segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

A democratização da corrupção: ainda há homens honestos?


POR JORDI CASTAN

Ainda há homens honestos? Pode parecer uma pergunta retórica, porque em algum momento do passado deve ter havido um homem honesto, mas a verdade é que hoje é difícil responder com segurança. Não há dia que não sejamos surpreendidos com um novo nome para acrescentar à lista dos corruptos.

A corrupção não se limita a Brasília. Em todos os níveis e em todos os estamentos há corruptos. No plano municipal, há câmaras de vereadores em que a maioria dos legisladores está presa, como no caso de Foz de Iguaçu. É o mais recente e não será o último. Aqui em Joinville temos vereador que já foi preso e que agora é réu. Há vereador que nem assumiu é corre o risco de nem chegar a fazê-lo. O estado de Santa Catarina pode se somar a lista dos que tem seu governador acusado de corrupção. Voltamos à época em que catarinense encontrava a imagem do seu governador nas páginas policiais.

O estado de Alagoas tem todos os seus senadores acusados de corrupção. Mais um motivo para questionar se alguma vez houve um homem honesto. Até o queridinho da esquerda, o senador Lindberg Farias acaba de ter cassados os seus direitos políticos. E não foi um prêmio por boa conduta. Se isso fosse pouco, há até juiz do Supremo Tribunal Federal que tem sua isenção questionada. 

video


Neste vídeo o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, dá uma demonstração de como a falta de vergonha não conhece limites. A sua ousadia impressiona e sua agressividade poderia até enganar, se o tempo não tivesse acabado mostrando a verdade.

O Brasil vive hoje a democratização da corrupção. A corrupção não está mais restrita a uma minoria. Ela se espalha como um cancro por todos os setores, por todos os níveis e poderes da República. No Brasil, o homem honesto é uma espécie em extinção e os corruptos, na sua sanha corruptora, querem arrastar a todos para o mesmo lamaçal. Por isso a proliferação de textos acusando a todos de sermos corruptos.

O objetivo hoje é colocar a todos no mesmo cocho. Se todos formos corruptos não haveria mais pena, nem castigo. Vamos deixar claro: não é porque a maioria se tenha corrompido que ser corrupto está certo e não deva haver punição. Não há como ser conivente com a corrupção, nem tampouco ter corrupto de estimação (como muitos). Todos os corruptos devem ser punidos e devolver o dinheiro roubado, independentemente de partido ou cargo.

8 comentários:

  1. O bom e velho cinismo está de volta. Um juiz de primeira instância, de uma vara cível, "cassa" os direitos políticos do Senador sobre uma matéria já julgada no STF no qual ele foi INOCENTADO. Mas é assim (né Jordi?!), espalhando SEMPRE a parte da verdade que lhe convém (e não é de hoje). Quem não te conhece que te compre.

    ResponderExcluir
  2. Se ainda há homens honestos na política, não sei. Só sei que GOVERNABILIDADE é essencial, pois um honesto "pato manco" não tem serventia num governo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faltou dizer:
      "Num governo...corrupto."
      Ai seu comentario faria sentido.

      Excluir
    2. Jordi, um doce para você mostrar um governo que não seja corrupto.

      Excluir
    3. Serve a Islandia? O precisaria ser ao sul do equador? Nesse caso Nova Zelandia.

      Excluir
    4. Algo do tamanho semelhante ao elefantão... vamos lá!

      Excluir
    5. O melhor que consigo fazer é isso.

      http://www.fatosdesconhecidos.com.br/os-10-paises-mais-corruptos-do-mundo-e-os-menos-corruptos/

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem