sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

No fundo, nós somos os ambientalistas! Rá!

Queima, Senhor! Queima a catraca da
opressão! - Foto de Felipe Cardoso
POR FELIPE SILVEIRA

Nessa quarta-feira (15) houve mais uma manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público em Joinville. O ato foi organizado e puxado pelo Movimento Passe Livre (MPL) de Joinville e eu estava lá, junto com umas 150 pessoas, que marcharam, cantaram, pularam, botaram fogo em pneus e pararam o trânsito. A repressão policial não foi tão violenta – pelo menos na minha opinião – quanto na semana passada, quando os pms tavam com “sangue no zoio” pra pegar os manifestantes. Escrevi sobre isso na semana passada, aqui.

A coisa que mais me chamou a atenção dessa vez foi o argumento de gênio usado por alguns internautas leitores do jornal A Notícia para criticar a manifestação. Depois de ver a foto dos pneus queimando e soltando fumaça preta, baixou o santo ambientalista na galera. Diziam eles que a ação era prejudicial ao meio-ambiente, e, portanto, ruim. “Poluir a cidade não dá, né, gente?”

Mas, peraí, não são os carros os maiores poluidores do mundo? Sim, sai FUMAÇA do seu carro! Não dá pra ver direito, mas sai. Funciona mais ou menos assim: você põe gasolina no tanque e liga o carro, aí o seu carro QUEIMA a gasolina e solta FUMAÇA. Sim, vocês são todos uns putos que queimam tanques de gasolina semanalmente!

Poluir a nossa cidade não dá, né, gente?

E as empresas locais, a sétima maravilha do mundo, não poluem nada, né? Não poluem o ar, não poluem o solo, não poluem o rio... Tudo uma bença! Tem uma cujo resíduo é uma areia que provoca câncer!

Gráfico produzido pelo MPL Joinville que mostra o aumento
da tarifa comparado com a inflação, que foi bem menor!
Agora, se a luta pela Tarifa Zero visa universalizar o acesso de todos ao transporte coletivo e consequentemente à cidade (lazer, trabalho, estudo...), logo é uma luta que vai resultar na diminuição do uso do carro, reconhecido como a coisa mais nociva ao meio-ambiente, certo? Logo, somos nós os ambientalistas.

Então, se você não se importa com as pessoas, com a direito delas de ter acesso à saúde, lazer e educação, pelo menos se importe com o meio-ambiente e venha para a luta. Na próxima quarta-feira (22) tem mais, às 18 horas, na Praça da Bandeira.

Lembrando que este é o segundo aumento dado pelo prefeito Udo Döhler. Um deles foi travestido de queda, mas foi aumento, lá no comecinho do mandato. Lembrando que o prefeito recorreu a uma tática sacana para evitar a reação popular, que é dar o aumento no último dia do ano. Lembrando que cobrar três reais e três e quarenta é um absurdo, uma desumanidade.


Comentários causam câncer?

Falando em desumanidade, vamos falar de comentários na internet, lugar no qual as pessoas perderam completamente os escrúpulos, a noção etc. O tema já é batido e uma das novas regras para viver bem é não ler os comentários, principalmente nos sites de notícias. A brincadeira na internet é que a prática causa câncer.

No entanto, como não fumo, substituí esse vício pelo de ler comentários. E aí fui parar na ótima matéria do jornal Notícias do Dia sobre os rolezinhos (você pode ter uma aula sobre o assunto aqui) em Joinville. Foi um festival de atrocidades. Tinha um cara lá bem louco, defendendo que se matassem todos. Sim, há um homem em Joinville que quer que centenas de adolescentes dessa cidade sejam assassinados. Sabe esses crimes que nos chocam no Cidade Alerta? Ele quer que seja cometido centenas desse, de uma vez só. Seus irmãos, filhos e netos.

Fora o monte de gente que defendia que a polícia deveria “deçe a borracha” na molecada, outros que diziam que a guriada deveria trabalhar, fazer serviço social e ler livros. Gostaria de perguntar quando foi a última vez que esse povo fez isso. Um amigo que sempre comenta por aqui, o Luiz Eduardo, fez isso com vários e não teve muitas respostas concretas. Da minha parte, comentei com alguns que a polícia não podia descer o cacete, pois isso seria agressão e agressão é crime. Não sei se entenderam. Parece que uma boa parte da população e uma boa parte da polícia não entende isso.

De fato, ler os comentários não faz bem. Às vezes, no entanto, é preciso ir para o embate. Muitos de nós ou nossos amigos e parentes, por não pensar, pensa idiotices como essas. Talvez seja importante que a gente fale isso pra eles. Talvez seja importante enfrentar esse câncer.

34 comentários:

  1. Óbvio que os manifestantes faltaram às aulas para protestar, pois até hoje não sabem fazer contas além das quatro operações básicas.

    Vejamos: custo atual do passe R$ 3,00; aumento proposto R$ 0,20 (esse valor lhe é familiar?). Pois bem, se não conhecem a operação de porcentagem é só dividir 0,20 por 3, e teremos o valor de 6,66% (precisa multiplicar por 100 depois, mas essa operação existe em qualquer calculadora de açougueiro!), ou seja 0,76% superior à inflação “oficial” disseminada pelo governo que foi de 5,91%. Porém, qualquer dona de casa ou trabalhador sabe que a inflação “oficial” do governo é uma grandessíssima mentira, pois os valores são maquilados. Levando em consideração que a variação do salário mínimo foi 6,78% o aumento do passe está dentro do aceitável. Mas as palavras “aceitável” e “bom-senso” também não são muito conhecidas desse público.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não interessa se o aumento foi aceitável, ou se foi conforme a inflação ou o aumento do salário mínimo, o que importa é que a passagem de ônibus em Joinville é uma das mais caras do país, além de ser um abuso a cobrança da passagem embarcada (3,40). O que vemos em Joinville é que não existe a menor vontade política de se incentivar o transporte coletivo, a cada ano terá aumentos e mais aumentos. E o prefeito Udo falava que o problema era a falta de gestão dos antecessores, hoje descobrimos que o problema é a falta de dinheiro mesmo, por isso os aumentos.

      Excluir
    2. Régis, eu sou solidário a você: é difícil vir aqui e defender, publicamente, o aumento das passagens de ônibus e, de tabela, tentar convencer os leitores que os donos da Transtusa e Gidion, que monopolizam e fazem o que bem entendem com o transporte público na cidade há décadas, são na verdade os principais injustiçados nisso tudo, amargando prejuízo sobre prejuízo - compará-los à donas de casa e trabalhadores (quais trabalhadores? Aqueles que foram demitidos aos montes quando as empresas extinguiram a função dos cobradores? Os motoristas, que agora trabalham duplamente sem receber a mais por isso?) é de um malabarismo admirável, reconheço.

      Mas, como disseram a meu respeito em outro texto, talvez você colha os frutos disso no futuro.

      Excluir
    3. Então a reinvindicação é outra. Se os caras fossem até a PMJ e a câmara de vereadores para reivindicar mais clareza nas planilhas de custos das empresas de transporte seria infinitamente mais produtivo do que queimar pneus e impedir a livre circulação de pessoas. Mas, convenhamos, queimar pneus é bem mais divertido.

      Excluir
    4. Isso já foi feito dezenas de vezes. Prefeitura e vereadores viram as costas, fingem que ouvem, mas não ligam. O fogo denuncia isso. Se você acompanhasse a luta saberia. Se fosse ao menos uma vez na rua saberia. Mas tu tá mais preocupado em defender os escrotos.

      Informação: http://mpljoinville.blogspot.com.br/2014/01/a-luta-por-transporte-publico-em-2014.html

      http://mpljoinville.blogspot.com.br/2013/07/nota-sobre-reuniao-com-prefeitura.html

      Excluir
    5. Felipe, assume logo que botar foto em pneu é bem mais divertido que ficar enchendo o saco de prefeitos, vereadores e empresários.

      Excluir
    6. O Açougueiro que te deu aula de matemática esqueceu de te lembrar que o aumento se calcula pela tarifa anterior(R$2,80) e não pela atual de R$3,00, Qualquer dona de casa sabe que o aumento foi de 7,14%. O mais legal é que o cara veio dar aula, vergonha alheia. Volta pra escola Régis!

      Excluir
  2. Mais um que faz o dever de casa e será recompensado (se já não é). Tenho pena dos pobres trabalhadores pagadores de impostos que não aderirem à "causa" num futuro não muito distante.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, queridos. Aumento de 4% na Gasolina e 8% no Diesel. Se alguém está reclamando do aumento das passagens dos coletivos, imagina o dos preços da cadeia produtiva...
    (em junho o combustível terá mais um aumento)
    Tati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse povo aki nao entende isso Tati.

      Excluir
    2. Acho legal esse troço de "cadeia" produtiva.

      Excluir
    3. O que tem de tão legal?

      Excluir
  4. "Existe ainda outra dimensão da reivindicação pelo transporte gratuito, que até o momento não foi suficientemente defendida pelo MPL (mas que começa a se dar conta): o aspecto ecológico. O atual sistema, totalmente irracional, de desenvolvimento ilimitado do uso do carro individual, é um desastre pelo ponto de vista da saúde dos habitantes das grandes cidades – milhares de mortos por causa da poluição do ar diretamente provocada pelos escapamentos – e pelo ponto de vista ambiental. Como se sabe, o carro é um dos principais emissores de gás com efeito estufa, responsável pela catástrofe ecológica das mudanças climáticas. O carro continua sendo, desde o fordismo até hoje, a mercadoria de destaque do sistema capitalista mundial; consequentemente, as cidades estão completamente organizadas em função da circulação de automóveis. Agora bem, todos os estudos mostram que um sistema de transporte coletivo eficaz, universal e gratuito, permitiria reduzir significativamente o uso do transporte individual. O que esta em jogo não é só o preço da passagem de ônibus ou de metrô, mas outro modo de vida urbana, sensivelmente, outro modo de vida."

    Michael Löwy, apoiando o Felipe! :D

    Texto completo aqui: http://outraspalavras.net/capa/o-passe-livre-segundo-michael-lowy/

    ResponderExcluir
  5. Não, você não são ambientalistas, vocês servem a um Senhor!

    ResponderExcluir
  6. Na teoria, a luta pela Tarifa Zero visa universalizar o acesso de todos ao transporte coletivo e consequentemente à cidade. Ok, vamos usar a lógica e para isso não é necessário pensar muito: se a luta pela Tarifa Zero for colocada em prática, o que eu creio ser muito difícil, ela não irá funcionar. Mas por quê? Simplesmente porque as pessoas irão perceber que os ônibus irão ficar extremamente lotados, aquela "esfregação de gente" e que além disso, muitos ônibus possuem uma qualidade precária. Por conseguinte, uma pessoa irá preferir sair com o seu carro e sua família com maior segurança e poderá se deslocar com maior facilidade, caso muitas pessoas usem os ônibus, em menor tempo, pois as estradas estarão praticamente "vazias". Sendo assim, creio que a luta pela Tarifa Zero não irá funcionar na prática ou vocês acham que uma pessoa irá preferir andar de ônibus lotado à andar como seu carro sem haver aquela lotação dos ônibus?

    Agora, se a luta pela Tarifa Zero visa universalizar o acesso de todos ao transporte coletivo e consequentemente à cidade (lazer, trabalho, estudo...), logo é uma luta que vai resultar na diminuição do uso do carro, reconhecido como a coisa mais nociva ao meio-ambiente, certo? Logo, somos nós os ambientalistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Killoukura, cara.

      Que manobra mais louca que você fez só pra teimar.

      Excluir
    2. Não é manobra, é apenas uma questão de lógica.

      Excluir
    3. Também discordo, pois com o imposto que colocarão para pagar o transporte publico, não sobrará dinheiro para comprar um carro. Todos estariam condenados a ter que usar esse transporte tão visado por esse povo estupido, que acredita que exista alguma coisa grátis. "Você acha que está caro? Espera só o governo falar que é de graça."

      Excluir
    4. Não, gente, não é lógica. Esses exemplos são demência mesmo. Leiam mais sobre o Tarifa Zero e não passem vergonha com comentários assim.

      Excluir
  7. Então já que os carros, as empresas e as pessoas poluem o planeta, que mal há em queimar uns pneuzinhos, não é mesmo?

    Afinal, queimar pneus sempre foi a forma de protesto mais eficaz...

    Esse negócio de os fins justificam os meios...

    ResponderExcluir
  8. a tarifa zero é uma mentira. o estado não produz, vive dos nosso impostos. se ele incorporar o custo das empresas de onibus quem vai continuar pagando o buzão somos nós mesmos! e olha, esse serviço na mão do estado, estão reclamando do tenor pq não ouviram o barítono...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Óbvio que seremos nós, assim como pagamos saúde, educação, dívida pública, juros da dívida pública, salários dos servidores, viagens de senadores, construção de praças, asfalto, financiamento de projetos culturais etc. Óbvio.

      Busque informação sobre a Tarifa Zero. E aqui tem algumas sugestões sobre maneiras de financiar o transporte público: http://www.leonelcamasao.com.br/10-maneiras-de-financiar-a-tarifa-zero-no-transporte-coletivo/

      Excluir
    2. Pô, Felipe, é muita letrinha e só uma fotinho. Corre o risco do 19:31 achar difícil.

      Excluir

  9. Pô...

    Nem Curitiba para manter a estrutura que tem (ainda que não seja perfeita) possui valores tão grosseiro como esse de Joinville.

    Espero que com esse valor, considerando o calor dai a proposta das empresas seja ônibus com menos ar condicionado, musiquinha e internet a bordo.

    Mas é claro que o que a população deseja mesmo um valor que seja justo, e justo para a população é claro.

    Só escuto falar mal dessa administração... credo!

    Faz anos que esperamos para visitar novamente o mirante... que construção demorada essa...

    Não tem uma praça que se possa passear e a última que fui quando passei por Joinville era toda calçada e não tinha onde sentar e nem uma sombra.

    Tem uma equipe de Urbanismo ai?

    Só parar deixar claro, sou de Joinville morando há 45 anos em Curitiba, que volta para passear todo ano e não se anima ficar mais que 4 dias.

    Gostaria que fosse diferente.

    ResponderExcluir
  10. Lendo o blog do Camasão que foi comentado por aqui, verifiquei que é possível sim, deixar de tarifar o serviço público de transporte, pelas várias razões e sugestões de financiamentos demonstrados.
    O problema todo, em minha opinião, é que assim como a Educação e a Saúde, o Transporte gratuito também não iria funcionar por um simples motivo: o estado não sabe gerenciar e é corrupto.
    Ou vocês acham que não há dinheiro suficiente para a Saúde e a Educação? O que aconteceu com os bilhões de reais arrecadados em vários anos de CPMF? Foi tudo pra Saúde?
    Enquanto o estado não for melhor gerido, com agências reguladores independentes e um Judiciário célere e eficaz, não adiante estatizar nada.
    Muitos dos que defendem a Tarifa Zero são os que falam que os mensaleiros foram condenados sem provas. É um total contrassenso.

    ResponderExcluir
  11. Pessoal do MPL eu conheço vários que nem moram em Joinville, estudam e CTBA e floripa, e entraram na modinha do protesto...vem aqui para aumentar a bagunça e porque nao trabalham , tem "tempo" de sobra.... Poucos realmente dependem do transporte gratuito para estudar,,, porque trabalhar quase nenhum trabalham, desocupados, desordeiros e falsos moralistas,,,,, agora trancar as ruas da cidade atrasando pessoas de bem em ir para o trabalho e faculdade está certo... depredar a cidade colocando fogo está certo?..tá bom.... vão trabalhar rapaziada, pegar no pesado,.... falsos filósofos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelas regras de moderação do blog o certo é excluir esse tipo de comentário. Mas às vezes eu aprovo porque quero que outros vejam esse lixo que sou obrigado a ler.

      Excluir
  12. Acho legítimo a manifestação. Inclusive concordo com o exposto, que em razão do melhor aproveitamento do transporte público teríamos uma menor queima de poluentes, seja combustíveis, pneus, etc.

    Porém não acho certo, no MEU ponto de vista, usar o que uma empresa faz ou um cidadão faz para justificar um ato, por menor que seja sua representatividade global. O ato de queimar pneus não foi certo, vamos ser francos. Existem diversas outras formas de demonstrar o descontentamento e manifestar, inclusive mais inteligentes (pensando justamente nesses que se aproveitam dos erros para crucificar).

    ResponderExcluir
  13. Querem ser ambientalistas, andem de bicicleta e parem de comer carne.
    São tão espertinhos, deveriam saber que o carro não é o que mais polui. A pecuária polui mais que os carros e de quebra é um dos principais causadores do desmatamento. Ah! E um dos que mais tem casos de trabalho escravo.
    Então, se você se importa com as pessoas e com o meio ambiente, por favor reescreva o texto. Obrigada. De nada.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem