terça-feira, 27 de março de 2018

Netflix, o boicote e a legitimação da narrativa do golpe


POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO
O caso Netflix tem sido um dos temas quentes das redes sociais. Tudo por causa da série “O Mecanismo”, do diretor José Padilha, considerada um panfleto fascista pelos militantes de esquerda (nem todos, claro). E surgiu uma proposta de boicote ao serviço de streaming de vídeos. O que não deixa de ser irônico. Até um dia destes o Neflix era elogiado exatamente pela qualidade do seu catálogo, composto por milhares de filmes.

Mas vamos por partes. Há mesmo razões para boicotar o Netflix? Ora, aqui estamos no plano da relação entre o consumidor e o fornecedor de um serviço. Se a pessoa acha que não vale a pena pagar pelo produto, a solução é romper o contrato. E na pele de consumidor essa pessoa tem todo o direito de usar o word of mouth para tentar convencer outras a seguirem o mesmo caminho. É o capitalismo de mercado.

O problema é que não funciona. Poucas ideias são tão frágeis quanto o apelo ao boicote de uma marca. Lembram da Operação Carne Fraca? Houve uma revolta e a promessa de boicotar as empresas envolvidas. Mas o boicote acabou em churrasco. O auê destes dias só serviu para dar uma enorme notoriedade à serie. E ajudou a atrair o pessoal da direita que, mesmo fora do debate-boca, secretamente saliva de prazer.

“O Mecanismo” é mesmo fascista? A maioria das pessoas que repercute a crítica ainda não viu a série (estou no grupo do “não vi e nem quero ver”). Mas há uma queixa justa. Quando a frase de Romero Jucá é posta na boca do personagem que representa o ex-presidente Lula: o famoso “estancar a sangria”. Podemos dizer que foi uma liberdade poética ou até defender a liberdade de expressão. Mas falsear a história de forma tão grotesca é só canalhice.

A ex-presidente Dilma Rousseff fala em fascismo. A propósito de contar a história da Lava-Jato, numa série 'baseada em fatos reais', o cineasta José Padilha incorre na distorção da realidade e na propagação de mentiras de toda sorte para atacar a mim e ao presidente Lula. A série é mentirosa e dissimulada. O diretor inventa fatos. Não reproduz 'fake news'. Ele próprio tornou-se um criador de notícias falsas, escreveu nas redes sociais.

Qual é o problema da série (que, repito, não vi)? Por tudo o que se falou até agora, é a ideia de legitimar a narrativa do golpe. Num tempo em que as pessoas não distinguem a ficção da realidade, esse tipo de adulteração é perigoso. Muito perigoso. A história está repleta de exemplos de falsificações ideológicas através da arte. O fantasma de Leni Riefenstahl continua a pairar sobre o mundo das construções simbólicas.

A legitimação da narrativa do golpe é um desserviço à democracia. E para mostrar, na prática, os riscos trazidos por esse tipo de abordagem, eis o exemplo de um “diálogo” entre duas pessoas aparentemente esclarecidas (com diplomas, pelo menos), numa rede social. A reação é sintomática de gente suscetível de ser manipulada.

- Também estamos assistindo. Deviam passar nas aulas de história.
- Assunto para as salas de aula, com certeza. Para quem vai às urnas deveria ser obrigatório. Mudar essa realidade não é só obrigação de quem investiga! Não considero um desserviço, muito pelo contrário, que por meio da “ficção” o povo entenda a realidade do que significou a Lava-Jato e que é necessário mudar.

Eis o risco. As pessoas têm a tendência de confundir ficção e realidade (há uma diferença entre storytelling e historytelling). Ou seja, não percebem a diferença entre história, um corpo teórico que exige ferramentas para a interpretação, com narrativas ficcionais assimiladas de forma preguiçosa e noveleira – e sem questionamentos acerca dos interesses que possa estar a legitimar. Afinal, como diz a velha expressão, o fascismo é uma cadela sempre no cio.

É a dança da chuva.

37 comentários:

  1. Não vi nem quero ver, porque todas as séries brasileiras são uma merda, independentemente do enredo. Mas eu, que iria fechar minha assinatura com o canal de streaming, fui compelido a manter em homenagem ao apelo de boicote (ou censura? Hum!) da esquerda burra que não tem vergonha de mostrar a cara, como Pablo Villaça, por exemplo.
    Essa esquerda destrutiva e inútil resume-se à “gênia” Dilma, que chamou a série de “ficção fake”.
    Kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Riu com uma fileira de k`s, já sei q é retardado. Assinou como anônimo, certeza q é canalha...trata-se de um combo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Canalha” vindo de um esquerdista é elogio.

      Excluir
    2. Não é de estranhar já que uma das características do canalha é a de sempre considerar um elogio ser chamado de canalha...por isso é canalha.

      Excluir
    3. Sem contar que só adiantados mentais acham que "esquerdista" é xingamento. Que falta faz um banho de cultura, hem anônimo?

      Excluir
  3. Goebels sabia trabalhar estas questões melhor que o Padilha. Ele fez um filme comparando os judeus com ratos. Daí para o extermínio em massa dos "ratos" foi um passo. Por coincidência, durante o lançamento de "O Mecanismo" surgiram os atos de selvageria contra a caravana do Lula no Sul.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jogar ovos em velhaco agora agora virou “selvageria”? Não vi essa indignação quando fizeram o mesmo em Dória ou Bolsonaro.

      Enfim, selvageria é mandar a PM invadir a casa de alguém e dar “um corretivo”, ou mandar os leões de chácara bader em jornalista.

      Excluir
    2. Que comparação ridícula, tipico de esquerdista sem noção alguma da realidade.

      Excluir
    3. Goebels manda amplexos, anônimos.

      Excluir
  4. Petista vai cancelar o Netflix e colocar em nome de laranja. kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade vai comprar a cobertura ao lado, deixará no nome de laranja, criará um contrato de aluguel que os advogados irão confeccionar os recibos e pegarão as assinaturas do suposto proprietário no hospital.

      Tudo isso para assistir Netflix na surdina!!!

      Pois um bom petista, nunca sabe de nada, mesmo a turma assistindo na Casa Civil um andar abaixo!!

      Sobre o autor, passa uma baita credibilidade ao afirmar que nunca viu e nunca verá, mas tenho capacidade de opinar!

      A esquerda caviar agoniza!

      Excluir
    2. Quando começa com "na verdade" já nem leio o resto. O cara é mais inculto que uma porta.

      Excluir
    3. Diz que os outros são incultos mas vai morar em Portugal para lavar pratos e limpar bumbum de europeu. aí aí

      Excluir
    4. Ops! Fui apanhado. Até deixei cair os pratos aqui... Péra... mas se eu sou europeu, então limpar o bumbum é da praxe. Sou higiênico, pá!

      Excluir
  5. Padilha em 2 frases:
    1. Os bandidos entram na sua casa, estupram a sua esposa, matam seus filhos e roubam tudo o que você tem. Na saída, surrupiam seu isqueiro. A esquerda viu a série e quer debater a cor do isqueiro.
    2. O PT de Lula se associou ao PMDB de Temer. Juntos, operaram o mecanismo. Desviaram bilhões de dólares dos cofres públicos. Parasitaram o cidadão. E a esquerda finge que não viu? Sinto muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1. Idiotas adoram usar esse esse discurso de "estupram a sua esposa, matam seus filhos e roubam tudo". E são incapazes de ver que é por causa deles que essas coisas acontecem e ainda continuarão a acontecer. 2. Isso que dizes não é argumento... e repetição do mantra da direita. Os clichês dão-te a impressão de que estás a argumentar, mas estás apenas a regurgitar clichês.

      Excluir
  6. Não falei? Combo duplo.

    ResponderExcluir
  7. Nunca ouvi falar de "golpe" que seguiu os trâmites legais previstos na legislação - a mesma legislação à qual Dilma prestou juramento quando tomou posse, a mesma legislação que ela descumpriu quando autorizou créditos suplementares sem autorização do congresso, o que é crime de responsabilidade. Se ela não tivesse sido derrubada após o crime que cometeu, isso sim seria golpe. Que a esquerda reclame o quanto quiser, mas os crimes de Dilma estão muito bem documentados. A propósito, Dilma até viajou ao exterior pouco antes de ser corretamente derrubada, e nesse período ela passou o poder ao vice (Michel Temer, eleito pelos petistas) e voltou à cadeira presidencial sem maiores problemas. Não adianta, esquerdistas. Dilma mereceu ser chutada, e ainda saiu barato, pois ela devia ter tido seus direitos políticos cassados por 8 anos, o que não aconteceu (e que foi um golpe na legislação).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi golpe. Claro que não. Foste tu que caíste do berço, bateste a cabeça e ficaste com sequelas...

      Excluir
    2. É golpe porque essa esquerda burra, desonesta e revanchista quer. Mas os podres de Dilma estão aparecendo e a história é escrita no futuro, não no presente.

      Excluir
    3. Sim, sim, Napoleão. Agora vem aqui para eu afrouxar a tua camisa de força.

      Excluir
  8. Qual é o principal argumento para sustentar a tese de que o impeachment de Dilma foi um golpe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segue lista de argumentos.
      Aécio, Cunha, Serra, FHC, Alckmin, Alston, Paulo Preto, ACM, Borhausen, Jucá, Malafaia, RR Soares, Waldemiro Santiago, Magno Malta, Perrela, milicianos, tráfico, Bolsonaro, Geddel, Angorá, Richa, Perilo, Demóstenes, Jereissati, Azeredo, Marinhos, Abravanel, Saad, Frias, Mesquita, Sirotsky..as irmãs, Shell, Esso Exxon,Chevron Texaco, os quinta colunas, vira-latas, sonegadores, corruptos, latifundiários, pistoleiros, devedores da previdência...e os nativos, Bauer, Tebaldi, João Carlos Gonçalves, Norival Silva e similares.. todos esses daí apoiaram, vibraram e respiraram aliviados com o impeachment...

      Excluir
    2. Baço, concorda com isso que o Lemos escreveu?

      Excluir
    3. ACM vibrou e respira aliviado com o impeachment?... Procure ajuda Lemos!

      Excluir
    4. Olha, anônimo das 07:02, não tenho que concordar ou discordar do Lemos. Mas acho que ele comete um erro no comentário ao citar apenas 5 das 7 irmãs do petróleo.

      Excluir
    5. Então esses são os argumentos que confirmam o golpe? Vocês estão certos disso?...

      Excluir
    6. Certíssimos.. até pq vc pediu um argumento e eu dei 47...não tenho culpa que vc é a parcela pobre daquela turma ali de riba.

      Excluir
    7. 48. Esqueci do depoimento do ex-assessor de Temer, José Yunes à PGR contando detalhes da logística para comprar os votos de 140 deputados para que votassem pelo impeachment de Dilma Roussef.

      Excluir
  9. Sim.
    Porque os motivos apontados para o impeachment não são válidos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu és apenas naïf ou estás de sacanagem?

      Excluir
  10. A esquerda odeia a verdade sendo revelada. Deve dar saudade da época que roubalheira do PT estava escondida ne? Acabou, corruptos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diz lá, anônimo. Além de odiar o PT, o que mais fazes na vida?

      Excluir
    2. Eu trabalho e não amo bandidos. Sugiro que tente fazer o mesmo, e se não conseguir por conta priprpr, procure ajuda profissional.

      Excluir
    3. Papo furado que não ama... ama sim. O teu sonho, mesmo sabendo do currículo de cheirador e ladrão do "Mineirinho", era ver Aécio Neves presidente...e antes dele, Serra 23 milhões na Suíça...e antes o Santo da Alston...e duas vezes em FHC, aquele do apto de 11 milhões em Paris, da fazenda com aeroporto construído pela OAS, que tinha a amante bancada pela globo na Espanha e que foi apanhado num grampo favorecendo um grupo estrangeiro nos leilão das teles. Tudo provado, documentado e fotografado... mas deixado pra lá pelos cidadão de bem, leia-se, picaretas.
      Tenho pra mim q só existem duas explicações para um sujeito que não vive nas montanhas isolado do mundo, votar em quatro caras que ficaram milionários com a política, que moram em mansões cinematográficas, possuem fazendas com aeroporto, com aptos no exterior e que foram os candidatos apoiados pela Rede Globo;
      Ou é um picareta, ou é apaixonado por picaretas. Tenho a impressão q vc se enquadra nas duas alternativas.

      PS. Não adianta vir com essa conversa fiada que quer ver todos presos pq esse papo furado nem o pessoal da apae acredita mais.

      Excluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem