sexta-feira, 27 de abril de 2012

Qualquer maneira de amor vale a pena, qualquer maneira de amor vale amar.


POR GUILHERME GASSENFERTH

Este texto foi originalmente escrito em 18 de maio de 2011. De lá para cá, os gays conseguiram o direito à união civil homoafetiva no STF, mas os direitos básicos (à vida, à dignidade, à tolerância) continuam desrespeitados. O PLC 122 não foi aprovado ainda. Portanto, o texto continua atual em sua defesa dos seres humanos.

O debate aqui pelos comentários está aberto! Participe. Todas as opiniões contrárias, desde que respeitosas, serão consideradas.

A imagem acima ainda o choca? É bom que leia este texto então.

O título do texto foi extraído da música Paula e Bebeto, de autoria de Caetano Veloso e Milton Nascimento.

Dia 17 de maio, é o Dia Internacional Contra a Homofobia, e neste ano, completar-se-ão 22 anos da retirada do "homossexualismo" da CID - Classificação Internacional de Doenças da OMS - Organização Mundial de Saúde. Há 22 anos a ciência reconhecia que não há doença, desvio ou disfunção no comportamento homossexual. A ciência já avançou, mas alguns homens continuam atrasados e retrógrados, tentando utilizar-se de textos escritos há mais de 3.500 anos como justificativa para suas conclusões.

No mesmo Dia Internacional Contra a Homofobia, o jornal Folha de S. Paulo, em seu editorial de 17 de maio de 2011, age ou com má fé ou com leviandade e levanta preocupação com o Projeto de Lei Complementar 122 (PLC 122), notadamente porque, segundo eles, o PLC 122 é um mecanismo que poderá ser usado para cercear a liberdade de expressão. Veja trechos do texto:
"A amplitude e a indefinição dos termos ergueria uma espada sobre qualquer discurso ou escrito que condene a homossexualidade. Poderia ser acusado de ‘induzir’ a discriminação e, em tese, levar à pena de reclusão por um a três anos, mais multa."

Sim! Qualquer discurso ou escrito que condene a homossexualidade tem que ser criminalizado. Alguém pode condenar o negro? Ou o judeu? Contra o gay também não deve poder.

Nós gays não escolhemos nascer assim. Quem em sã consciência ESCOLHERIA um caminho que lhe renderá uma vida com preconceito, discriminação, intolerância, dificuldades? Ninguém, em pleno uso de suas faculdades mentais ESCOLHE ser algo que lhe trará prejuízos e sofrimento.
Eu fui educado em boas escolas; tenho pai e mãe casados, que sempre me encheram de amor e carinho e que convivem harmoniosamente com toda a família, muito bem estruturada; não convivi quando criança com gays ou lésbicas; assisti aos mesmos desenhos que qualquer criança que hoje tem 26 anos assistiu; brincava na rua com os amigos; subi na árvore; nunca tive bonecas, mas sim carrinhos; sempre tirei boas notas na escola... e aí? Onde que o MEIO definiu que eu seria gay? Eu nasci assim. E tenho orgulho de ser assim.

Não tenho problema nenhum com heterossexuais, pelo contrário: devo minha existência à deles, e para mim eles são tão normais como eu. Nós gays amamos os heterossexuais e não criaremos uma “ditadura gay”. Jamais tentarei impor a algum heterossexual a "conversão" à homossexualidade, até porque isso não existe. A "conversão sexual" não existe e é um produto que mesmo no fim do século XX já era rechaçado.

Então, se eu nasci gay, se eu naturalmente sou assim, quem poderá acusar-me de estar errado? Se a homossexualidade é encontrada mesmo entre os animais, como não poderá ser algo natural?

O texto da Folha prossegue: “Parlamentares evangélicos temem que o projeto, se aprovado, venha criminalizar a pregação contra os gays. A relatora, contudo, propôs como única modificação ao texto da Câmara que seja aberta exceção para "a manifestação pacífica de pensamento decorrente de atos de fé".

Desculpe-me a Senadora Marta Suplicy, mas nem essa exceção deveria haver. Pregação contra os gays deve ser também crime! A ausência de pregação contra os gays não implica em aceitação da homossexualidade, mas simplesmente como um processo de tolerância,como o próprio Cristo ensinara. Ninguém quer obrigá-los a gostar de nós, apenas a nos tolerar e respeitar.

E afinal, quem tem direito de pregar contra mim? “Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra”. (João, 8:7). A história das igrejas não é imaculada, pelo contrário!

Ainda a Folha, em seu texto: “E se alguém se manifestar pacificamente contra homossexuais, mas não por motivos religiosos? Poderá ser preso, censurado?”.Evidentemente, deverá ser preso e censurado. Volto a comparar (afinal, será a mesma lei): alguém pode manifestar-se pacificamente contra os negros? Contra as mulheres? Não. E com a inclusão de idosos, deficientes e gays, nem estes grupos poderão ser alvo de manifestação “pacífica” contra. Pacífica entre aspas, pois não consigo enxergar como a manifestação contra uma minoria possa estar relacionada à palavra paz. Paz é a favor, não contra.

Aos religiosos das diversas denominações, tolero-os e respeito-os todos, e os amo como irmãos que somos em Cristo. E falando Nele... contou-nos Mateus, no capítulo 22, versículos 37 a 40: "Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas." E veja-nos o que ensinou-nos a Bíblia em I João 4:11 "Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros." É  amor ao próximo essa peregrinação anti-gay que alguns líderes religiosos apregoam?

Continua o editorial: “A criminalização da homofobia resulta de um impulso nobre, que objetiva proteger pessoas discriminadas pelo que fazem em sua vida privada. Não pode, porém, servir para cercear liberdades que fundamentam a própria convivência civilizada e democrática.”. Meus caros editores, mesmo a liberdade precisa possuir limites. Não é porque somos livres que eu tenho o direito de fazer o que eu bem entender. Não posso pegar uma arma e atirar em alguém. Da mesma forma, a discriminação contra gays deve ser criminalizada.

Vamos à nossa Constituição Federal de 1988, que já em seu preâmbulo afirma: “Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.”

Vamos adiante, na nossa Constituição Cidadã: “Art. 1º: A República Federativa do Brasil [...] tem como fundamentos: [...] II – a cidadania; III – a dignidade da pessoa humana”.

“Art. 3º: Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: [...] IV – promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”.

E, por fim: “Art. 5º: Todos são iguais perante a lei. [...] III – Ninguém será submetido a tortura ou a tratamento desumano ou degradante”.

Um conhecido afirmou: se um evangélico não quiser alugar uma edícula no fundo de sua casa para um gay, ele tem que ter esse direito. Peraí! E o gay pode ser humilhado porque o evangélico (no exemplo citado) não quer lhe alugar? Se isso não é submeter o gay a tratamento desumano, não sei o que é.

Citamos alguns dos principais trechos de nossa Carta Magna. O PLC 122 é isso. É um projeto de lei que reforça o que a Constituição já prevê. Por que não aprová-lo? Nós estamos falando de dignidade, cidadania, discriminação, preconceito, de uma SOCIEDADE FRATERNA, PLURALISTA E SEM PRECONCEITOS.

O PLC 122 quer criminalizar a discriminação dos não-heterossexuais assim como a Lei 7.716/1989 criminaliza a discriminação arbitrária por cor de pele, etnia, origem nacional e religião. O PLC quer incluir orientação sexual, idosos e deficientes na mesma lógica. Nesta proposta, se um gay resolver agredir um heterossexual ele sofrerá a mesma pena que se o inverso tivesse acontecido.

Nossos direitos não tiram os direitos dos outros. Quanto mais seres humanos tiverem direitos civis assegurados, mais pleno será o estado democrático que se busca em nosso ideário republicano.

Para finalizar o raciocínio: o Grupo Gay da Bahia (GGB) denunciou 266 assassinatos motivados por violência homofóbica só em 2011. Alguém pode dizer que a homofobia não existe ou que ela é inofensiva? 266 pessoas perderam suas vidas porque eram gays, lésbicas, travestis ou transexuais. O Brasil é o campeão mundial de assassinatos homofóbicos. E isso, puritanos e moralistas, é certo? Cadê o berreiro? “Não matarás”, diz o decálogo de Moisés. Mas não é o que os homofóbicos assassinos observaram na hora de materializar seu ódio e seu destempero mental contra um homossexual. Vale dizer ainda que o número de homicídios homofóbicos está numa preocupante progressão: nos três primeiros meses de 2012 o número dobrou em relação a 2011. Mas não esmoreceremos em nossa luta!

Tiradentes foi insurrecto por defender a redução da carga tributária. Gandhi levantou-se contra a opressão da metrópole inglesa imposta á Índia. Martin Luther King fez seu discurso ecoar em 1968 e ajudou a estabelecer direitos civis aos negros norte-americanos. Mandela fez uma revolução pacífica e ajudou a acabar com a segregação oficial que existiu até há pouco tempo na África do Sul. Brasileiros, heteros e não-heteros, é chegado o momento. Agora é a nossa vez de buscarmos pacificamente (mas com firmeza) nossos direitos, de procurarmos nossa inserção social, de lutarmos contra a homofobia, e de batalharmos pelo direito de amar a quem quisermos! Vamos em frente, em nome do amor!

“E a gente vai à luta, e conhece a dor, consideramos justa toda forma de amor”. Lulu Santos

Quem quiser obter mais informações, sugiro o site www.plc122.com.br - atualizado e cheio de informações valiosas.

20 comentários:

  1. Eduardo Amato Bernhard27 de abril de 2012 10:13

    Parabéns Guilherme. Muito legal o seu texto e sua argumentação. Quase um tratado na defesa dos direitos individuais. Infelizmente a imprensa dita "livre", nunca está livre de amarras, porquanto as pessoas que lá trabalham ditam suas linhas gerais de pensamento e não conseguem se isentar de suas crenças e preceitos. É triste ainda ver religiões que pregam o amor, combatê-lo quando este não é na forma que estes crêem ser a única aceitável. Forte Abraço!!! Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Duda! É bom receber a visita do amigo por aqui. Um abraço!

      Excluir
  2. O melhor do texto é que desmascara o argumento muito em voga de que a sexualidade é uma opção. Se fosse opção eu seria bi, assim poderia azarar o mundo inteiro e estaria na cola do Chico Buarque e do Luiz Melodia.

    ResponderExcluir
  3. Vejammos alguns pontos :
    Realmente amar uns aos outros é um mandamento bíblico, porém a questão é muito mais ampla do que amar, a questão é que se criminaliza qualquer ato de reprovação a conduta deste grupo. Lembrando que geneticamente falando, as pessoas ou nascem do sexo masculino, ou do sexo feminino, salvo com raríssimas exceções quando nasce hemafrodita ..
    Citando a bíblia em Romanos o Apóstolo Paulo deixa bem claro a visão sobre o que Deus pensava do povo Romano naquela época:

    Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
    E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
    E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
    Romanos 1:26-28

    Portanto, segundo a bíblia, a pratica homosexual é pecado, e como todo pecado, é condenado por Deus. Defendo que crimes contra homens, mulheres, crianças ou Homosexuais deve ser punidos, como o grupo afirma 266 mortes, achando quem foi o autor dos crimes, tais pessoas devem responder pela legislação vigente, que é o código penal, podendo ser punidos com agravantes como homicídio qualificado, por motivo torpe e etc ...
    O termo Homofobia é mal empregado, pois a fobia na tradução original remete ao medo, e não ao ódio, preconceito, ou discriminação como afirmam.
    Em meio a tantas leis, criar mais uma lei sendo que já existem leis que punem crimes contra qualquer pessoa, é polemizar um assunto .. Se for condenar por prática de preconceito homofóbico a não aprovação da conduta sexual de determinada pessoa, também será uma forma de preconceito, não respeitar a opinião de grupos religiosos .. Ou seria talvez uma forma de Cristãofobia ??? Aí poderíamos abrir uma lei quem sabe, também para punir os Cristãofobíacos ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PEcado só importa pra quem é crédulo. Pecado é uma bobagem.
      Em absolutamente NADA importa o que está na bíblia. É um livro de lendas que dita moral. Azar dos que a seguem. Ou sorte dos que não a seguem: por exemplo, os que não vendem suas filhas como escravas com o consentimento de deuses.

      As 266 mortes foram provocadas pelo simples fato de a vítima ser homossexual, Eis a tipificação do crime de ódio. Muito diferente da comparação 266 gays, contra milhões de heterossexuais. Não se mata heterossexual porque é heterossexual.

      Se resguardar a cidadania do próximo é Cristãofobia, sinal que o Cristianismo é que está antiquado. Se garantir que o próximo não seja discriminado significa SEGURAR a onda cristã, que este SEJA o caminho.

      Ou que vendamos nossas filhas.

      Excluir
    2. Emerson, obrigado pela resposta. A minha resposta daria um outro artigo aqui no Chuva, mas vou responder por aqui mesmo.

      SOBRE O USO DA BÍBLIA como fonte (Romanos):

      Você utiliza-se de uma passagem que eu poderia interpretar que o "pecado" está nas orgias comuns àquela época, ou ainda no sexo libertino e promíscuo. Em várias vezes a bíblia afirma que o amor sobressai a todas as coisas e a todos os mandamentos. Portanto, o amor entre dois homens não poderia ser condenado por quem quer que seja.

      SOBRE O USO QUE FIZ DA BÍBLIA:

      A bíblia é de fato um livro respeitável enquanto seja um dos mais antigos escritos da Terra. No entanto, em conteúdo, considero-o ultrapassado, controverso, dúbio e inverossímil. Usei-me de algumas passagens apenas para mostrar que há elementos na própria bíblia que poderiam ser usados 'a favor dos gays', da mesma forma que você e outras milhões de pessoas conseguem encontrar os argumentos 'contrários'. No geral, não dou a mínima pro conteúdo deste livro.

      Poderia até mesmo fazer referência à passagem de Davi e Jônatas, em I Samuel 18:1-4:

      E sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi; e Jônatas o amou, como à sua própria alma.

      E Saul naquele dia o tomou, e não lhe permitiu que voltasse para casa de seu pai.

      E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma.

      E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto.

      Você interpreta de um jeito, outros interpretam de outros. Eis a bíblia, pois.

      ======================================================

      SOBRE A DEFINIÇÃO DE 'FOBIA'

      Fobia pode ser traduzido do grego como medo, aversão ou hostilidade. Em Psicologia também geralmente 'fobia' tem a acepção de medo ou aversão. No entanto, o que eu não gosto é do prefixo 'homo'. Homo é igual, sendo assim, 'homofobia' deveria ser 'medo ou aversão do que é igual'. Não é nosso caso. Como é largamente utilizado, entretanto, faço uso da expressão também.

      ===========================================================

      SOBRE NÃO APROVAÇÃO DA CONDUTA SEXUAL

      Você usa essa expressão na sua resposta. Oras, o que você ou quem quer que seja tem a ver com minha conduta sexual? Ela lhe atrapalha de algum modo? Da mesma forma que eu não sei e nem quero saber suas práticas, fantasias e intimidades. Você faz uso do seu corpo como lhe aprouver, eu faço do meu como me aprouver. E ninguém tem nada a ver com isto ;)

      ============================================================

      SOBRE CRISTÃOFOBIA:

      Por mais que você tenha sugerido ironicamente, a 'cristãofobia' já é crime. A Lei 7.716/1989 já criminaliza as manifestações anti-cristãos. Eu, que nem sequer escolhi ser gay, quero ter a mesma proteção que você, que escolheu ser religioso. Não lhe parece justo? Se um dia estiver estressado e quiser xingar alguém, escolha um gay, porque se você mirar no religioso a punição é maior. Te parece justo? A mim, não.

      ============================================================

      SOBRE MANIFESTAÇÕES ACERCA DA HOMOSSEXUALIDADE:

      O PLC 122 não proíbe que estudos, pesquisas ou defesas sejam apresentadas e que comprovem eventuais malefícios de uma relação homossexual, por exemplo. O que não pode é um pastor usar a tribuna e dizer sem nenhuma prova: "os homossexuais são inferiores". No momento em que ele nos acusa de pecadores, é inferir que somos inferiores. Mas hoje, se ele levantar-se e disser isto, nada lhe acontecerá. No entanto se eu usar a mesma tribuna e dizer aos fieis dele: "vocês são inferiores", eu poderei ser condenado. Cadê a isonomia?

      Excluir
    3. Realmente Guilherme, de maneira geral gosto muito dos seus textos, e acho muito pertinente esta discussão. Creio que este espaço é democrático, e acima de tudo, devemos procurar manter o bom nível que estamos mantendo, sem qualquer tipo de ofensa.
      Faço uma análise bíblica ao dizer que o Homosexualismo é uma prática, e não algo genético assim como o Apóstolo Paulo disse aos romanos que homens e mulheres mudaram o seu uso natural ...
      Existem várias formas de amar. O amor de mãe, amor de irmãos, amor entre amigos ... Propriamente o Amor não é condenado por Deus, agora se você está cometendo algo que desagrada a Deus, isto é reprovado. Se você mentir por Amor estará errando, pois está cometendo uma mentira.
      Deus é amor mas também é justiça, tanto que ele nos deu o livre arbítrio, e nos fez responsáveis pelas nossas próprias escolhas. No princípio da criação, Deus formou o homem e a mulher e lhes deram o poder de escolha, e o homem escolheu outro caminho ( Gênesis 3:1-4 ). Segundo a Bíblia todo erro tem a sua consequência, e mesmo Deus nos perdoando, isso não nos isenta das consequências ( Rom. 6:23 ). Jesus veio ao mundo para salvar o que se havia perdido ( Lc. 19:10 ) e o seu perdão, amor, dura para sempre ( Salmos 136 ), porém o pecado desagrada a Deus e nos afasta da presença dele.
      Não critico os homosexuais ou qualquer grupo que seja, apenas venho usar este espaço para enriquecer ainda mais este debate, com embasamento bíblico, fazendo a exegese correta, com a base em estudos hermenêuticos.
      Defendo que ninguém deve ser considerado inferior a outra pessoa, tendo em vista que a salvação não é mérito nosso, mas é pela misericórdia de Deus ( Efésios 2:8-9 ) e até Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus ( Romanos 3:23 ). A bíblia condena os religiosos que apenas dizem que são cristãos, mas não praticam os seus mandamentos, pois ele conhece cada coração, tanto o do ímpio quanto ao do justo, ele é o mesmo Deus para os dois. Muitos cristãos diram Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? Porém ele dirá Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.( Mateus 7:22-23 ) pois nem todo aquele que diz senhor, senhor entrará no reino dos céus ...

      Excluir
    4. Emerson,

      como eu lhe disse em minha primeira resposta, meu uso da bíblia foi tão somente para mostrar que ela tem dupla interpretação, que cada um extrai dela o que lhe convém.

      Não vou lhe responder com base em versículos bíblicos pois já lhe disse que o conteúdo da bíblia é para mim nulo de valor.

      Sigo a Cristo como um modelo de comportamento (não como um messias). Pouco me importa o que escreveram homens a seu respeito.

      A única coisa do seu texto que eu quero observar é a frase "exegese correta". De leis eu até posso aceitar. De alegorias bíblicas, afirmar que exista uma correta exegese é para mim forçoso e incrível.

      Abraço e obrigado pela costumeira visita.

      Excluir
  4. Guilherme, este texto poderia ser um Hino à Liberdade ou ao Humanismo Universal. Não o parabenizo pela coragem, pois como colocaste entendo como natural a pessoa ter determinada cor, etnia ou sexualidade. Parabenizo-o pela consciencia e luta pela não discriminação desta condição.
    Acredito que a discriminação contra os homossexuais HOMENS é muito mais forte; a maior parte dos homens sente-se no mínimo perturbado vendo a foto aí de cima, mas é ensinado desde a adolescencia a achar o homossexualismno feminino excitante, principalmente entre mulheres bonitas e femininas. Não é a toa que grande parte dos filmes, shows e revistas eróticas tem duas ou mais mulheres transando, e isto não perturba a maioria dos homens, e aparentemente a "ordem pública". Parar a avenida Paulista com uma mulher nua para um ensaio como vimos estes dias pode, um homem talvez seria preso na hora. Esta é a forma do machismo mais repugnante, e que está entranhado em homens e mulheres, em diferentes classes e religiões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Manoel!

      Agradeço muito tua participação. É isto mesmo, nossa sociedade é esquisita. Mas vamos lutando para torná-la pelo menos mais tolerante ;)

      Excluir
  5. Eu não queria ser homofóbico. Nem sei ao certo se sou. Gostaria, sinceramente, de conseguir encarar o homossexualismo com naturalidade.

    Mas ver um foto de dois barbados se beijando me causa uma sensação de repulsa, de asco... não tenho orgulho disto, muito pelo contrário, mas é isto que sinto e tenho dificuldade em combater este sentimento.

    Não sei ao certo o motivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com a repressão da lei para os comportamentos homofóbicos.

      Mas acho curioso a homofobia ser crime de modo que ninguém mais possa se manifestar contrariamente a ideia. O que é crime? A admissão da homofobia ou o comportamento social homofóbico? Não sei ao certo o que significa homofobia e onde ela começa.

      E se o sujeito é homofóbico e não consegue ser diferente?
      Contudo, ele nada faz contrariamente aos gays. Pelo contrário, até apoia em suas atitudes, mas intimamente não. Se ele admitir em uma mesa que é homofóbico ele estará cometendo um crime? A mera admissão consuma o crime?

      Desde que se respeitem civilizadamente os homossexuais, as pessoas heterossexuais têm o direito de não gostarem e não desejarem o convívio com os homossexuais ou isto também é crime?

      Eu posso ter fobia a um heterossexual, pois isto não é crime. E se eu tiver fobia a um gay? Isto é crime?

      Excluir
  6. "Um conhecido afirmou: se um evangélico não quiser alugar uma edícula no fundo de sua casa para um gay, ele tem que ter esse direito. Peraí! E o gay pode ser humilhado porque o evangélico (no exemplo citado) não quer lhe alugar? Se isso não é submeter o gay a tratamento desumano, não sei o que é."

    E para um drogado, o dono do imóvel tem este direito?
    E para um jovem, o dono do imóvel tem este direito?
    E para um idoso, o dono do imóvel tem este direito?
    E para um anão, o dono do imóvel tem este direito?
    E para um desempregado, o dono do imóvel tem este direito?
    E para um parente (primo, cunhado), o dono do imóvel tem este direito?
    E para alguém que aparente ser um "doido varido", o dono do imóvel tem este direito?
    E para uma pessoa qualquer que o dono do imóvel "não for com a cara, ele tem este direito?

    Tenho sérias dúvidas sobre isto...

    ResponderExcluir
  7. Parece que é mais fácil encarar o homossexualismo entre os homens do que entre as mulheres. Deve ser por questões fisiológicas..., de introdução ao assunto.

    ResponderExcluir
  8. Ser ou não ser, eis a questão..
    São muitas as situações que vivenciamos. Eu alugo o meu imóvel para que eu quero. - De que maneira eu posso dizer a um homem que vem em uma casa que só moram mulheres, que não posso alugar ou não vou alugar para ele? estaria cometendo uma contravenção? Coloco isso em reflexão.
    Ocupei cargo de chefia em Multinacional de ponta, e afirmo,tinha homossexual, que desempenhava sua tarefa por 4 héteros, e se fez respeitar.O que não pode é o homossexual ter a crise de coitadinho,se fazer de donzela, dai o bicho pega.
    Mas quando leio que pessoas se utilizam de palavras Bíblicas para dizer que é pecado isso ou aquilo, enxergo, o quão distante esta o ser humano em falar desta maneira. Leem apenas as palavras e sequer conseguem interpretar o que de fato querem dizer, ou melhor, que o autor quis dizer. Muitos dos que escreveram a Bíblia, não foram contemporâneos de Jesus, ouviram falar Dele e escreveram. Nós quando esboçamos opiniões somos sempre isentos? Ou puxamos pelo menos parte da brasa para a nossa sardinha?
    Temos que lembrar que muito foi acrescentado e muito foi tirado das escritas originais da Bíblia, de acordo com a realidade moral de quem liam , interpretava e editavam.
    Pecado? DEUS castiga? DEUS premia?
    Estamos aqui neste planeta para fixar aprendizados, e caminhar sempre ao lugar que esta reservado ao todos, todos, que é o Reino Divino. Não há descriminação, há sim resultados de ações, e estas sempre terão que ser resgatadas. Se assim não o fosse, não haveria Justiça Divina. Portanto em vez de nos preocuparmos com as atitudes desse ou daquele, gays, ou héteros, vamos olhar para nossos umbigos, vamos introspectar nosso eu, e analisar friamente, o que "eu estou fazendo para para a minha reforma íntima?"
    Parar de pensar que a felicidade do próximo esta em minhas mãos.
    A cada um conforme suas obras, já nos disse o Mestre Jesus.
    Esta certo, vai para frente, esta errado... resgata. Assim o é.
    Não adianta ser um hétero criminoso em todas as instâncias, sejamos cidadãos de bem, e o resultado por sí só aparece.

    ResponderExcluir
  9. Muito legal seu texto Guilherme. Como podemos ver, o assunto levanta muita poeira.
    Acredito a repulsa que muitas pessoas sentem ao ver dois homens se beijando se deve ao fato de não ser uma imagem comum do dia-a-dia. Até aí pode ser compreensível. Porém a coisa muda quando essas mesmas pessoas agem com agressões verbais e até mesmo físicas.

    ResponderExcluir
  10. Já existe lei que pune discriminação aos homossexuais, e eu apoio tal lei sim. No entanto, lei de privilégios nem pensar. Se um casal evangélico não querer que uma babá gay cuide de seu filho para não influenciá-lo, é preso. E se um casal gay não querer que uma babá evangélica crie seu filho, por que não seria preso?

    Síndrome do coitadinho só vai gerar mais preconceito. Sei que muitos de vocês são perseguidos e isso deve ser complicado. Negros também são. Evangélicos também são. Judeus foram e são. Já existe lei para proteger todos eles, sem privilegiar. Direitos iguais. Se um gay olhar para um evangélico com um jeito que desagrade, deverá então ser preso também, pode ser assim?

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem