem de parcimonioso nos gastos, de bom administrador. E mesmo algumas outras mais anedóticas que verdadeiras.

O Wittich Freitag da primeira gestão foi ousado, inovou e estabeleceu linhas mestras que ainda perduram na Joinville de hoje. Na sua segunda gestão a doença não lhe permitiu repetir o sucesso do primeiro mandato. Se na época a reeleição tivesse sido possível, provavelmente a Joinville de hoje seria outra. Não o foi e temos hoje esta Joinville que aqui está.

Na sua gestão Udo Dohler tem sido medroso, não tem agido com a coragem que muitos de seus eleitores esperavam. Tem deixado de fazer as mudanças que a cidade precisa, preferindo manter cargos, privilégios e preservar o "status quo". Boa prova disso é a composição do seu secretariado e da maioria dos cargos comissionados. A outra é a relação quase promíscua que mantém com o legislativo.

Faria bem ao prefeito Udo Dohler estudar melhor a gestão Wittich Freitag. E ainda melhor se também desse uma lida atenta a gestão de outro político oriundo do meio empresarial, o antigo prefeito Nilson Bender. O atual prefeito só teria a ganhar se aprofundasse o estudo de esses interessantes episódios de nossa história recente e se concentrasse em analisar melhor as diferenças entre a gestão de um e de outro com a sua.

É evidente que Joinville hoje não é a mesma que na década de 80, mas os valores éticos, morais e os princípios administrativos de sucesso de ontem e de hoje continuam sendo válidos.

15 comentários:

  1. O chá de camomila anda lhe fazendo bem. Estás mais parcimonioso com as palavras, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. O texto do Jordi é a morte da inteligência ao olhar a política joinvilense. Pow. Bender é um filhote da ditadura, toda sua administração municipal está alinhada com as necessidades da ditadura e do empresariado. O Freitag é outra piada. Só pode. Qual é o argumento para afirmar que Freitag é uma referência?
    Maikon K

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Maikon, deste ponto de vista não podem servir de referencia, as suas gestões serviram a um propósito bem visível.
      Mas a questão que talvez o Jordi se refira é em relação ao fazer, ao acontecer. E para isto tem que ter as pessoas certas nos lugares certos. E em relação a isto o governo Udo é o retrato do fisiologismo, ele é refém hoje do que os vereadores exigem e de meia dúzia de especuladores; e principalmente, refém do Coronel de SC esclerosado e pretensioso que ainda consegue distribuir as cartas do jogo por aqui.

      Excluir
    2. KKK. Bender começou a construção do hospital sao jose, da rodoviária. Desde quando ditadores tem necessidades de ônibus.... kkk

      Excluir
    3. O Manoel me parece bem coerente. Udo tentou no começo não ser render a negociação de cargos, mas o próprio PMDB exigiu cargos para os cabos eleitorais. Aí foi o início do fim.

      Excluir
  3. Mais um que nasceu na década de 90, não conheceu Wittich Freitag e vota no PT porque não sabe ao certo o significado da palavra inflação.

    Jorge.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cumé que é??? Vota no PT por que não conhece o significado da palavra inflação? Quantos anos tu tens filho? Deve ter nascido em 2002, pois não sabe que até esta data a inflação no Brasil tinha 2 dígitos...

      Excluir
  4. Jordi, foi uma auto afirmação de que ele está perdido. Fala em judicialização e usa deste artifício como um dos fatores para a gestão lenta, mas ao mesmo tempo, quando interessa, busca este caminho (exemplo agora na greve).
    Falando em greve, acho que ele está equivocado em não resolver logo o tema, para mim ele está judicializando e saindo ainda mais desmoralizado ao utilizar argumentos que a justiça está anulando.
    Quer ver uma questão que ele argumenta de forma equivocada e fica dificil explicar depois: "não pode dar aumento além da inflação neste ano devido a se tratar de ano eleitoral" - calma aí, ele deu 100% de aumento para os fiscais da prefeitura (como é isso?).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele esta mais perdido que Adão no dia das mães

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkkk boa essa do Adão

      Excluir
  5. Conheço algumas pessoas que pela idade conquistaram o direito de não comparecer as eleições, mas em 2012 foram votar em "Freitag". Ultimamente ouço criticarem a falta de atitude de "Udo".

    Pelo menos a honra do ex prefeito parece estar salva.

    ResponderExcluir
  6. A vedação de aumento de gastos com pessoal neste ano somente se aplica ao Estado e à União, pois em 2014 as eleições são para Governadores e Presidente e não para Prefeitos.
    LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL - LC 101/2000
    Art. 21. É nulo de pleno direito o ato que provoque aumento da despesa com pessoal e não atenda:
    ....
    Parágrafo único. Também é nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos cento e oitenta dias anteriores ao final do mandato do titular do respectivo Poder ou órgão referido no art. 20.

    ResponderExcluir
  7. Freitag tem o mérito de ter sido o único prefeito a investir em saneamento básico até hj. Nenhum outro colocou ao menos um centavo da prefeitura. Desde o Tebaldi até agora, tudo foi feito com dinheiro do Gov, Federal.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem